INSCRIÇÕES NO PROGRAMA CHEQUE MINHA CASA COMEÇAM NESTA SEGUNDA-FEIRA

Benefício vai abranger famílias da Grande São Luís. (Foto: Gilson Teixeira)

Blog do Jorge Vieira - O Governo do Maranhão inicia nesta segunda-feira (14) as inscrições para a 2ª edição do programa Cheque Minha Casa. A iniciativa é destinada às famílias de baixa renda, com o objetivo de apoiar a reforma, ampliação ou melhoria de unidades habitacionais já existentes, com prioridade para as instalações sanitárias do imóvel.

Desta vez, o programa pretende beneficiar quatro mil famílias residentes na Região Metropolitana da Grande São Luís, que abrange 13 municípios: Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Rosário, Raposa, São José de Ribamar, Santa Rita e São Luís.

As inscrições serão realizadas, exclusivamente, via internet, por meio do preenchimento de formulário eletrônico próprio, que estará disponível a partir desta segunda-feira até às 23h59 do dia 15 de março deste ano, através do endereço: http://chequeminhacasa.secid.ma.gov.br. O link também poderá ser acessado no site do Governo do Estado e da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), órgão responsável pela gestão do Cheque Minha Casa.

“Este programa é inovador porque permite que as pessoas melhorem as suas moradias mediante um benefício de R$ 5 mil a custo zero, a pessoa não paga nada. E também propicia o aquecimento da economia gerando emprego e renda”, enfatizou a secretária Flávia Alexandrina.

Pelo programa, as famílias serão beneficiadas com o valor de R$ 5 mil, em duas parcelas, cada uma no valor de R$ 2.500 para compra de material de construção destinado a reforma, ampliação ou melhoria de unidades habitacionais existentes, com prioridade para as instalações sanitárias do imóvel. As compras devem ser realizadas nas lojas credenciadas.

Os critérios para participar do processo são ter renda familiar mensal não superior a três salários mínimos; não possuir outro imóvel; ser maior de 18 anos ou emancipado; ter família constituída de, no mínimo, dois integrantes; comprovar vínculo de residência de no mínimo três anos e não ter sido beneficiado no Programa Cheque Minha Casa nos anos de 2017 e 2018.

Prazos do programa – O período de inscrição para o Programa Cheque Minha Casa iniciará no dia 14 de janeiro e encerra no dia 15 de março deste ano. A divulgação dos pré-selecionados será feita no dia 27 de março; enquanto que a convocação dos pré-selecionados para apresentação da documentação está marcada para o dia 8 de abril.

Mais informações – Mais informações sobre o Chamamento Público da 2ª Edição do Programa Cheque Minha Casa estarão disponíveis no site do programa (http://chequeminhacasa.secid.ma.gov.br); pelos telefones (98) 99234-6942 e (98) 99235-7633 (Assessoria de Imprensa); além da sede da Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Sedes), na Av. Getúlio Vargas, nº1905, Monte Castelo, São Luís-MA.

Artigo do governador: Juntos pela Educação

Há quatro anos, quando assumi a missão de governar nosso estado, prometi a mim mesmo trilhar, desde o primeiro dia, o caminho de mudança de nossa história. E só podemos mudar definitivamente o destino do Maranhão oferecendo educação de qualidade e gratuita para toda a população. Esse é o exemplo que as principais nações do mundo nos revelam.

Concluída minha primeira gestão, tenho a segurança de dizer que escolhemos o caminho correto. Por meio do programa Escola Digna, congregamos diversas ações com o foco de promover condições básicas nas redes de ensino municipais e estadual para que nossas crianças, adolescentes e jovens tenham acesso à Educação.

Onde antes havia barro e palha, agora construímos com cimento e tijolo o futuro de nossas crianças. Alcançamos marcas históricas, tais como: mais de 800 escolas construídas ou reformadas, formação de cerca de 50 mil profissionais da educação, 82 veículos de transporte escolar e mais de 1,4 milhão de uniformes entregues, entre outras ações que demonstraram, na prática, o compromisso que temos com a Educação.

