Pages

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Renda no Maranhão é ainda mais baixa do que se pensava


Maranhão da Gente

O jornal Folha de S.Paulo publicou neste sábado (27) uma reportagem mostrando que a renda média do Maranhão é ainda mais baixa do que havia sido divulgada pelo IBGE. A correção só aconteceu no mês passado, agosto.

A reportagem afirma que o IBGE cometeu um erro na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgada no ano passado. Uma falha na apuração da renda de uma família no Maranhão elevou o rendimento por morador nos lares do país em R$ 2. Nos dados do Estado, o erro gerou uma discrepância de R$ 75.

A falha foi descrita à Folha pelo pesquisador da USP Rodolfo Hoffman. Os técnicos só se deram conta do erro em agosto, quando foram checar novamente os dados.

O problema é que, em 2012, o IBGE computou que três pessoas que moravam numa mesma casa, no Maranhão, tinham –cada uma delas– um rendimento de R$ 220 mil por mês. Ao todo, a renda da casa somava R$ 660 mil mensais.

“O número soa extraordinário para um Estado cuja renda média por habitante com mais de 10 anos é de R$ 625, segundo a última Pnad, do IBGE. Esse único domicílio puxou a renda média por morador de todos os domicílios do Maranhão de R$ 423 para R$ 498, calcula Hoffman”, diz a Folha. Ou seja, uma diferença de R$ 75.

Segundo a Folha, a entrevista foi feita por um funcionário temporário do IBGE.

Miranda do Norte acolhe Bira do Pindaré e Flávio Dino


bira do pindare
O deputado estadual e candidato à reeleição Bira do Pindaré (PSB) e o candidato a governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) foram acolhidos, neste último fim de semana, por moradores de Miranda do Norte, durante a carreata da coligação “Todos pelo Maranhão”.

No olhar e nos aplausos de cada mulher e de cada homem, entre declaração de votos e abraços, era possível notar o desejo de mudar a realidade do município e do Maranhão a partir do trabalho de homens sérios e comprometidos em melhorar a vida da população.

“Por isso, é Bira do Pindaré na Assembleia Legislativa e Flávio Dino no governo do estado para o Maranhão vencer”, declarou Eraldina, liderança da região. ​

Do Marrapá

ATUAÇÃO DE FLÁVIO LEVOU MAIS ESPORTE E LAZER PARA A JUVENTUDE

quadra_acailandia
O compromisso de um deputado federal também inclui atenção a políticas e medidas específicas para a juventude. Foi assim que Flávio Dino atuou quando exerceu mandato na Câmara dos Deputados, entre 2007 e 2010.

Flávio destinou emendas parlamentares para mais de 30 obras relacionadas ao esporte no Maranhão. Isso significa verbas para obras e projetos.

Uma dessas emendas foi para a cidade de Açailândia. Ele enviou R$ 100 mil para a construção de quadra poliesportiva no município de Açailândia. A emenda teve o objetivo de estimular o convívio social a partir das práticas esportivas.

“O incentivo à prática esportiva está diretamente relacionado a questões sociais, quando o esporte é aporte para outras políticas públicas, como saúde, segurança, convivência comunitária, difusão da cultura da paz e direitos humanos”, afirmou Flávio Dino.

“Vamos votar com consciência, paz e amor no coração”, conclama Dilma


Neste domingo (28), realizou-se na Rede Record o penúltimo debate na TV antes das eleições de 5 de outubro. Novamente a presidenta e candidata à reeleição Dilma Rousseff foi alvo de ataques grosseiros e caluniosos pelos demais candidatos. Dilma se mostrou firme e coerente, na defesa de suas propostas e posições.

