quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

BRASIL É O 10º PAÍS MAIS PERIGOSO PARA ATIVIDADE JORNALÍSTICA

Yasuyoshi Chiba/AFP
No ranking de 2016 divulgado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), os três primeiros lugares foram ocupados por países que vivem guerras há anos: Iraque (1º), Síria (2º) e Afeganistão (3º); "No caso brasileiro temos uma situação muito atípica porque o principal agressor do jornalista é justamente o agente de segurança pública que deveria garantir a segurança de toda a sociedade e também dos jornalistas", comenta a presidente da Fenaj, Maria José Braga

Sputnik Brasil - Pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) revela que o Brasil foi o 10º país do mundo mais perigoso para atividade jornalística em 2016. Do ranking dos 10 mais violentos, os três primeiros lugares foram ocupados por países que vivem guerras há anos: Iraque (1º), Síria (2º) e Afeganistão (3º).

A lista prossegue com Afeganistão, México, Iêmen, Guatemala, Índia, Paquistão e Turquia. Segundo o levantamento da ABERT, no ano passado foram registrados 174 casos de agressão contra pelo menos 261 profissionais da imprensa, um aumento de 60% em relação a 2015. O número de mortes, porém, diminuiu: de oito em 2015 para dois no ano passado. A soma não levou em conta a morte dos jornalistas no acidente aéreo na Colômbia quando viajam para cobrir a final da Libertadores entre a Chapecoense e o Atlético Nacional. de Medellín.

O diretor-geral da ABERT, Luis Roberto Antonik, interpreta o aumento da violência contra os jornalistas no ano passado pelo fato de ter sido um período de grande turbulência política, com a eclosão de diversas manifestações pelo país e um consequente crescimento da repressão policial que gerou um maior número de agressões não letais, apreensão e danos a equipamentos como câmeras de vídeo e foto. O dirigente lembra que a maioria desses atos é sofrida por profissionais homens e jovens que manejam esse tipo de material.

"Os policiais acabam vendo nessas câmeras uma arma e por despreparo, falta de capacitação e treinamento eles acabam ferindo esses profissionais. É uma característica do repórter ser uma pessoa destemida, porque ele quer transmitir a informação para o seu público. É a característica da profissão dele. Quem está na frente, se arrisca mais acaba tendo a condição melhor de informar", diz, observando que, enquanto as pessoas estão correndo no sentido A (fugindo do avanço da polícia), os jornalistas estão correndo no sentido B (para se aproximar do confronto).

"A intenção do relatório da ABERT é que ele seja uma referência no mercado. Seguimos um rígido padrão internacional para relatar essas agressões, para virar uma fonte de informação ética e confiável." 

Com números um tanto diferentes dos da ABERT, o relatório da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), divulgado no início de janeiro, tem uma conclusão idêntica: o aumento do número de casos foi causado pelo crescimento da repressão policial durante as manifestações do ano passado. O levantamento, realizado em parceria com os 31 sindicatos de jornalistas, aponta um crescimento de 17,52% no número de casos de agressões em relação ao ano anterior. Foram 161 casos de violência contra a categoria, 24 a mais do que os 137 casos registrados em 2015. Para a presidente da Fenaj, Maria José Braga, o aumento dos casos de violência é preocupante.

"Na maioria dos países onde há muitos casos de violência contra jornalistas temos situações de conflito armado, o que não ocorre no Brasil. É preciso haver medidas urgentes por parte do governo e das empresas. No caso brasileiro temos uma situação muito atípica porque o principal agressor do jornalista é justamente o agente de segurança pública que deveria garantir a segurança de toda a sociedade e também dos jornalistas. São policiais militares os principais agressores. Mais alarmante ainda é o fato de que o segundo maior agressor de jornalistas é a própria sociedade, homens e mulheres que participaram em 2016 de manifestações de rua e se sentiram no direito de agredir jornalistas", afirma a dirigente.

Maria José diz que a democratização da informação e o monitoramento da qualidade dessa informação do ponto de vista técnico e ético tem que ser feito de outra forma, participativa e mais democrática. Uma agressão a um jornalista, no entendimento da Fenaj, é inadmissível em qualquer situação. A Fenaj e os sindicatos também tentam levantar todo o tipo de violência contra jornalistas, incluindo aí a chamada violência interna das redações, a censura ou a autocensura, além de ameaças, intimidações, agressões verbais, impedimento do exercício profissional e o cercemento da liberdade de expressões por meio de ações judiciais.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Propina de R$ 18 mi a Sarney será investigada por Fachin


Com a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) em retirar do juiz Sérgio Moro as investigações sobre José Sarney, caberá ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, investigar a denúncia contra o ex-senador por ter recebido R$ 18,5 milhões.

Nas gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, Sarney é apontado como beneficiário do esquema fraudulento na estatal. Segundo o delator, Sarney recebeu R$ 16 milhões em dinheiro vivo proveniente da Transpetro.

Há menos de um mês, o ministro Fachin aceitou denúncia da procuradoria Geral da República (PGR) e Sarney virou réu em processo também no STF. Ele é acusado de atrapalhar as investigações da Lava Jato junto com os senadores Romero Juca e Renan Calheiros.

Aquilo que em princípio foi comemorado pela banca de advogados de José Sarney – o direito a ser investigado pelo STF – pode deixá-lo ainda mais próximo de novas derrotas a depender da velocidade imprimida pelo relator Fachin nos processos da Lava Jato no STF. É esperar pra ver.