Não foi só a estrutura que melhorou. Ao darmos melhores condições materiais a estudantes, funcionários e professores, garantimos uma elevação significativa de cerca de 20% do IDEB, índice nacional que mede a qualidade do ensino de nossos jovens na rede estadual.

Diante dos avanços que temos conquistado, tenho certeza de que esse é o caminho que devemos seguir: de mais investimentos na Educação. Por isso, neste segundo mandato, vamos continuar avançando na estrada certa, da garantia de direitos e da valorização da Educação.

Neste passo, um importante programa de minha segunda gestão será o Pacto Estadual pelo Fortalecimento da Aprendizagem, que aperfeiçoará as ações do Programa Escola Digna. Por meio dele, Governo do Estado e Prefeituras vão trabalhar de mãos dadas com foco na melhoria dos indicadores educacionais do Maranhão. As ações do Pacto visam garantir que todos os estudantes do Maranhão estejam alfabetizados na idade certa, reduzindo a distorção idade-série na Educação Básica, além de contribuir para o aperfeiçoamento da formação dos profissionais da educação, elevando nosso IDEB também nas redes municipais.

Esse será um trabalho de união entre Estado e municípios, porque temos a certeza de que nós só obteremos êxito nessa área com cooperação.

Sou daqueles que acreditam que sem direitos humanos não há desenvolvimento, porque se nós não garantirmos que a riqueza produzida seja aplicada em proveito da justiça social, podemos ter até crescimento econômico, mas jamais uma sociedade desenvolvida e digna. É por isso que continuaremos trabalhando para realizar um governo cada vez mais moderno e transformador.

JOSIMAR GONÇALVES, O CINEASTA!

Josimar Gonçalves, o cineasta

Por Jean Carlos Gonçalves/Blog Ecos de Tuntum

“Luz, câmera, ação! 

A ordem natural se encarrega de montar cenário. 

No horizonte, a aurora se anuncia com os primeiros raios solares, que incidem sobre as copas das mais robustas árvores da Mata. Os pássaros iniciam timidamente seus gorjeios, mas que gradativamente intensificam a melodiosa orquestra matinal daquele bucólico vilarejo dos idos anos 1970. O galo no terreiro, imponente, faz despertar quem, abraçado pela noite, adormecera com o ávido desejo de no seguinte dia, cedo despertar para os seus sonhos mirar.  Daí a natureza passa a dividir espaço com a criatividade da ação efetiva de quem de pé se coloca para ajudar a tecer o enredo da vida social dos que habitam os rincões da não reconhecida Pré-Amazônia maranhense.  Um despertar, uma rede recolhida, uma lâmina que rigidamente se faz afiar, um café com aroma e sabor de ternura, um botão que ao girar em sentido horário, leva ao mundo de sonho e fascínio, pelas ondas sonoras das AM e FM, especialmente, da Rádio Nacional de Brasília-DF e da Rádio Pioneira de Teresina-PI." 

Com toda modéstia, a descrição acima pode até ser confundida com o início de uma obra literária, mas se não foi a forma mais original, foi a que com base na imagem que construí e escolhi para apresentar-lhes um dos mais admiráveis protagonistas do centro-maranhense que tive o privilégio de conhecer nos últimos tempos: Josimar Gonçalves, o Cineasta. 
Desenho do então menino Josimar, aos 9 anos
Natural do povoado Socorro, distrito do município de Governador Eugênio Barros-MA, o filho de Manoel e Zulmira, nasceu em 06 de agosto de 1971. O penúltimo dos cinco filhos do casal de retirantes cearenses, Josimar, desde o início de sua infância, esteve mergulhado num universo de dificuldades, próprias do período e das condições da região, mas também imerso num mundo de fantasia e imaginação aguçadas pela sensibilidade de quem ouvia a programação das principais estações de rádio, pelas quais acompanhava, principalmente, os programas com participação de ouvintes por meio de cartas escritas e das novelas. Pois na época o lugar não contava sequer com energia elétrica e as imagens ainda que em preto e branco dos televisores, só chegariam anos mais tarde. 