Reprodução


Dilma se mostrou firme e coerente, na defesa de suas propostas e posições

Logo na abertura do debate, Dilma defendeu o direito à previdência social e apresentou o que seu governo já fez para o crescimento da cobertura aos inativos. “Aumentamos muito a cobertura previdenciária no Brasil: passamos de 37 milhões de pessoas para uma cobertura de quase 67 milhões”. Hoje, 67% dos aposentados que estão na faixa de benefícios de um salário mínimo, tiveram aumento real (acima da inflação) de 71% nas suas aposentadorias de 2003 até 2014. “É muito importante assegurar esse que é um dos maiores patrimônios do povo brasileiro: o direito à previdência”, afirmou.

CPMF

Na primeira oportunidade, Dilma indagou a candidata Marina Silva (PSB) sobre seu voto contrário à CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), um tributo cuja destinação exclusiva era o financiamento à saúde. No último debate a candidata do PSB afirmou que tinha votado a favor da contribuição. Dilma apontou que na realidade Marina votou contra. “Me estarrece que a senhora não se lembre de que votou quatro vezes contra a CPMF”, disse a presidenta. E agregou: “Governar requer firmeza, coragem, posições claras e atitude firme. Não dá para improvisar”, disse Dilma.

Corrupção e crime organizado

Dilma reafirmou sua posição sobre o tema: “Ao longo da minha vida tenho tido tolerância zero com a corrupção. Não varro nada para debaixo do tapete”.

“Pretendo mudar as regras jurídicas de forma que o Governo Federal possa atuar no combate ao crime. Esse combate é essencial. O crime atua coordenadamente, enquanto as forças de Segurança atuam de forma desorganizada. O Governo Federal quer modificar esse quadro criando Centros de Comando e Controle em cada estado. Só assim combateremos o crime organizado”, disse Dilma, ao lembrar que é a única candidata que apresentou cinco propostas concretas de combate à impunidade.

Petrobras

“Dei autonomia à Policia Federal para prender o senhor Paulo Roberto [Costa] e os doleiros todos, o que não acontecia nos governos anteriores [do PSDB]. Defendo a apuração dos atos de corrupção para fortalecer a Petrobras, e não para enfraquecê-la, tornando álibi de uma privatização”. Eu combato a corrupção para fortalecer a Petrobras. “Vocês usam as denúncias para enfraquecê-la.”

Privatização da Petrobras

A presidenta lembrou o discurso de Aécio Neves na Câmara dos Deputados, em 1997, em que defendia que chegaria a hora de privatizar a Petrobras. Dilma perguntou ao candidato se está no radar privatizar a estatal, mas o candidato tucano se esquivou da pergunta. E Dilma alfinetou: “Aécio, é eleitoreiro dizer que vai reestatizar a Petrobras, vocês que venderam parte das ações a preço de banana e quiseram tirar o “bras” [do nome] para vendê-la para os estrangeiros”.

Economia

Em outro momento, Dilma retrucou Aécio ao falar do desempenho da economia no governo tucano e disse que “o povo tem memória e se lembra de que vocês [durante o governo de Fernando Henrique Cardoso] quebraram o Brasil por três vezes, praticaram as maiores taxas de juros da história”. A presidenta lembrou que em determinado momento a taxa de juros foi de 45 por cento, enquanto seu governo reduziu as taxas de juros. “Hoje elas são as menores da história, a taxa de desemprego naquele tempo era de 11,7%”, rememorou Dilma.

Direitos humanos

A candidata Dilma também defendeu os direitos humanos. “Quando questionada sobre a diminuição da maioridade penal, Dilma disse que “a melhor solução para os menores é punir a quadrilha que usa os menores para diminuir suas penas”.

Compromisso com os trabalhadores

Em suas considerações finais, Dilma reafirmou que preparou o Brasil para um novo ciclo de desenvolvimento e instigou todos à reflexão sobre quem tem experiência para mudar mais, e compromisso verdadeiro com os trabalhadores.