Blog do John Cutrim

A imagem do dia

Resultado de imagem para cartoon

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Tema já tem seu segundo candidato ao Senado: Weverton Rocha


Djalma Rodrigues - No dia 16 de janeiro, tão logo foi anunciada sua vitória para a presidência da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), o prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, indagado por um jornalista sobre seus candidatos ao Senado, revelou que era o deputado federal Zé Reinaldo e mais um.

Hoje, Tema anunciou que o seu segundo candidato é o deputado federal Weverton Rocha (PDT). E justificou:

-É do grupo do governador Flávio Dino. Sou um homem de grupo, homem de compromisso e de palavra. Vou votar com o deputado Zé Reinaldo, meu companheiro de longas jornadas e agora decidi pelo apoio ao deputado Weverton Rocha -, destacou.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Agropolo do Médio Sertão vai desenvolver potenciais da fruticultura na região

Secretário adjunto da Sagrima, Emerson Macedo, apresenta o programa a produtores e entidades parceiras na região.
 Foto/Divulgação
A região de São Domingos, conhecida pela farta produção de abacaxi, receberá mais incentivos do Governo do Estado para o desenvolvimento da cadeia produtiva dessa e de outras frutíferas, por meio do Programa Agropolos. O polo do Médio Sertão começou a ser implantado no último sábado, 18, pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima).

Em seminário promovido pela secretaria no município de São Domingos, prefeitos, secretários municipais de agricultura, técnicos e representantes de instituições de ensino, pesquisa e financeiras, além das agências estaduais de Defesa Agropecuária (Aged) e de Pesquisa e Extensão Rural (Agerp) discutiram as potencialidades a serem desenvolvidas a partir de agora pelo programa.

“Estamos muito contentes com a criação de um agropolo aqui. Jatobá já foi uma região de destaque na produção e hoje precisa de incentivos. Dessa vez, eu sei que é um programa que não vai ficar só no papel, porque agora nós temos a quem levar nossas demandas e discutir soluções”, disse Antônio Ferreira, secretário de agricultura de Jatobá.

O Agropolo do Médio Sertão será composto pelos municípios de São Domingos do Maranhão, Colinas, Santa Filomena, Governador Luiz Rocha e Jatobá. Ao final do encontro, foi formado o comitê gestor do polo e anunciadas as primeiras ações previstas para 2017: assistência técnica e gerencial a produtores e a implantação de viveiro de produção de mudas.

Para o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, o novo agropolo vem somar com o trabalho já feito pelos produtores na região. “O abacaxi nessa região já vem se destacando, mas ainda é necessário investir em tecnologias e nas demais etapas dessa cadeia produtiva, além de diversificar a produção agropecuária com outros itens. Esse é o papel dos agropolos: perceber a vocação de cada região e unir esforços com parceiros públicos e privados para desenvolver esse potencial”, explicou.

O objetivo dos agropolos é desenvolver os potenciais produtivos das várias regiões do estado. Em parceria com produtores, sindicatos, instituições financeiras, de ensino e pesquisa, são realizadas ações para aumento da produção, difusão de novas tecnologias e incentivo à agro industrialização e comercialização de produtos maranhenses.Depois dos agropolos da Ilha, Rio Balsas, Rio Tocantins e Rio Mearim, agora a região do Médio Sertão terá seu polo. “Vimos como os agropolos estavam tendo sucesso em outras regiões e procuramos a Sagrima para ser parte do programa, que chega para consolidar ainda mais o polo de fruticultura e melhorar a nossa produção”, disse o secretário de Agricultura de São Domingos, João Pitanga.

Governo do Maranhão

Polícia apreende 120 kg de maconha em Peritoró

1487606939-388021728
Policiais da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) apreenderam 120 KG de maconha, na tarde desse domingo (19), próximo ao terminal rodoviário da cidade Peritoró, no interior do Estado. De acordo com informações da polícia, a droga foi encontrada no bagageiro de um ônibus de turismo que vinha do Estado de Goiás. A droga estava embalada em caixas de papelão

Ainda segundo informações policiais, o homem identificado como Hugo Wendel da Silva, de 25 anos, confessou ser o proprietário da droga. Ele foi autuado pelo crime de tráfico interestadual de drogas, e foi encaminhado ao Centro de triagem de Pedrinhas.

Do Imirante

XEXÉO: SE MINISTRO DA EDUCAÇÃO FALA ERRADO, IMAGINE O RESTO DO GABINETE DO TEMER

LULA MARQUES

Se o ministro da Educação diz em entrevista que “houveram” mudanças no currículo escolar, "imagina o resto do gabinete do Temer", ironiza o colunista Artur Xexéo sobre o erro crasso de português cometido por Mendonça Filho

O erro crasso de português do ministro da Educação, Mendonça Filho - que em entrevista à GloboNews para defender a reforma do Ensino Médio afirmou que "houveram mudanças" - levou o colunista Artur Xexéo a questionar o gabarito dos restantes membros da administração de Michel Temer.

"Aí a gente liga a televisão e vê o ministro da Educação, Mendonça Filho, dando uma entrevista na GloboNews. Ele explica que “houveram” mudanças no currículo escolar. Se o ministro da Educação fala assim, imagina o resto do gabinete do Temer", afirmou em sua coluna em O Globo.

247

ROCHA TENTA EMPLACAR WALDIR MARANHÃO CONTRA ZÉ REINALDO


Blog Marrapá - O senador Roberto Rocha (PSB) está por traz da suposta candidatura do deputado federal Waldir Maranhão (PP) a uma das vagas do Maranhão abertas no Senado a partir de 2018. Embora se trate da atração de mais uma legenda para a aventura de “asa de avião” se candidatar ao governo, conforme intensão manifestada, há indícios da pretensão de deixar o deputado federal Zé Reinaldo Tavares (PSB) de fora da corrida ao Senado. Zé Reinaldo também declarou ter intenção de concorrer a uma das vagas.