O contato com o rádio foi primordial para que o menino sonhasse em ser ator, roteirista, editor e produtor de novelas. Assim cresceu, imbuído da vontade de representar, de dirigir, de produzir, de criar, de fazer dramaturgia, cinema. Esse desejo manifesto, que logo se tornou notório na comunidade local, intensificou ainda mais quando em 1983 chegou ao povoado a primeira televisão, pela qual pode assistir e reconstituir diariamente a desenvoltura dos grandes atores da teledramaturgia da TV Globo, até hoje maior produtora do gênero do país. 

Ainda na década de 1980, quando contava apenas 9 anos, passou a ter contato com a fotografia. Experiências oportunizadas por um irmão mais velho que comprara uma câmera, e então ambos passaram a ter uma parceria, prestando serviços em eventos no povoado e região, Quando seu irmão adulto não podia comparecer aos batizados, casamentos e festas de aniversário, o menino Josimar entrava em cena e, assim, passou a atuar e ganhar a vida como fotógrafo, mas sem nunca perder o foco de seu sonho de criança, de ir muito mais além. 
Câmera fotográfica,comprada por um irmão mais velho de Josimar em 1980
Nos idos de 1990, o jovem sonhador, acostumado com as matas e babaçuais da Mata do Japão, se depara com a selva de pedras de São Paulo-SP e com todas as dificuldades de uma metrópole, especialmente, para um filho de Nordeste brasileiro, que via os melhores empregos serem ocupados por quem detinha um alto grau de escolarização ou uma forte rede de amizade. Como não era o seu caso, depois de um tempo desempregado, trabalhou como faxineiro, cobrador de ônibus, porteiro. Contudo, durante seu vivencia na Terra da Garoa, teve condições de comprar uma câmera Kodak, com a qual passou a exercitar ainda mais o ofício, bem como de participar cursos e palestras sobre fotografia, nas quais adquiriu mais conhecimentos na área. 
Câmera fotográfica adquirida por Josimar em 1991, quando residia em São Paulo-SP

No ano de 2000, devido a problemas de saúde de sua mãe retornara ao Socorro, onde continuou fazendo fotografias. Mas foi com uma câmera digital de 8 megapixel adquirida em 2007, que fez seu primeiro filme – “É de mermo mermo”, em 2010. Na época, por falta de conhecimento técnico, o trabalho, não teve qualquer edição. No entanto, o espírito determinado e perseverante do futuro cineasta só aumentava. 
Câmera digital de propriedade de Josimar Gonçalves. Com ela fora gravada as cenas do filme "É de mermo mermo", em 2010. Abaixo, uma cena(clique e assista)


Entretanto, em 2012, para lançar o Trumento II, buscou apoio técnico de profissionais do Estúdio Layson da cidade de Presidente Dutra-MA, que realizou uma edição de ótima qualidade para os padrões de então, sendo bastante elogiado. Eufórico e empolgado com a repercussão positiva, Josimar compra seu primeiro computador e mesmo sem qualquer conhecimento básico em informática, passou a se familiarizar com os hardwares e softwares, especialmente, programas de edição de vídeos e imagens. 

Filmadora utilizada para gravar as cenas dos filmes Zé Budega, Prefeito Zé Budega e o Trumento do Pardal

Também foi em 2012 que comprou outra filmadora Full HD, que deu vida ao enredo de Zé Budega (2013), desta vez, lançando mão de seus conhecimentos em produção e edição. No ano seguinte, deu continuidade com O Prefeito Zé Budegae, em 2017, com o Trumento do Pardal. 
Quando instalou internet, em sua residência, no ano de 2013, passou a pesquisar com muito mais afinco sobre mídias, técnicas e tecnologias relacionadas a produção e edições, além de outras temáticas relacionadas. Portanto, um autodidata forjado pelo sonho de ser e de valorizar a cultura. 

