• DIVULGUE COM A GENTE E APAREÇA • batetuntum@gmail.com •

segunda-feira, 26 de junho de 2017

JANOT DENUNCIA TEMER POR CORRUPÇÃO PASSIVA


247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira 26 uma denúncia contra Michel Temer por corrupção passiva.

A denúncia tem como base as investigações sobre a relação de Temer com a JBS, do empresário Joesley Batista.

Agora o ministro Edson Fachin, do STF, aciona a Câmara, que vai decidir se autoriza ou não o prosseguimento da denúncia - é necessária a aprovação de dois terços dos 513 deputados. Após a votação, se o plenário do Supremo decidir aceitar a denúncia, Temer vira réu e terá de se afastar do cargo por até 180 dias. 

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), homem da mala de Temer, que recebeu R$ 500 mil em dinheiro da JBS a pedido do presidente, também foi denunciado. Os investigadores acreditam que o dinheiro teria Temer como destino final.
Compartilhe:

Curso técnico aumenta as chances de empregabilidade; entenda

estudar_curso_tecnico_2 (Foto: Arquivo pessoal)
Em tempos de desemprego em alta, escolher um curso que proporcione acesso mais rápido a uma vaga faz toda a diferença. Um caminho para agilizar essa ponte entre a escola e o mercado de trabalho pode ser o curso técnico.

Com duração menor que a graduação e com estágio obrigatório, que garante a experiência antes de deixar a sala de aula, o ensino técnico aumenta as chances de empregabilidade. Quem opta por essa modalidade, geralmente, é lançado ao mercado no período que varia de seis meses a dois anos. Há exceções na área da saúde, com maior duração. Essa é a opção, geralmente, de quem busca o primeiro emprego ou está atrás de uma atualização.

“O profissional formado no ensino técnico recebe a preparação teórica e prática, finaliza o curso pronto e atualizado para entrar no mercado”, ressalta Sônia Maria Ventura, diretora e mantenedora do Centro de Estudos Técnicos da Bahia (Cetecba).

O curso pode ser feito em dois formatos. Concomitante ao Ensino Médio regular, a partir do segundo ano, ou no formato pós-médio, quando o jovem já concluiu essa etapa escolar. Entre as áreas com maior demanda por profissionais, Sônia destaca a da Saúde e a de Tecnologia. A primeira porque a população está envelhecendo e é crescente a demanda por profissionais, como técnico em enfermagem para atuar em clínicas, postos de saúde e hospitais. Já o ramo de Tecnologia está em constante ebulição. “O profissional que acumula mais de um curso técnico está na frente por ter maior conhecimento, atualização. Se tiver um segundo idioma, então, suas chances de empregabilidade aumentam muito”, garante a professora.

Primeira experiência x atualização

Por ter um formato mais curto, o técnico permite ao jovem experimentar na prática o seu futuro mercado antes de optar por uma faculdade, de maior duração e custo superior. O rápido ingresso na carreira garante um salário e pode ajudar a financiar o investimento em uma universidade, se a intenção for buscar uma graduação. O técnico é uma opção também de atualização e recolocação do profissional que já está no mercado.

É o caso de Carlos Eduardo Cordeiro, 37 anos, técnico em Enfermagem há uma década que agora frequenta curso técnico em Radiologia no Cetecba, em Feira de Santana. Casado e pai de três filhos, ele estará formado no fim de 2017 e espera melhorar seus rendimentos com a nova qualificação. “Gosto do que faço, mas o salário é apertado para bancar todas as despesas da família. Espero, com essa nova qualificação, ser aproveitado na nova função e aumentar meus rendimentos”, projeta.

Cordeiro só está conseguindo estudar porque conta com uma bolsa de 50% do Educa Mais Brasil, programa que concede o benefício para quem não tem condições de pagar integralmente a mensalidade. “Se não fosse o Educa Mais Brasil, eu não teria voltado a estudar”, afirma.

O programa Educa Mais Brasil oferece bolsas de estudos da creche à pós-graduação, assim como em cursos de idiomas e profissionalizantes. Entre no site www.educamaisbrasil.com.br e veja se há cursos habilitados à bolsas na sua cidade.

G1
Compartilhe:

AVIÃO COM 500 KG DE COCAÍNA DECOLOU DA FAZENDA DE BLAIRO, MINISTRO DE TEMER

247 - O avião bimotor interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB) nesta quinta-feira (25), carregado com mais de 500 quilos de cocaína, no interior de Goiás, decolou da Fazenda Itamarati Norte, no município de Campo Novo do Parecis (MT) com destino a Santo Antonio Leverger (MT). A fazenda está arrendada ao Grupo Amaggi, de propriedade do ministro da Agricultura e senador licenciado, Blairo Maggi (PP).