Desconfortável na legenda, RR busca outras alternativas no leque partidário. O PSB está na base de apoio de Flávio Dino (PCdoB) de onde não deve se deslocar nas eleições de 2018. Na direção nacional, candidatura própria à Presidência até o momento está fora de cogitação. Isso determina a permanência da aliança do PSB com o PCdoB.

Com grande ascensão sobre o presidente estadual do PSB, prefeito Luciano Leitoa, Zé Reinaldo sabe que RR tenta abrir uma porta de saída para o ex-governador. Recorre para isso à direção nacional que parece dar poucos ouvidos aos delírios do senador. O ex-governador tem dito que está firme e forte com Flávio.

Troféu Sinceridade: “Na Record tem um monte de coisa que não presta”


Mauricio Stycer/UOL

Exibido toda madrugada pela Record, o “Fala que Eu Te Escuto” é um programa de aconselhamento religioso sobre problemas do cotidiano. Também é um veículo para a difusão de ideias, críticas e ataques da Igreja Universal (cujo fundador, Edir Macedo, é proprietário da emissora) aos seus adversários e supostos “inimigos”.

Com apresentação do bispo Marcio Carotti, o tema do programa deste último sábado (18) era “Fracassos e problemas financeiros”. Sem explicar a razão, a certa altura o apresentador leu uma mensagem que disse ter recebido pelas redes sociais com críticas à programação da Record.

Lida por Carotti, a mensagem dizia: “Às vezes fico tentando entender como vocês podem passar desgraça o dia inteiro na emissora, contaminando a todo momento com cargas negativas, revolta, desgostos, tristeza, e no final do dia passar um programa que tenta ajudar as pessoas? Alguém me explica isso?”

O bispo interrompeu a leitura para dizer: “Eu vou explicar pra você”. E continuou a ler: “Aprendi a educar a minha família a ligar a televisão apenas com programas bons de assistir, como ‘A Terra Prometida’, e alguns outros da Record. Porque se deixar a TV ligada o dia todo, dá a impressão que o mundo está uma desgraça, com tristezas, mortes, a todo momento. Revoltas… Sei lá, é a minha opinião”.

Carotti, então, disse: “Eu respeito a sua opinião. E você falou a verdade mesmo. Você não mentiu em nada aqui. Um monte de desgraça que passa na Record. É o dia inteiro passando desgraça. Agora, é só você não assistir. É só você não ver. E não é só na Record, não. Qualquer canal passa desgraça o dia inteiro. Desgraça dá audiência. E audiência é um outro assunto. Agora, o fato de passar um monte de desgraça na Record o dia inteiro não significa que a nossa intenção aqui de querer ajudar as pessoas não seja boa. Eu concordo com você. Você não deve mesmo ligar, não deve assistir.”

O bispo explicou que no momento não tem assistido nada porque está cumprindo um período de jejum de 21 dias, chamado “Jejum de Daniel”, que inclui manter a televisão desligada. Mas voltou à mensagem do leitor para acrescentar: “Não deixa a sua família assistir ao que não presta. E na Record tem um monte de coisa que não presta. Eu não assisto. E aconselho você a não assistir também não. Assiste o que é bom.”

A qualidade do vídeo não é boa, mas pode ser visto e ouvido aqui.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

A jararaca está viva e engordou

Lula participa do 29º encontro Estadual do MST na Bahia, no parque de exposições agropecuraria de Salvador, que teve abertura nesta quarta feira 11 e segue ate sabado 14, onde se comemora 30 anos do movimento. Na abertura entre outros esteve o lider do MST João Paulo Stédile, o presidente do PT da Bahia, Rui Falcão, o ex presidente da Petrobras, Sergio Gabriele, politicos do PT e militantes de entidades. *** PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTO COM CUSTO EXTRA E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS ***

Por Elio Gaspari/Folha de São Paulo

O primeiro aviso veio em dezembro, com uma pesquisa do Datafolha. Lula tinha 25% das preferências dos eleitores para o primeiro turno da eleição presidencial de 2018. À época havia um consolo, num segundo turno, ele perdia para Marina Silva. Agora saiu a pesquisa da CNT/MDA. Lula cresceu em todas as simulações e ganha com folga de todos os candidatos, em todos os turnos. Salvo Jair Bolsonaro, todos seus adversários caíram. Com 6,5% na resposta espontânea, Bolsonaro tem mais preferências que Aécio Neves, Marina, Michel Temer, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes somados. E Lula, com 16,6%, janta todos, inclusive o paleozoico Bolsonaro.

Na resposta espontânea, mais da metade dos entrevistados declarara-se indecisa, o que reduz o peso dessas percentagens. Na pesquisa induzida, quando o entrevistado deve escolher um nome numa lista de seis, Lula repetiu o desempenho. Foi de 24,8% para 30,5%. Todos os outros mandarins caíram, salvo Bolsonaro, que saltou de 6,5% para 11,3%.

Não se pode ir longe nas projeções de uma pesquisa realizada a mais de um ano de distância das eleições, mas alguns resultados da CNT/MDA são fotografias do presente. Apesar da exposição que seus cargos lhes dá, Michel Temer, Aécio Neves e Geraldo Alckmin estão derretendo. Derrubaram-se também Ciro Gomes com seu estilo tonitruante e Marina Silva com seu plácido absenteísmo.