Naquele período, o menino sonhador já se fizera um homem mais abalizado nos meandros da vida e, de modo algum, o esposo de Marly Costa e o pai de Ernesto e Olga, deve ser reduzido a alguém que simplesmente acompanhou e se tornou produto do universo midiático configurado pelas novas tecnologias do mundo contemporâneo mais recente. O nosso Cineasta da Mata do Japão é, sobretudo, um humanista, que transpira cultura. Trata-se de um nativista genuíno; um ativista cultural; um restaurador de documentos históricos; um investigador nato do passado de sua gente e que diuturnamente, ao longo de sua trajetória de vida, tem contribuído para o resgate, o arquivamento e a conservação da memória local e de toda e qualquer forma manifestação da cultura popular. E é justamente, a partir dessa matéria: das histórias, das tradições, dos contos pitorescos, dos costumes, da linguagem simples e peculiar do povo sofrido, das manifestações e ritos, dos sujeitos históricos que protagonizaram/protagonizam a vida do povoado, município e região, que Josimar Gonçalves, se fez – o Cineasta. 
Sua saga como produtor cinematográfico se iniciou com“É mermo mermo” (2010); posteriormente lançou O TrumentoI (2011); O TrumentoII (2012); Zé Budega (2013); O Prefeito Zé Budega (2014); O Trumento do Pardal (2017).
Em suas produções, apesar de suas criativas doses de ficção, o Cineasta procura, fundamentalmente, se basear em fatos reais vivenciados pela comunidade para dar vida a personagens e roteiros, regados com muito humor. Além de abordar problemáticas vivenciadas pela comunidade ante aos desafios do mundo contemporâneo e de possibilitar, por meio de uma linguagem simples e apoio voluntarioso da comunidade do povoado do Socorro, uma análise crítica das demandas e das relações sociais na atualidade, embora com parcos recursos financeiros e materiais. 

Apesar das dificuldades, da falta de apoio financeiro e institucional, seu trabalho tem ultrapassado as fronteiras do Maranhão e até do país. Suas produções foram expostas em vários municípios maranhenses, além de unidades da federação, a exemplo do estado de São Paulo, no qual seus filmes estiveram em cartaz por 30 dias em 2013, sendo exibido no Centro Tradicional Nordestino, no bairro do Limão, zona norte, que tem como público principal, a comunidade nordestina naquele estado, período em que seu trabalho foi assistido por mais de 20 mil pessoas. Além disso, seu canal no You Tube já contabiliza mais de 13 milhões e mais de 35 mil inscritos (link, no final do texto). Uma proeza de quem conta com uma câmera e um elenco voluntário constituído por membros da própria comunidade. Pessoas simples, humildes, mas que devido ao carisma e persuasão do abnegado Cineasta, abraçaram a ideia de representar e produzir cultura. 
Crianças no bucólico povoado do Socorro
Diante do exposto, é evidente a importância de Josimar Gonçalves para a cultura do município de Governador Eugênio Barros e região, e, portanto, muito digno e merecedor de respeito e reconhecimento, posto que, seus trabalhos são expressão de seu profundo conhecimento da vida simples e rica de nosso povo, de sua sensibilidade, criatividade e desejo sincero de fazer – de valorizar sua gente
Moradores do povoado Socorro, Governador Eugênio Barros-MA, debulhando feijão.
A vida simples, o cotidiano, as atividades laboriosas são registradas pelas lente de Josimar Gonçalves

Assim sendo, o Blog Ecos de Tuntum reverencia e apresenta esse discípulo dos irmãos Lumière, desejando-lhe sinceros votos de felicidade e sucesso nos futuros trabalhos em prol da cultura do distrito do Socorro, Eugênio Barros e do centro-maranhense. Logo, não há exagero em dizer que Josimar Gonçalves, o Cineasta, personifica muito bem o sentido da frase: Luz, câmera, ação! 