“No próximo domingo vamos às urnas para decidir o que queremos para o futuro do Brasil. Nesse momento, todos devem se perguntar quem tem mais capacidade e experiência para manter o que conquistamos, mudar o que é preciso e fazer mais. Quem tem força e apoio político para fazer as reformas que o Brasil exige. Quem enfrentou a pior crise internacional, aumentou empregos, salários e investimento. Quem tem firmeza para projetar o Brasil no cenário mundial. Quem preparou o Brasil para novo ciclo de desenvolvimento, com emprego e salário adequado e colocando educação no centro de tudo. Reflita sobre todas as questões, e você vai fazer a melhor escolha. No próximo domingo, vamos votar com consciência, paz e amor no coração. Humildemente peço seu voto. Muito obrigada por tudo”.

Alvo de ataques, a presidenta Dilma Rousseff solicitou quatro vezes direito de resposta, dentro das regras do debate. Foi atendida apenas uma vez. Em coletiva após o debate dos presidenciáveis, a presidenta Dilma disse que gostaria de ter mais tempo para responder aos questionamentos e acusações dirigidos a ela: “Fui o centro do debate”. Era muito justo que a mim dessem o direito de responder as críticas feitas.

Da redação do Portal Vermelho

Editorial: Flávio Dino e Dilma Rousseff para sermos felizes

Por Emerson Araújo

Nunca escondemos de ninguém a simpatia eleitoral e a aproximação ideológica com as candidaturas de Flávio Dino ao Governo do Maranhão e Dilma Rousseff à Presidência do Brasil no dia 05 de outubro próximo. E as razões são diversas para a escolha dos dois nomes para os cargos epigrafados.

Flávio Dino - Governador do Maranhão

Alçar o nome de Flávio Dino ao Governo do Maranhão como opção eleitoral além da aproximação ideológica com o candidato das massas populares maranhenses houve,  também,  um compromisso político com o Prefeito de Tuntum Cleomar Tema,  nosso amigo,  que de maneira corajosa assumiu esta candidatura desde a primeira hora por ela possibilitar em curto, médio e longo prazos mudanças estruturais profundas  para o município e toda a região central do Estado no incentivo às políticas públicas de caráter popular que a oligarquia Sarney em mais de cinquenta anos de mando e desmando não conseguiu implementar para o nosso povo.

 Votar em Flávio Dino -  Governador do Maranhão no próximo dia 05 de outubro, ainda, expressará a convicção de que a terra das palmeiras não será mais a mesma e nem o seu povo amargará mais os piores índices sociais do mundo  na educação, saúde, segurança, infra estrutura, meio ambiente, emprego, geração de rendas por falta de políticas públicas consistentes e que transformarão radicalmente a vida dos pobres nas diversas regiões do Estado.

Flávio Dino no Governo do Maranhão, a partir de janeiro de 2015,  impulsionará a felicidade, o sorriso e a alegria de ser maranhense novamente, por isso a certeza do voto no cavaleiro da esperança do nosso povo.

Dilma Rousseff – Presidenta do Brasil  novamente

Continuar votando em Dilma Rousseff no dia 05 de outubro próximo, além do sentimento histórico de ter ajudado a fundar o PT no Piauí (hoje estamos sem partido) no início da década de oitenta, existe o reconhecimento, sem paixões, dos avanços sociais que os governos petistas(Lulla e Dilma) trouxeram para as camadas pobres da sociedade brasileira na educação, na saúde, infra estrutura, emprego, geração de renda, transferência de rendas(Bolsa Família), controle da inflação, no acesso aos bens de consumo e no  combate cotidiano a corrupção, cortando na própria carne os corruptos e os  corruptores que tiveram desvio de conduta no cerne do governo ou fora dele.

Ter coragem de votar em Dilma Rousseff para Presidenta do Brasil no dia 05 de outubro próximo é ter  a certeza da continuidade de políticas públicas para os pobres mais uma vez e cada melhor, corrigindo os erros anteriores e prosseguindo de maneira contínua e fazendo mais para um país melhor e feliz sem apostar em aventuras e posições políticas obscuras e estranhas.