As artes do Planalto levaram para 62% o índice de desaprovação de um governo que vive num mundo de trapalhadas, fantasias e marquetagens.

A jararaca engordou e dificilmente o risco Lula será liquidado pela Lava Jato. Primeiro porque não será fácil torná-lo inelegível, com uma condenação de segunda instância, antes do pleito do ano que vem. Mesmo que isso aconteça, Lula poderá tirar um poste da manga. Joaquim Barbosa, por exemplo.

A jararaca está viva, engordou e arma o bote. Quem o viu no velório da mulher pode ter percebido uma emoção verdadeira, dentro da qual havia instantes úteis a uma retórica eleitoral.

PT: 'IstoÉ publica seu epitáfio editorial na capa'


'A matéria da IstoÉ, inventada, e sem qualquer prova, atropela as mínimas regras do jornalismo, mas principalmente ultrapassa todos os limites da honestidade.”, diz a nota.

Em nota, a bancada do PT no Senado repudia a revista IstoÉ, que em sua capa na edição deste final de semana traz mais uma matéria tentando envolver o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato.

'A matéria da IstoÉ, inventada, e sem qualquer prova, atropela as mínimas regras do jornalismo, mas principalmente ultrapassa todos os limites da honestidade. Mais do que acusar Lula, a capa da IstoÉ é um definitivo epitáfio na lápide da publicação que insiste em atacar o PT para facilitar a destruição do Estado nacional e a entrega do país aos interesses externos', diz a nota. Leia a íntegra abaixo.

Confira a Nota Oficial

Em sua capa deste final de semana a revista IstoÉ traz mais uma matéria tentando envolver o presidente Lula na Operação Lava Jato. Desta vez, o "furo" de reportagem tem como fonte um alucinado cidadão que não resiste a uma pesquisa nas redes sociais. "Sócio de um ex-acionista da Camargo Correa" – morto há cinco anos (!), Davincci Lourenço de Almeida é um "ativista" da intervenção militar e "autor" de outras denúncias também sem pé nem cabeça (vejam os vídeos no Youtube).

A matéria da IstoÉ, inventada, e sem qualquer prova, atropela as mínimas regras do jornalismo, mas principalmente ultrapassa todos os limites da honestidade. Mais do que acusar Lula, a capa da IstoÉ é um definitivo epitáfio na lápide da publicação que insiste em atacar o PT para facilitar a destruição do Estado nacional e a entrega do país aos interesses externos. Não por acaso, a revista Isto É foi a maior beneficiada com os aumentos proporcionais de verbas governamentais – 340% desde que Michel Temer assumiu.

Com esta capa, a revista IstoÉ traduz de forma grotesca o desespero do governo golpista e seus mentores e apoiadores diante da última pesquisa do CNT/MDA, que deu a Lula a vitória eleitoral em todos os cenários. Alvo número 1 do golpe, Lula provoca a ira dos lacaios entreguistas, mas também o reconhecimento e a solidariedade do povo, como mostram os números da pesquisa. Enquanto Lula, o PT e nós senadores do partido no Senado Federal resistimos e avançamos para resgatar a Nação do atoleiro golpista, às publicações como IstoÉ está reservada a lata de lixo da história.

Brasília, 18 de fevereiro de 2017.

Bancada do PT no Senado

Com informações do Blog do Gilberto Lima

Estude de graça para concursos públicos pelo Youtube: 14 canais

Foto: reprodução / Youtube

Boa notícia para quem está estudando para concurso público.

Além dos cursinhos que são pagos, existem formas alternativas, de graça, para se preparar para as provas.

Só no Youtube existem pelo menos 14 canais que dão aulas gratuitas.

Além do conteúdo, alguns dão dicas sobre preparação e motivação para provas e concursos.

O professor de história, especializado em aulas em cursinhos, Rafael Resende, de 30 anos – integrante do Sofá do Enem – diz que a ideia é boa, embora não seja nova.

“Acredito que funciona para quem tem a disciplina e a seriedade para isso. [O aluno] Também deve considerar que é a forma em que terá o menor gasto possível”, lembra.

Então, não tem mais desculpa para estudar!

Veja os canais:
















Com informações do RsDireito

MINISTRO DE TEMER É ACUSADO DE LEVAR PROPINA DE R$ 7 MI DA ODEBRECHT

DIDA SAMPAIO

O ministro do Desenvolvimento, o bispo Marcos Pereira, da Igreja Universal, recebeu R$ 7 milhões da Odebrecht para vender o apoio do PRB à chapa Dilma-Temer, em 2014; o acerto foi revelado nas delações de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar e Fernando Cunha; depois de apoiar a reeleição, Pereira rompeu com o governo Dilma e aderiu ao golpe parlamentar de 2016, ganhando, como contrapartida, o ministério do Desenvolvimento, mesmo sem ter qualquer afinidade com a área econômica ou industrial; com a revelação deste fim de semana, Pereira passa a ser mais um ministro delatado pela Odebrecht, numa lista que inclui ainda nomes como Eliseu Padilha, Moreira Franco e José Serra, além do próprio Temer

Mais um ministro de Michel Temer caiu na lista da Odebrecht. Trata-se do bispo Marcos Pereira, da Igreja Universal, que recebeu R$ 7 milhões da Odebrecht para vender o apoio do PRB à chapa Dilma-Temer, em 2014.

O acerto foi revelado nas delações de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar e Fernando Cunha, segundo reportagem de David Friedlander e Andreza Matais.