Claquete de cinema. Apenas ilustrativo

Uma vez que detém: 
A luz do conhecimento buscado, colhido, construído da cultura popular;
A câmera que focaliza e apresenta a essência dos ritos e manifestações da gente deste sertão;
A ação de quem com o claquete e a “batuta” da ousadia, orquestra cenários encantadores, que ecoam as antes silenciadas vozes e eternizam os ignorados protagonistas de outrora desta parte do Maranhão. 

Então... 
Atenção! 
LUZ, CÂMERA, AÇÃO!!!

Link para a página de Josimar Gonçalves no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCMM7BVMieQ626NLrhNKOXfA


Jean Carlos Gonçalves é professor da rede estadual de ensino do Maranhão, poeta,  historiador, pesquisador e administrador do Blog Ecos de Tuntum.

O NOME DO GOLPE


Manuel Domingos Neto

Quem pensa em poder, ou pensa na força ou devaneia. Estado é força que se exerce sobre a sociedade.

O militar sempre foi peça chave aqui ou em qualquer lugar.

No Brasil, a força está essencialmente no Exército. O restante do aparato o acompanha, nem sempre concordando com tudo.

Assim, na República, o cargo decisivo é o de comandante do Exército.

Ao longo dos anos, Villas Boas afirmou "ad nauseam": a intervenção do militar na política não fez bem ao Brasil nem à Corporação; fomos impelidos pela "guerra fria", guerra que não era nossa.

Respirei aliviado quando esse homem assumiu o comando do Exército. O fato de Leal Ferreira assumir o comando da Marinha seria uma garantia extra.

Estaríamos livres de aventuras de homens armados, pagos pela sociedade, majoritariamente conservadores e sempre apavorados com o espectro do comunista: seriam reprimidos e a Constituição respeitada.

Quando, no primeiro semestre de 2018, surgiram indícios de que líderes militares "assessoravam" Bolsonaro, fiquei na ilusão de que Villas Boas daria um "deixa disso".

Ledo engano, o democrata ajuizado sumira como que por encanto. Sua ordem fora: "prossigam".

Só aí compreendi o antigo cuidado do Comandante em acompanhar de perto o Supremo até o ponto de tê-lo sob as mãos. E, também, o fato de nunca tomar como ofensa os apelos de golpistas por uma "intervenção militar". Mais ainda, o fato de não prender generais que perdiam a compostura.

Caí na real quando Villas Boas reativou as comemorações da "Intentona Comunista".

Hoje, analistas de espírito democrático tentam encontrar designações para o golpe. A mais comum talvez seja "golpe jurídico-midiático".

Quando tivermos o devido distanciamento histórico e os fatos forem melhor vasculhados, a ruptura do processo democrático poderá ser designada como "golpe militar travestido".

Leal Ferreira e Rossato, ao deixarem os comandos da Marinha e da Aeronáutica, agradeceram à Dilma suas nomeações. Villas Boas, também obedeceu o protocolo. Mas, de fato, não via ninguém acima de si mesmo. Não tinha a quem agradecer de coração.

Bolsonaro é quem assumiu a presidência agradecendo publicamente à Villas Boas.

Hoje, o arquejante general, quem sabe, tenha que agradecer mesmo à alguém. Mostrando sua dimensão moral, terminou de pegar uma boquinha: a de "consultor" de Augusto Heleno, no GSI, bem pertinho do gabinete presidencial.

Manuel Domingos Neto é historiador, pesquisador e ex-deputado federal do Piauí(PCdoB).