Flávio Dino e Dilma Rousseff para sermos felizes

Marcar nas urnas, no Maranhão e, em Tuntum,  Flávio Dino e Dilma Rousseff no dia 05 de outubro próximo será, com certeza, a chance de sermos felizes nos próximos quatro anos.

No penúltimo debate, Dilma parte para o ataque

Debate na Record
No penúltimo encontro entre os candidatos à Presidência da República, a presidenta Dilma Rousseff partiu para o ataque contra seus adversários. Alvo de críticas por conta de sua gestão no Planalto, como já era esperado para o debate, a candidata à reeleição pelo PT não se furtou de ser combativa no encontro promovido pela TV Record neste domingo 28.

Ao desenterrar um discurso de Aécio Neves (PSDB) de 1997, quando ele ainda era deputado federal, Dilma lembrou da fala na qual o tucano defendia a privatização da Petrobras. “Em seu discurso na Câmara em março de 1997, o senhor falou em privatizar a Petrobras. Quais as privatizações que estão no radar?”, questionou a presidenta.

Aécio negou a intenção de privatizar a estatal hoje, mas disse ter planos para o futuro da empresa. “Eu tenho sido claro: nós não vamos privatizá-la, mas vou reestatizá-la. Vamos tomar das mãos desse grupo político que tomou a empresa e está fazendo negócios com ela há 12 anos”, afirmou. “É vergonhoso. As denúncias não cessam. E não há um sentimento de indignação por parte da senhora. Esta indignação que está faltando”. Ao que a presidenta respondeu: “Eu registro que os senhores foram sempre favoráveis a uma relação com a Petrobras de privatização. É eleitoreiro dizer que vai reestatizar. Tentaram tirar o nome “Bras” para vender mais fácil no exterior. Venderam parte dela a preço de banana”.

Logo no início do debate, Dilma escolheu a ex-senadora e ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PSB) para perguntar: “Candidata, a senhora mudou de partido quatro vezes nesses três anos. Mudou de posição em temas como CLT, homofobia e pré-sal. Qual foi mesmo o seu voto como senadora na questão da CPMF?”.

A ex-PT e PV se irritou com a pergunta e disse: “Mudei de partido para não mudar de ideais. Naquela oportunidade, tanto na comissão quanto no plenário voltei favorável, sim. Eu e o senador Eduardo Suplicy. Eu não faço oposição por oposição, sei o que é melhor para o Brasil”. A resposta de Marina foi automaticamente contestada por Dilma: “Não entendo como pode esquecer que votou quatro vezes contra a criação da CPMF. Atitudes como essa produzem inseguranças. Governar o Brasil requer firmeza”.

Depois de dizer que lembrava-se de ter votado a favor, a candidata pelo PSB criticou a política de biocombustíveis do governo atual e falou em 70 usinas fechadas, 40 em recuperação e 60 mil empregos perdidos. “A política de etanol do meu governo é baseada naquilo que você é contra: subsídio. Temos isso através de desoneramento. E temos um conjunto de medidas para reforçar o setor de etanol”, disse Dilma.

Ao responder sobre criminalidade, Dilma elogiou a integração das polícias durante a Copa do Mundo, apesar de as forças de segurança terem ficado marcadas pela dura repressão aos manifestantes durante o Mundial.

Ao longo do primeiro bloco, Dilma pediu quatro vezes direito de resposta, sendo um quando Marina Silva citou seu governo ao questionar Aécio Neves sobre política energética e outro em resposta ao Pastor Everaldo (PSC), que criticava a política econômica do governo. A televisão negou três dos quatro pedidos. Nos 30 segundos que lhe foram concedidos, Dilma disse que demitiu o ex-diretor de abastecimento da empresa Paulo Roberto Costa, e que a Polícia Federal do seu próprio governo o investigou. Aécio Neves, no entanto, lembrou que a Polícia Federal tem prerrogativas para isso e não precisa da ordem do chefe do Poder Executivo para fazê-lo.