Depois de apoiar a reeleição, Pereira rompeu com o governo Dilma e aderiu ao golpe parlamentar de 2016, ganhando, como contrapartida, o ministério do Desenvolvimento, mesmo sem ter qualquer afinidade com a área econômica ou industrial.

Com a revelação deste fim de semana, Pereira passa a ser mais um ministro delatado pela Odebrecht, numa lista que inclui ainda nomes como Eliseu Padilha (R$ 4 milhões em espécie), Moreira Franco (propinas nas concessões de aeroportos) e José Serra (R$ 23 milhões na Suíça), além do próprio Temer (pedido de R$ 11 milhões no Jaburu).

Agora, basta Pereira ser denunciado por Rodrigo Janot para que ele seja demitido por Michel Temer – o que seria um favor à indústria nacional, que já dá sinais de ter se arrependido do golpe, em especial depois das mudanças nas políticas de conteúdo nacional no setor de petróleo.

Pereira, no entanto, rebateu as afirmações dos delatores. “Eu desconheço essa operação. Comigo não foi tratado nada disso”, disse. “Delação não é prova.”

Os relatos de que houve compra de apoio partidário para a campanha Dilma-Temer poderão ser analisados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no processo que investiga abuso de poder político e econômico na campanha. Ou seja: esta nova denúncia pode favorecer a cassação de Temer.

247

Pastor Ariovaldo: se ainda houver decência, é imperativo que o Impeachment seja anulado.


Outra coisa, se houver eleições, não precisaremos de, apenas, um novo presidente, precisaremos de um líder nacional, com capacidade de convocar e emular a nação a se reinventar… Conhece alguém? Então, é ele lá!

Gostaria de propor-lhes uma parábola: no clássico “gibi” do Batman, há um vilão curioso; ele era um promotor público obcecado pela erradicação do crime. Ele, de tão obstinado, entrou em surto psicótico, depois de um incidente, e passou a agir como os criminosos que caçava, executando ritos sumários.

À guisa de parábola, pense num agente da lei que, na busca por identificar possíveis criminosos, conclame aos cúmplices destes à delação, o que lhes comutará a pena e lhes poupará do pleno prejuízo.

Então, os delatores, de fato, revelam os tais criminosos, entretanto, se dá conta, o agente, de que os delatados estão fora de sua alçada, entregues à instância superior que não demonstra vontade necessária, sequer, para indiciá-los.

Não bastasse isso, vê os incriminados golpearem o sistema, assumirem-no e se tornarem os formuladores das leis que ele terá de cumprir, ainda que em detrimento da justiça.

Imagine este agente tendo de comprovar, à opinião pública, que toda a sua movimentação, que teve muito de midiática, não foi inócua, uma vez que os criminosos, que se confessaram, não só saíram no lucro, tendo em vista o que amealharam, como o sistema criminoso, em si, nem ao menos, sofreu abalo.

Assim, o agente escolhe um ícone da sociedade golpeada, por vilão; curiosa e intrigantemente, escolhe, como alvo, o único em condições de reagir aos golpistas, contudo, aos poucos, comprova-se que o eleito vilão não pode ser incriminado, por simples falta de provas, e, a cada dia, o agente se vê pressionado e a correr o risco de ser tido como o obsedado que, na ânsia de se salvar do fiasco da história, passa a cometer crimes contra o investigado, que, gradativamente, transforma de desejado vilão em mera vítima.

OK, voltando para o nosso dia-a-dia… Se ainda houver decência, é imperativo que o Impeachment seja anulado, e que, voltando a presidenta, haja plebiscito por uma Constituinte exclusiva para a necessária reforma política.

Outra coisa, se houver eleições, não precisaremos de, apenas, um novo presidente, precisaremos de um líder nacional, com capacidade de convocar e emular a nação a se reinventar… Conhece alguém? Então, é ele lá!

Nosso luto vem do verbo lutar!

Clique e assista ao vídeo abaixo:

sábado, 18 de fevereiro de 2017

FAMEM volta a ter visibilidade política com o Prefeito Tema


A Federação dos Municípios do Maranhão - FAMEM com a eleição do Prefeito  de Tuntum, Dr. Tema,  no dia 16(dezesseis)  de Janeiro voltou a ter visibilidade e importância política como instituição municipalista que representa os prefeitos maranhenses no contexto estadual e nacional.

Nos  trinta dias iniciais de administração do Dr. Tema a frente da FAMEM o que se viu foi uma mobilização dos gestores municipais maranhenses capitaneada pelo Prefeito de Tuntum na defesa intransigente das demandas da cidades do Estado junto ao Governo Estadual e Federal na busca da consolidação de projetos, recursos e parcerias em torno de políticas públicas como educação, saúde, segurança e infraestrutura.

Político de trânsito fácil junto ao poder executivo, legislativo e judiciário, Dr. Tema mais uma vez a frente da FAMEM conseguiu, nestes 30(trinta) dias, transformar a entidade que congrega os prefeitos maranhenses  numa instituição de suma importância para as administrações municipais novamente através de uma movimentação intensa que a entidade não teve nos últimos anos.

Líder político nato

A capacidade de gerenciar demandas  políticas e administrativas da gestão municipal  maranhenses tem transformado   Dr. Tema, nestes últimos 30(trinta) dias novamente, em um líder com várias extensões  eleitorais no cenário estadual por conta de um perfil articulador e  de concepção moderada a serviço do municipalismo do Maranhão.

Líder político nato,  Dr. Tema, nos últimos dias, volta a ter uma larga visibilidade no contexto estadual pela condução dos pleitos dos gestores maranhenses e pela penetração fácil nos diversos segmentos ideológicos do Maranhão.