Toffoli revoga decisões que poderiam destinar bilhões da educação básica para advogados




O presidente do Supremo Tribunal Federal ( STF ), ministro Dias Toffoli , suspendeu nesta sexta-feira decisões judiciais que autorizavam escritórios de advocacia a receberem, a título de honorários, recursos que deveriam ser destinados à educação básica. A Justiça reconheceu que a União deixou de repassar ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) parte dos recursos devidos. A partir dessa decisão, municípios passaram a contratar escritórios de advocacia para liberar o dinheiro. Como honorários, as bancas recebem entre 20% e 30% do valor que deveria ser repassado integralmente às administrações municipais.

Ao todo, 3,8 mil municípios, em 19 estados, têm direito a receber R$ 90 bilhões, quantia referente à diferença que a União deixou de repassar ao antigo Fundef. O dinheiro passado às bancas de advogados poderia variar de R$ 18 bilhões a R$ 27 bilhões. Agora, o dinheiro deverá ser destinado integralmente à educação básica.

Toffoli tomou a decisão a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Em ação apresentada em dezembro ao STF, Dodge afirmou que o dinheiro deve ser usado exclusivamente em educação básica, e não para custear honorários. No pedido, a procuradora-geral não especifica quantas decisões em todo o país autorizaram os escritórios a receber honorários referentes a parte do dinheiro do Fundeb.

Garantia constitucional

A briga começou quando o Ministério Público Federal entrou com uma ação na Justiça para garantir os repasses. A decisão judicial favorável transitou em julgado, ou seja, não cabem mais recursos. Os valores foram revertidos em precatórios, que são dívidas judiciais do poder público. Desde então, começou a ofensiva de escritórios de advocacia para representar os municípios interessados em receber os valores correspondentes aos precatórios.

Em agosto de 2018, o Tribunal de Contas da União (TCU) detectou que, até então, R$ 8,5 bilhões haviam sido efetivamente depositados nas contas de 329 municípios de 12 estados. Uma ampla auditoria teve início naquele momento para verificar se parte desse dinheiro – entre R$ 1,7 bilhão e R$ 2,5 bilhões – havia sido depositada na conta de escritórios de advocacia. Um julgamento no plenário do TCU em 2017 considerou ilegal e inconstitucional o pagamento de honorários com dinheiro da educação básica.

Em outubro de 2018, a Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que o dinheiro equivalente à diferença do Fundeb não pode custear honorários advocatícios. Os recursos têm natureza constitucional e devem ser usados exclusivamente em educação básica, conforme a decisão do STJ.

Foco no Nordeste
A ofensiva de escritórios de advocacia para representar as prefeituras e assegurar os repasses do Fundeb — convertidos em precatórios — se dá principalmente na região Nordeste, como revelaram reportagens publicadas pelo GLOBO. Em agosto de 2017, o TCU já havia detectado que um único escritório arregimentou mais de cem prefeituras no Maranhão e poderia faturar R$ 1,4 bilhão. Na ocasião, um acórdão proibiu as contratações.

“Decisões judiciais autorizando o destaque de honorários advocatícios contratuais nos precatórios causam risco de grave lesão à ordem e à economia públicas, porquanto permitem que verbas estritamente vinculadas aos gastos em educação sejam aplicadas em finalidade diversa daquela prevista na Constituição Federal”, argumentou Dodge na ação ajuizada em dezembro no STF. “A gravidade e urgência da situação, que compreende a possibilidade de desvio de finalidade na aplicação de verba bilionária destinada à educação, exige e justifica a intervenção dessa Suprema Corte”, concluiu.

A procuradora-geral citou no pedido enviado ao STF o caso de um convênio assinado entre a prefeitura de Tianguá (CE) e a associação de municípios do Ceará, com o objetivo de liberar os precatórios do Fundeb. Pelo convênio, foram subcontratados escritórios de advocacia, com honorários previstos de R$ 12,6 milhões. O MPF ingressou com ação para tentar bloquear esse pagamento.