Marina Silva também requereu um pedido de resposta após Eduardo Jorge dizer que a ex-ministra do Meio Ambiente havia saído do PV em uma disputa de poder pela direção do partido. A Rede Record negou o pedido da candidata.

Em alguns momentos, Aécio Neves e Marina Silva pareciam dispostos a se unir contra Dilma no debate, especialmente quando o tema era energia. Depois de Marina criticar o excesso de improviso, a falta de planejamento e o gasto de bilhões com termoelétricas, o candidato pelo PSDB disse: “Candidata Marina, nós concordamos com a senhora na necessidade de diversificação da matriz energética”. Aécio, entretanto, procurou se diferenciar da candidata do PSB ao lembrar o passado petista de Marina.
levy-luciana-genro-debate-record (3).jpg
Foi o candidato do PRTB, Levy Fidelix, no entanto, o protagonista de um dos momentos mais polêmicos do debate. Ao falar sobre união entre homossexuais, Levy Fidelix disse que “aparelho excretor não reproduz” e que é necessário “enfrentar” essa minoria. O candidato do PRTB fez uma série de afirmações homofóbicas ao responder questão da candidata do PSOL, Luciana Genro. Ele disse que “dois iguais não se reproduzem” e que o Brasil diminuiria de tamanho caso essa prática fosse "estimulado".

Levy Fidelix criticou ainda a falta de estrutura das Forças Armadas brasileiras e acusou o governo federal de deixar o território desprotegido em meio a “ameaças” como o narcotráfico, “países bolivarianos” e “guerrilhas”.

Em resposta a Levy Fidelix, o Pastor Everaldo disse ainda que pretende dar maiores condições para as Forças Armadas, além de colocar “um oficial de alta patente como ministro da Defesa”.

Candidato à Presidência pelo PV, Eduardo Jorge teceu duras críticas ao programa Mais Médicos, do governo federal, ao reclamar da falta de formação de médicos no País e comparar as condições de trabalho dos médicos cubanos a “semi-escravidão”. Ele também lembrou que o PT foi a favor do fim da CPMF. Jorge criticou ainda as semelhanças entre as propostas do PSB, PT e PSDB. “Sinceramente, tem que olhar com uma lupa para conseguir ver a diferença”.

CartaCapital

Grave: Reunião de secretários no Palácio dos Leões definiu estratégias para reverter derrota de Lobão Filho


Jornal Pequeno
Chefe da Casa Civil comandou reunião com a cúpula do governo Roseana Sarney para tentar reverter derrota de Edinho Lobão.

“Não há compra de votos que resolva Pedrinhas”. Esta foi uma das várias afirmações feitas em reunião do Conselho de Gestão Pública do Estado do Maranhão na última segunda-feira. A reportagem do Jornal Pequeno teve acesso a trechos do diálogo que aconteceu na presença de boa parte do secretariado de Roseana Sarney no início da semana. A frase acima foi dita pela chefe da Casa Civil, Anna Graziella.

Em reunião do Congep, secretários do Governo do Estado discutiram as táticas que pretendem adotar para reverter o baixo índice nas pesquisas do candidato apoiado pela governadora Roseana Sarney, o suplente de senador Lobão Filho – ambos do PMDB.

Após receberem o resultado da pesquisa Ibope que apontou crescimento de Flávio Dino e queda de Lobão Filho, os secretários se reuniram para definir que ações seriam tomadas para reverter o quadro eleitoral do Maranhão.

A reunião, no entanto, é de um órgão governamental e acontece em horário de expediente. Para participar desta reunião, os secretários recebem um abono do salário – chamado “jeton” – equivalente ao valor do salário de Secretário de Estado. Com ele, cada gestor de pasta passa a receber o equivalente a dois salários por mês.

Nas palavras da chefe da Casa Civil de Roseana, Anna Graziella, é hora dos prefeitos entrarem em campo para pedirem votos. Mas boa parte deles tem alegado não ter verba para entrar em campo, o que é contestado pela principal secretária do Governo Roseana.