O bimotor foi interceptado por um caça A-29 Super Tucano da FAB no âmbito da Operação Ostium, desenvolvida de forma conjunta com a Polícia Federal, visando coibir crimes nas fronteiras do país. A fazenda ocupa uma parrea total de 200,4 mil hectares e divididos em 19 unidades própria da Amaggi e outros 51,9 mil hectares arrendados do grupo Itamarati, pertencente ao empresário Olacyr de Moraes.

O bimotor somente pousou em uma área rural após o caça da FAB disparar um tiro de advertência após o piloto se recusar a cumprir uma ordem de pouso em um aeródromo próximo. O avião pousou em na zona rural do município de Jussara, interior de Goiás. O piloto fugiu do local e até o momento não foi localizado. A droga apreendida no interior da aeronave será encaminhada para a sede da Polícia Federal em Goiânia.
Compartilhe:

Crime de execução, uma prática recorrente no Maranhão

Execução do feirante João Paulo, nesta segunda(26), em Tuntum  
Foto: Blog do Lobão
A execução do feirante João Paulo(do Povoado Baixão Grande - São Domingos) por volta das 8 horas em Tuntum, na manhã desta segunda-feira(26), confirma mais uma vez a prática recorrente de assassinatos de encomenda na região central do Maranhão sem solução pelas forças policiais instaladas nas diversas cidades que compõem esta regional do Estado.

A logística destes assassinatos de encomenda na região central do Maranhão é a mesma, sempre dois elementos na cena da execução, um que atira a queima-roupa na região da cabeça ou/e do tórax  da vítima e outro que faz o deslocamento rápido do executor em uma moto ou carro que estacionam em ponto estratégico para facilitar a fuga.

As forças policiais do Maranhão(Militar e Civil) destas cidades interioranas do Maranhão ainda sofrem pela falta de estrutura e condições adequadas de trabalho, abrindo espaço para que os crimes de encomenda sejam recorrentes e sem solução, ocasionando cada vez mais medo e intranquilidade para a população que clama por segurança pública e pelo desvendamento da autoria destes crimes graves contra a vida humana.

Compartilhe:

PF IDENTIFICA PAGAMENTO A EMPRESAS FANTASMAS NA GESTÃO MURAD NA SAÚDE

Blog do Clodoaldo Corrêa - O inquérito da Operação Sermão aos Peixes, que apura desvios de recursos da saúde do Maranhão, diz que há robustos indícios de que parte da fraude era feita por meio de empresas de fachada que emitiam notas fiscais frias em prol das terceirizadas diretamente responsáveis pela administração dos recursos destinados ao sistema de saúde do estado.

A Polícia Federal usa como exemplo para explicitar o modus operandi das fraudes uma tabela de pagamentos realizados a essas empresas laranjas em 2014. Na época, quem estava à frente da Saúde do Maranhão era o ex-secretário Ricardo Murad, homem forte da então governadora Roseana Sarney (PMDB).

Em depoimento à Polícia Federal em 2016, quando foi conduzido coercitivamente a depor, Ricardo Murad admitiu que não havia controle algum dos recursos que eram transferidos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) aos institutos Cidadania e Natureza (ICN) e Bem Viver, entidades supostamente sem fins lucrativos contratadas pelo próprio secretário para administrar unidades de saúde do estado.

O esquema funcionava da seguinte forma: para sacar os valores milionários, que eram muito superiores ao percentual referente à taxa de administração – cerca de 5% dos recursos mensalmente repassados a essas terceirizadas –, foram criadas empresas fantasmas para emissão de notas fiscais frias (sem efeitos tributários) que serviriam apenas como canais para escoar os vultosos recursos, sem serem barrados nos mecanismos de fiscalização.

A Polícia Federal identificou pelo menos três empresas de fachada usadas para desviar os recursos públicos. Só em 2014, um total de R$ 858.049,78 foram sacados pelas terceirizadas para “quitação” das notas frias.

O inquérito policial ressalta ainda que as empresas – que sequer existiam ou não tinham funcionários – emitiam as notas frias para dar uma “aparência legal” aos desvios e esconder seus reais beneficiários.

A PF usa ainda como referência para demonstrar como funcionava o esquema microfilmagens dos cheques sacados, nas quais é possível identificar os nomes das empresas fantasmas. Os investigadores descobriram que já no ano de 2014, as empresas de fachada criadas eram controladas pelo funcionário do IDAC, Valterleno Silva Reis, “testa de ferro” que efetuava os saques na “boca do caixa” e entregava para os verdadeiros beneficiários dos desvios.