Nome forte na política do Maranhão para 2018 

A administração propositiva que Dr. Tema vem implementando a frente da FAMEM, nos últimos 30(trinta) dias,  consolida a importância eleitoral que o gestor municipal de Tuntum vem ganhando no cenário estadual mais uma vez,   qualificando-o definitivamente para projetos de grande ponta no jogo político maranhense. 

Liderando prefeitos com colégios eleitorais significativos no Maranhão, Dr. Tema vem se transformando no político com maior influência para 2018 no Maranhão a ponto de pleitear  uma participação eleitoral mais efetiva no que for posto no próximo ano. 

DILMA ANUNCIA DISPUTA AO SENADO OU À CÂMARA

Adrián Escandar

"Eu não serei candidata a presidente da República, se é essa a sua pergunta. Agora, atividade política, nunca vou deixar de fazer (...) Eu não afasto a possibilidade de eu me candidatar para esse tipo de cargo: senadora, deputada, esses cargos", declarou a presidente Dilma Rousseff, deposta pelo golpe parlamentar de 2016, em uma entrevista exclusiva à agência francesa AFP realizada na tarde de sexta-feira em Brasília; vitimada pelo golpe perpetrado por Eduardo Cunha, hoje preso em Curitiba, ela diz não guardar rancor; "Eu não tenho em relação ao Eduardo Cunha nenhum sentimento de vingança ou qualquer coisa que o valha. Eu não tive em relação ao torturador. Não dou luxo para torturador de ter ódio de torturador, nem tampouco para o Eduardo Cunha", afirma"

Da Agência AFP – Dilma Rousseff parece mais relaxada do que quando estava na Presidência do Brasil. Brinca, repassa a apertada lista de conferências que a aguardam na Europa e nos Estados Unidos e, pela primeira vez, fala de seu futuro político.

Destituída em 2016 pelo Congresso, sob a acusação de maquiar as contas públicas, a ex-presidente de esquerda passa seus dias em Porto Alegre, onde segue obedientemente sua rotina de exercícios físicos e passeios de bicicleta, e só parece perder a paciência quando é consultada sobre o escândalo de corrupção da Petrobras que atingiu seu governo.

"Eu não serei candidata a presidente da República, se é essa a sua pergunta. Agora, atividade política, nunca vou deixar de fazer (...) Eu não afasto a possibilidade de eu me candidatar para esse tipo de cargo: senadora, deputada, esses cargos", declarou em uma entrevista exclusiva à AFP realizada na tarde de sexta-feira em Brasília.

Apesar do impeachment, Dilma não perdeu seus direitos políticos para ocupar cargos públicos, e pode, portanto, ser candidata a cargos eletivos.

Esta decisão, tomada pelo Senado, surpreendeu porque o único precedente que existia apontava para o contrário. O ex-presidente Fernando Collor de Mello renunciou em 1992 durante o impeachment e ficou inabilitado para ocupar cargos públicos durante oito anos.

Aos 69 anos, esta ex-guerrilheira marxista disputou apenas dois cargos eletivos em sua vida: a Presidência, que venceu em 2011, e a reeleição de 2014, ambas pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Questionada sobre como é possível que desconhecesse a monumental rede de subornos que drenou mais de dois bilhões de dólares da Petrobras para financiar campanhas políticas, Dilma abandona o semblante afável que adotou após seu impeachment.

"Os processos são extremamente complicados (...) Ninguém no Brasil sabe de todos os processos de corrupção hoje", afirmou.

Primeira mulher a chegar à chefia de Estado do Brasil, Dilma conserva em sua conta do Twitter a frase "presidenta eleita do Brasil".

Como o país não concede nenhum tipo de pensão aos seus ex-presidentes, Dilma se mantém financeiramente com os 5.300 reais mensais que recebe de aposentadoria por ter sido funcionária do Estado do Rio Grande do Sul e completa sua renda com o aluguel de quatro apartamentos familiares.

Impeachment

Afilhada política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2002-2010), símbolo de uma esquerda latino-americana que perdeu grande parte de seu crédito pelos escândalos de corrupção, Dilma diz que não costuma ter problemas ao percorrer as ruas do bairro Tristeza, onde vive em Porto Alegre, nem quando viaja ao Rio de Janeiro para visitar sua mãe.

Mas, com as lembranças do impeachment ainda frescas na memória do país, afirma não ter garantias, apesar de contar com um guarda-costas.

"Nada impede que alguém me agrida", declara.

Entre maio e agosto de 2016, o Brasil viveu um impeachment traumático, cujo ato final ocorreu no Senado, onde Dilma Rousseff se defendeu por mais de 10 horas.

Sua queda foi precedida por uma série de acusações de corrupção contra seu partido, que alimentaram grandes protestos nas ruas.

Dilma diz repassar "sistematicamente" os documentos do processo que a retirou do poder e que encerrou um ciclo de mais de 13 anos do PT no governo, substituindo-a por seu vice, o conservador Michel Temer, a quem acusou de liderar um "golpe parlamentar".

"As pedras de Brasília e as emas da Alvorada sabiam que eles estavam inventando um motivo para me afastar", afirma, em uma referência ao tempo em que vivia no Palácio da Alvorada, cercado de jardins intermináveis povoados por pássaros.

"Foi a chamada justiça do inimigo: não se julga, se destrói", acrescenta.

Uma pesquisa recente colocou Lula à frente em todos os cenários eleitorais para 2018. Processado em vários casos relacionados ao escândalo na Petrobras, seu futuro é uma incógnita.