Ela afirma que os “facilitadores” criados por Conceição Andrade deram ânimo aos prefeitos e que “esse discurso deles (prefeitos), de que não há dinheiro, é um absurdo. Apesar de não achar que campanha não só se faz exclusivamente com dinheiro, nesse sentido de compra de voto, a estrutura de Governo a estrutura de campanha tem que existir”. A afirmação pode ser atribuída a abuso de poder político – a exemplo do que ocorreu em 2010.

Jeton gordo: o imortal Joaquim Haickel – o secretário do Twitter – participou da reunião do Congep que tratou sobre compra de votos.

Na mesma reunião, a secretária-adjunta de Educação Conceição Andrade chegou a ir mais longe. Segundo ela, é necessário “parar com o trabalho burocrático e começar o trabalho político”. Os detalhes dados pela adjunta é que os secretários devem usar sua influência junto aos funcionários e aos cidadãos que já foram atendidos por algum serviço estatal para que reconheçam o trabalho de Roseana Sarney e continuem votando no grupo político.

Ela aconselha os demais secretários presentes na reunião: “Vá atrás de quem lhe deve alguma coisa. Vá atrás de suas comunidades que você serviu ao longo de 4, 8 anos. E vá atrás dos seus funcionários, das pessoas que estão sentadas a você dentro da sua Secretaria.”

Já Anna Graziella volta ao tema e aponta que apenas “compra de voto” não seria o suficiente para resolver o cenário eleitoral: “Mas, a gente não tem o Banco Central e se tivesse certamente a Governadora Roseana Sarney com o compromisso que tem não faria nesse governo como foi feito no outro governo. Então, essa não é a nossa realidade. O esforço, nesse sentido está sendo feito. Nós pagamos os convênios que estão em ordem nas duas Secretarias. “

Outros trechos fazem referência ao uso de convênios, que vêm sendo liberados nos últimos dias para prefeituras de todo o Maranhão. “O Fernando Fialho, que tem uma Secretaria gigantesca, que tá envolvida nos 216 municípios do Maranhão. Cadê essa população que nós beneficiamos? Cadê esses povoados que foram, é, é beneficiados com esses convênios firmados nesse Governo? A Secretaria de Saúde. Quantos foram beneficiados pela nossa saúde? Quantos atendimentos foram feitos na UPA?”

Uso do Palácio

Anna Graziella relata ainda as diversas reuniões acontecidas entre ela, Roseana Sarney, o ministro Edison Lobão e o senador José Sarney na sede do Palácio dos Leões. Segundo ela, os quatro têm intensificado o trabalho dentro das dependências da sede do Governo do Estado, inclusive disparando ligações.

“A Governadora também tá aqui agindo. Durante todos esses dias, nós todos saímos aqui do Palácio, tarde da noite. Ela fazendo ligações, ela interferindo, ela buscando estratégias ao lado do Ministro Lobão, ao lado do Ministro Sarney, tá, tá, trazendo esse ânimo que acho precisa ser refletido em todos nós. A campanha não está perdida.”

A reunião aconteceu entre os secretários para discutir as estratégias a serem usadas para influenciar no processo eleitoral em favor da candidatura de Lobão Filho. Além de Anna Graziella, Conceição Andrade e Joaquim Haickel, são citados no áudio como participantes da reunião José Márcio Leite (adjunto de Saúde), Fredson Froz (secretário de Cidades) e Fernando Fialho (secretário de Desenvolvimento Social).

Eleições 2014 - Prazos


Calendário Eleitoral


Últimos Prazos
2 outubro 2014Último dia da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.
3 outubro 2014Último dia para divulgação paga de propaganda eleitoral.
5 outubro 2014Primeiro turno.
26 outubro 2014Segundo turno.