Valterleno Silva Reis foi preso pela PF com R$ 70 mil em espécie. Ele e o dono do instituto, o advogado Antônio Aragão, reconhecido como importante colaborador de Ricardo Murad no esquema, foram presos no último dia 2, mas, com a ajuda de um advogado ligado ao ex-secretário de Saúde, foram beneficiados com o habeas corpus e vão responder em liberdade.

Indícios de caixa dois

Um dos detalhes do inquérito policial que pode remontar para o uso de caixa dois para campanhas eleitorais por meio dos desvios é a fotocópia de um cheque mostrando que um dos diretores do IDAC sacou R$ 200 mil em dinheiro vivo no auge da campanha das eleições de 2014, mais precisamente no dia 19 de agosto daquele ano.

Para os investigadores, que chegaram a apontar Ricardo Murad como o líder da organização criminosa que efetuava os desvios, o ex-secretário se utilizou do modelo de terceirização da gestão da saúde pública estadual para desviar recursos. Esse sistema permitiu que Murad e a quadrilha envolvida no esquema usassem as verbas federais para enriquecimento ilícito e financiamento de campanhas políticas.
Compartilhe:

domingo, 25 de junho de 2017

GOVERNO INVESTE R$ 2,2 MILHÕES NOS CAPS DE DEZ MUNICÍPIOS

Maranhão 247 - Suspensos durante a gestão anterior, os recursos destinados para investimentos nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) estão sendo devolvidos em dez municípios maranhenses. Com investimento anual no valor de mais de dois milhões de reais, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), pretende contribuir com a reestruturação da Rede de Atenção Psicossocial, na qual os CAPS desempenham um papel fundamental no processo de recuperação de dependentes químicos.

Os municípios beneficiados são Alcântara, Alto Alegre, Icatu, Matinha, Mirador, Palmeirândia, Raposa, Santo Antônio dos Lopes, São Domingos do Maranhão e São João Batista.

Durante assinatura do termo de compromisso com prefeituras beneficiadas, o governador Flávio Dino falou sobre a importância da parceria para a organização dos serviços na área da saúde mental. "Nós sabemos que o uso de drogas é um dos problemas de saúde pública que ganharam dimensão especial na última década. Para isso, é necessário um trabalho cotidiano com responsabilidade social. Por isso é importante que tenhamos essa rede com serviços específicos nessa área", destacou.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, ressaltou que a iniciativa garante os direitos de cidadãos e ratifica a intenção de parceria do poder público estadual com as prefeituras. "Nosso ato, reforça o apoio do governo aos municípios e demonstra o nosso empenho e o trabalho que vem sendo realizado para fortalecer e aprimorar os serviços da rede estadual de saúde, que tem funcionado melhor e com otimização dos recursos", enfatizou o secretário.

A iniciativa do poder público estadual de repassar o recurso aos municípios visa garantir a proteção e os direitos das pessoas com transtornos mentais. Os CAPS oferecem acompanhamento por equipe multiprofissional e atendimento especializado às pessoas com transtornos mentais graves e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. A assistência é prestada através de projetos terapêuticos, nos quais a família cumpre um papel fundamental durante o tratamento.

O diretor do CAPS AD, Marcelo Soares, explicou como funciona o serviço. "O atendimento no CAPS é aberto, o paciente não precisa de encaminhamento. Após a admissão do paciente, é feito um plano terapêutico individual, que leva em consideração a situação de cada pessoa. A iniciativa do governador Flávio Dino de investir nos CAPS no interior do estado permitirá que o paciente tenha essa assistência no seu próprio município", disse.

Atualmente, o CAPS estadual atende 325 pacientes e trabalha realizando atividades de prevenção ao uso de drogas, tratamento e reinserção do paciente na sociedade. Entre as atividades executadas pelo centro está a "Ação Resgate", com abordagens nas ruas, e oficinas realizadas em parceria com instituições de ensino. O centro também aproveita datas comemorativas como o São João para promover a interação entre os pacientes, as famílias e os profissionais que atuam na unidade.

O aporte no valor global de R$ 2.226.682,88, para investimentos em serviços similares ao realizado pelo CAPS em São Luís será repassado aos municípios. Há cinco anos, os municípios não recebiam o recurso, fundamental para o desenvolvimento desses serviços na área da atenção psicossocial pelo interior do estado.

Com informações da Agência Maranhão de Notícias
Compartilhe:

Copyright © | Direção: Jornalista Emerson Araújo | Bate Tuntum | Suport/ 99 98271-8514