"Apesar de todo o processo de tentativa de destruição da personalidade, da história e tudo, o Lula continua em primeiro lugar, continua sendo espontaneamente o mais votado", afirma Dilma, para quem há um "segundo golpe" em amadurecimento: criminalizar Lula para impedir que ele seja candidato.

Dilma diz não guardar rancores pessoais contra aqueles que levaram sua destituição adiante, uma atitude que conserva de seus tempos de militância marxista, quando foi capturada e torturada durante a ditadura militar (1964-1985).

E isso inclui o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, cérebro por trás do impeachment, atualmente na prisão por um caso de corrupção.

"Eu não tenho em relação ao Eduardo Cunha nenhum sentimento de vingança ou qualquer coisa que o valha. Eu não tive em relação ao torturador. Não dou luxo para torturador de ter ódio de torturador, nem tampouco para o Eduardo Cunha", conclui.

Eu indico: Educadores traçam o cenário da formação e da profissão docentes


Maria de Lourdes Spazziani reúne as contribuições de diversos especialistas sobre formação no meioacadêmico e as ações inovadoras que visam fomentá-la

Um bom professor será lembrado pelo papel fundamental que exerceu na vida de seus alunos. Sua formação implica necessariamente o trabalho integrado entre universidades e escolas de educação básica, que se realiza sem predeterminações hierárquicas, ou seja, sem que a universidade determine o que fazer e o modo de fazer para um bom resultado. Foi este o tema do XIII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores e III Congresso Nacional de Formação de Professores, realizado em 2016, e que dá origem ao livro Profissão de professor: cenários, tensões e perspectivas, organizado por Maria de Lourdes Spazziani, lançamento da Editora Unesp.

As partes que compõem a publicação trazem os pontos principais discutidos sobre a profissionalização do ofício e da formação do professor, destacando, inclusive, como as mudanças ocorridas no mundo nas últimas décadas tiveram repercussões significativas sobre os sistemas educacionais. Diante da expansão da escola básica e das novas funções que ela historicamente vem assumindo, o preparo do professor reclama uma formação que não se restrinja à mera transmissão de conhecimentos e informações. Para debater o assunto, a participação de diferentes atores sociais com diferentes perspectivas foi essencial. Com isso, foram apontadas tensões referentes ao campo acadêmico e político que dizem respeito a profissionalização e desprofissionalização, ao professor reflexivo e performático, a individualização e coletivização, aos conteúdos específicos e pedagógicos, ao público e privado, ao presencial e a distância, ao proposto e executado. Por fim, as perspectivas que apontam para a luta em defesa da formação de professores e valorização profissional da categoria.

Segundo Celestino Alves da Silva Junior, que assina a apresentação, diante deste cenário "se faz necessária uma reflexão aprofundada sobre a natureza e a inserção social do trabalho do professor e sobre as condições em que esse trabalho se realiza no momento atual da sociedade brasileira". Assim, estão presentes na obra os três colóquios sobre temas específicos da formação, que reuniram especialistas de diversas universidades brasileiras, e trazem as iniciativas tomadas por algumas universidades no sentido de elaborar, em termos teóricos, e de instituir, em termos práticos, novas estruturas administrativas como bases de apoio ao campo emergente da chamada pedagogia universitária. Focalizam o perfil dos alunos ingressantes nos cursos de licenciatura, a empregabilidade dos egressos e a consequente taxa de sucesso dos seus cursos. Ações inovadoras na formação de professores também foram discutidas, bem como o futuro da profissão.

Sobre a organizadora - Maria de Lourdes Spazziani possui doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutoramento em Educação Ambiental pela ESALQ/USP. Atualmente é professora assistente doutora da Unesp, câmpus de Botucatu, e credenciada no Programa de Pós-Graduação de Educação Ciência do câmpus de Bauru.

Título: Profissão de professor: cenários, tensões e perspectivas
Organizadora: Maria de Lourdes Spazziani
Número de páginas: 382
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 55,00
ISBN: 978-85-393-0654-1

Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp

Prefeito de Tuntum, Dr. Tema, discursa na Câmara Federal em Brasília(assista ao vídeo)



Dr. Tema - Presidente da FAMEM em Brasília

Clique e assista ao vídeo:


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

AO DENUNCIAR O GOLPE, RADUAN LAVA ALMA DO BRASIL


Ao receber o Prêmio Camões nesta sexta-feira, 17, o escritor Raduan Nassar, autor de Lavoura Arcaica, reconhecido internacionalmente como um dos maiores escritores brasileiros, denunciou o conluio entre os poderes para perpetrar o golpe contra a presidente Dilma Rousseff e o avanço do autoritarismo no Brasil; Raduan disse que o STF está "coerente com seu passado à época do regime militar"; "O mesmo Supremo propiciou a reversão da nossa democracia: não impediu que Eduardo Cunha, então presidente da Câmara dos Deputados e réu na Corte, instaurasse o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Íntegra, eleita pelo voto popular, Dilma foi afastada definitivamente no Senado. O golpe estava consumado! Não há como ficar calado"; leia a íntegra do discurso e assista ao vídeo

Do Opera Mundi - O escritor Raduan Nassar, autor de Lavoura Arcaica, recebeu nesta sexta-feira (17/02) o Prêmio Camões, concedida pelos governos de Brasil e Portugal e um dos principais reconhecimentos da literatura em língua portuguesa.

Após o discurso do escritor, o ministro da Cultura do governo Michel Temer, Roberto Freire, se irritou e criticou Nassar, chamando-o de "histriônico" e dizendo que "quem dá prêmio a adversário político não é a ditadura".