“O exemplo evidencia a necessidade de concessão imediata de ordem suspensiva da eficácia de todas as decisões proferidas em primeiro grau, e já confirmadas pelos Tribunais Regionais Federais”, argumentou Dodge no pedido feito ao STF. (O Globo)

Blog do John Cutrim/Jornal Pequeno

FLÁVIO DINO: HÁ RISCO DE GUERRA CONTRA VENEZUELA POR CAUSA DO PETRÓLEO

247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou sua conta no Twitter, neste sábado (12), para alertar sobre a possibilidade real de uma guerra contra a Venezuela e clamar para que o Brasil atue pela paz -na contramão da conduta do governo Bolsonaro. O motivo da guera está claro, segundo ele: "por causa de acesso a petróleo, querem transformar a Venezuela na nova Síria". O governador do Maranhão critica a política de Ernesto Araújo, chanceler de Bolsonaro indicado por Olavo de Carvalho. "Como a Venezuela é colada no Brasil, manda o bom senso que estimulemos soluções pacíficas, não guerras", destaca.

Por causa de acesso a petróleo, querem transformar a Venezuela na nova Síria. Ou seja, um conflito “interno” mas, na verdade, protagonizado pelas maiores potências do mundo. Como a Venezuela é colada no Brasil, manda o bom senso que estimulemos soluções pacíficas, não guerras

205 pessoas estão falando sobre isso

O alerta de Dino vai choca-se uma série de ações adotadas pelo governo do capitão reformado.

O governo brasileiro passou a reconhecer, como governo da Venezuela, a Assembleia Nacional do país, eleita em 2015 e oposicionista e não a posse de Maduro como presidente. Essa posição foi anunciada em nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores na quinta-feira (10). 

O governo também articula, através da Organização dos Estados Americanos (OEA) e Grupo de Lima, diversas sanções contra o País vizinho, atendendo aos interesses dos EUA. 

Eduardo Bolsonaro já declarou guerra à Venezuela

Apesar de ser desmentido pelo pai, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, que visita frequentemente a Casa Branca, fez uma declaração de guerra à Venezuela durante o período eleitoral: "O [Nicolás] Maduro não vai vir para a posse no dia 1º. E o general Mourão já falou. A próxima operação de paz do Brasil será na Venezuela. Vamos libertar os nossos irmãos da fome e do socialismo. A melhor solução para a crise migratória que nós tivemos é a saída de Maduro do poder", disse.

“Aluno nota 10”: exemplo da sociedade ao governo

Por Marcelo Auler, em seu blog e para o Jornalistas pela Democracia - Enquanto os novos governantes, a começar pelo capitão eleito Jair Bolsonaro e seu ministro da Educação, o filósofo colombiano e professor de escola do Exército Ricardo Vélez Rodríguez, perdem tempo insistindo em defender o malfadado projeto de “Escola sem partido”, já devidamente enterrado na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, parte da sociedade brasileira no interior do país se movimenta em favor da educação. Especialmente da educação pública.

Um exemplo vem de Morro do Chapéu, município baiano na Chapada da Diamantina, a 384 km a noroeste da capital do estado, com 36 856 habitantes (censo de 2014). Na última sexta-feira de novembro (30/11) parte da população da cidade parou por conta da festa de entrega do chamado “Oscar da Educação Morrense”.

Oficialmente batizado como “Projeto Aluno Nota 10”, o programa, com 11 anos (foi criado em 2007), surgiu e persiste graças à iniciativa de Luciano Martinho Barreto, 39 anos. Formado em administração de empresas, ele se destaca na cidade como o dono da padaria Casa do Pão e o idealizador do projeto.

“A ideia surgiu através de um diálogo com uma criança, em 2007, que veio à loja para comprar pão. Brincando, questionei: ‘Está estudando? Tem que estudar para dar alegria a papai, a mamãe, ao vovô e à vovó no final do ano”, recorda-se.