Freire chegou a sugerir que o escritor deveria ter recusado o prêmio. Durante sua fala, o ministro foi vaiado e ouviu gritos de "Fora, Temer!" (leia mais aqui).

Leia, abaixo, a íntegra do discurso de Raduan Nassar:

"Excelentíssimo Senhor Embaixador de Portugal, Dr. Jorge Cabral.

Senhor Dr. Roberto Freire, Ministro da Cultura do governo em exercício.

Senhora Helena Severo, Presidente da Fundação Biblioteca Nacional.

Professor Jorge Schwartz, Diretor do Museu Lasar Segall.

Saudações a todos os convidados.

Tive dificuldade para entender o Prêmio Camões, ainda que concedido pelo voto unânime do júri. De todo modo, uma honraria a um brasileiro ter sido contemplado no berço de nossa língua. 

Estive em Portugal em 1976, fascinado pelo país, resplandecente desde a Revolução dos Cravos no ano anterior. Além de amigos portugueses, fui sempre carinhosamente acolhido pela imprensa, escritores e meios acadêmicos lusitanos.

Portanto, Sr. Embaixador, muito obrigado a Portugal.

Infelizmente, nada é tão azul no nosso Brasil.

Vivemos tempos sombrios, muito sombrios: invasão na sede do Partido dos Trabalhadores em São Paulo; invasão na Escola Nacional Florestan Fernandes; invasão nas escolas de ensino médio em muitos estados; a prisão de Guilherme Boulos, membro da Coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto; violência contra a oposição democrática ao manifestar-se na rua. Episódios todos perpetrados por Alexandre de Moraes.

Com curriculum mais amplo de truculência, Moraes propiciou também, por omissão, as tragédias nos presídios de Manaus e Roraima. Prima inclusive por uma incontinência verbal assustadora, de um partidarismo exacerbado, há vídeo, atestando a virulência da sua fala. E é esta figura exótica a indicada agora para o Supremo Tribunal Federal

Os fatos mencionados configuram por extensão todo um governo repressor: contra o trabalhador, contra aposentadorias criteriosas, contra universidades federais de ensino gratuito, contra a diplomacia ativa e altiva de Celso Amorim. Governo atrelado por sinal ao neoliberalismo com sua escandalosa concentração da riqueza, o que vem desgraçando os pobres do mundo inteiro.

Mesmo de exceção, o governo que está aí foi posto, e continua amparado pelo Ministério Público e, de resto, pelo Supremo Tribunal Federal.

Prova da sustentação do governo em exercício aconteceu há três dias, quando o ministro Celso de Mello, com suas intervenções enfadonhas, acolheu o pleito de Moreira Franco. Citado 34 vezes numa única delação, o ministro Celso de Mello garantiu, com foro privilegiado, a blindagem ao alcunhado “Angorá”. E acrescentou um elogio superlativo a um de seus pares, o ministro Gilmar Mendes, por ter barrado Lula para a Casa Civil, no governo Dilma. Dois pesos e duas medidas

É esse o Supremo que temos, ressalvadas poucas exceções. Coerente com seu passado à época do regime militar, o mesmo Supremo propiciou a reversão da nossa democracia: não impediu que Eduardo Cunha, então presidente da Câmara dos Deputados e réu na Corte, instaurasse o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Íntegra, eleita pelo voto popular, Dilma foi afastada definitivamente no Senado.

O golpe estava consumado!

Não há como ficar calado.

Obrigado".

(Publicado originalmente em Carta Capital)

Assista ao vídeo abaixo:


Presidente da FAMEM destaca transparência municipal em evento do TCE

O Presidente da FAMEM, prefeito Cleomar Tema (Tuntum), participou nesta sexta-feira de um evento sobre prestação de contas eletrônicas promovido pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA).


Tema foi acompanhado do vice- presidente da entidade e refeito de Arari, Djalma Melo, e de vários outros gestores que retornaram da capital federal depois de participarem de um evento sobre a per capita da saúde do Estado.

O objetivo do encontro é contribuir para divulgação aos gestores dos novos ajustes na sistemática das prestações de contas estabelecidos pela Instrução Normativa 46, que já valem para as contas que serão entregues este ano, relativas ao exercício de 2016. As mudanças dizem respeito à forma de organização e ao envio da documentação ao TCE, sem qualquer alteração de conteúdo.

A mesa de trabalho foi composta pelo Presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro José Ribamar Caldas Furtado, Presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cleones Carvalho Cunha, Presidente da FAMEM, Prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, Presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, Deputado l Othelino Neto, Procurador Geral do Estado, Rodrigo Maia e o Presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MA, Edilson Baldez.

Durante o evento o conselheiro geral do TCE destacou a busca de soluções para diminuir contas desaprovadas, e avaliou o evento como positivo: “Nós estamos nos aproximando dos gestores municipais, temos um propósito de fazer um trabalho preventivo e educativo, sensibilizando o gestor de uma gestão transparente, buscando sempre reduzir ao máximo possível o numero de contas desaprovadas de gestores municipais”. Destacou Caldas Furtado.

Tema destacou durante pronunciamento o novo modelo de prestação de contas: “A mudança na forma da apresentação da prestação de contas que agora é digital, diminui muito a burocracia, mesmo com algumas dificuldades de técnicos municipalistas. Mas hoje o TCE disponibilizou vários profissionais visando esclarecer todas as dúvidas, é o que queremos hoje, a sociedade quer saber onde o gestor está aplicando os recursos municipais, e nós gestores estamos fazendo uma gestão transparente e de forma legal”, destacou.

Ascom/Famem