Sua iniciativa tem por objetivo algo que deveria ser a preocupação dos governantes: incentivar o estudo por alunos de diversas idades, em especial de escolas públicas (incluindo os da zona rural), sem deixar de beneficiar também, separadamente, alunos de algumas escolas particulares.

Com o apoio dos colegas do comércio da cidade – em 2018 foram 82 patrocinadores -, distribui prêmios tais como tablets, notebooks, passando por bicicletas, valores em dinheiro, curso de inglês e até mesmo tratamentos dentários. Entrega-os aos alunos que mais se destacaram no ano anterior.

Em um único ano, 2017, a premiação não foi realizada, segundo ele, por conta da crise econômica. Nas suas dez versões, o Projeto Aluno Nota 10 premiou mais de 500 estudantes.

(...)

A questão é que, como ficou claro, se o incentivo dos comerciantes é uma força para que jovens se interessem pelos estudos, ele sozinho não resolverá o problema que é muito mais amplo. Passa pela rediscussão do papel da escola. Não pelo projeto Escola Sem Partido, que o novo governo e seus aliados insistem em manter. Mas, como diz a carta das escolas construtivistas, passa obrigatoriamente por um projeto que vise “resgatar a qualidade do nosso ensino”.

De qualquer maneira, a sociedade brasileira, como mostra o Projeto Aluno Nota 10, já vem se mobilizando a favor de uma educação escolar democrática e de qualidade. Que assegure não só o acesso ao ensino, mas a permanência dos estudantes – em especial nas escolas públicas. Falta o governo arregaçar as magas.

Leia o texto na íntegra no Blog de Marcelo Auler.

PSB decide não apoiar Rodrigo Maia

Rodrigo Maia não terá o apoio do PSB entre os vários partidos que o apoiam na disputa pela presidência da Câmara. Em reunião nesta quinta-feira, 10, em Brasília, que reuniu os 22 parlamentares eleitos para a próxima legislatura, apenas um peesebista quis apoiar o democrata.

O líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar (PE), disse que a entrada do PSL no bloco que irá votar em Maia foi decisivo para tirar o PSB.

“Quando Maia não era visto como um candidato do governo, isso era um ativo dele. Mas, no momento em que o partido do presidente aderiu à chapa de Maia, sua chapa passou a ser identificada com a agenda do governo”, disse.

A sigla agora aguarda decisão do PDT e do PCdoB, que formam em conjunto um bloco de oposição, para decidir qual será o candidato do grupo ao cargo. Já Maia, mesmo sem o PSB, caminha a passos largos para permanecer como presidente da Câmara.

O PSB terá na próxima legislatura o deputado maranhense Bira do Pindaré, aliado de primeira hora do governador Flávio Dino (PCdoB).

Fonte: Blog da Sílvia Tereza

FLÁVIO DINO: SEM MÉDICOS CUBANOS, ATENÇÃO BÁSICA VAI PIORAR MUITO

REUTERS/Adriano Machado
247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse em sua conta no Twitter nesta quinta-feira (10), que espera que o Governo Federal consiga suprir a ausência deixada pelos médicos cubanos que deixaram o programa Mais Médicos. Para o comunista, sem a reposição adequada, o atendimento médico para quem mais precisa irá piorar.

"Muito importante para a população que o Programa Mais Médicos consiga repor todos os profissionais suprimidos com o fim da parceria com a República de Cuba. Sem os médicos cubanos, ou outros profissionais, a Atenção Básica à população vai piorar muito", disse o governador.

Muito importante para a população que o Programa Mais Médicos consiga repor todos os profissionais suprimidos com o fim da parceria com a República de Cuba. Sem os médicos cubanos, ou outros profissionais, a Atenção Básica à população vai piorar muito

80 pessoas estão falando sobre isso