A 6 DIAS DA VITÓRIA, VEJA 6 FOTOS QUE REVELAM O APOIO POPULAR A FLÁVIO DINO NESTA RETA FINAL

Comício em Timon, no dia 27 de setembro
Comício em Timon, no dia 27 de setembro
Comício em Coelho Neto, em 26 de setembro
Comício em Coelho Neto, em 26 de setembro
_MG_3281
Atividade em Paulino Neves, em 24 de setembro
São Benedito do Rio Preto, em 25 de setembro
São Benedito do Rio Preto, em 25 de setembro
Lago da Pedra, em 21 de setembro
Lago da Pedra, em 21 de setembro
Paulo Ramos, em 21 de setembro
Paulo Ramos, em 21 de setembro

Zé Reinaldo, o engenheiro da desconstrução Sarney


Blog do Paulinho

Quando fazia parte do grupo Sarney, o engenheiro José Reinaldo Tavares era definido por todos, inclusive opositores do grupo, como o “melhor quadro”, o mais preparado, disciplinado, enfim, o mais qualificado e competente.

Para quem ainda não conhece o seu currículo, vai uma pequena amostra:

Graduado em Engenharia Civil na Universidade Federal do Ceará, foi diretor do Departamento de Estradas e Rodagem (DER-MA), Superintendente da NOVACAP, Secretário de Viação e Obras do Distrito Federal, diretor-presidente do Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS), superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste(SUDENE), ministro dos Transportes (1986 a 1990), deputado federal de 1990 a 1994, secretário de Infra-Estrutura do estado do Maranhão, vice-governador do Maranhão(1995-1998) e governador do Maranhão.

Como engenheiro, José Reinaldo Tavares foi responsável pela construção das pontes José Sarney, que liga o centro histórico de São Luís ao bairro do São Francisco; e Costa e Silva, que liga o centro de Brasília ao Lago Sul. Foi ainda o responsável pela construção do Parque da Cidade de Brasília, antigo Parque Rogério Pitton Farias, onde fica a piscina de ondas de Brasília, o cartódromo e a sede da Policia Civil daquela capital. Participou ainda da construção das principais estradas que hoje são utilizadas no estado do Maranhão.

O verdadeiro início da mudança no Maranhão

Há décadas que parcela significativa da população do Maranhão clama por mudanças. Até o vizinho Piauí, outrora referencia negativa, e que hoje tem indicadores sociais bem melhores que os do Maranhão, registra a alternância no poder há anos.

Mas, para os que conhecem a política do Maranhão, a verdadeira mudança teve início no ano de 2004, com o rompimento de José Reinaldo com o grupo Sarney. Um amigo de longa data e que pediu anonimato nos disse que “O Zé Reinaldo é um homem de visão nacional. Ele não aceitava mais que o estado continuasse com aqueles indicadores sociais e econômicos péssimos. Aquilo o incomodava demais, ele tinha que mudar a forma de se administrar o Maranhão. Tinha que ser um choque de gestão, um rompimento total não apenas com aquele modelo, mas, principalmente, com o grupo que criou aquele estilo de governar e dele se beneficiava por décadas. As razões que se colocam para o rompimento do Zé Reinaldo com o Sarney são bem maiores do que as que dizem nas ruas”.

Em 2006 Zé Reinaldo põe em prática a sua primeira grande obra que simboliza a mudança política no Maranhão, e coordena a eleição do seu sucessor, o médico Jackson Lago, histórico opositor seu e do grupo Sarney.

O “crime” e a pena

Julgado e condenado pelo tribunal familiar do velho mandatário, pelo “crime” de ter tirado das mãos da filha querida e mimada do “dono do mar e das terras” o seu brinquedinho predileto, o estado inteiro, Zé Reinaldo foi preso injustamente e o seu sucessor, Jackson Lago, cassado.

Agora, exatos oito anos depois, Zé Reinaldo, com a sua paciência de atleta disciplinado em vários esportes (ele pratica tênis, basquete e vôlei, entre outros), realiza, ainda segundo a fonte que pediu anonimato, não a obra de desconstrução, mas “a obra de implosão” do grupo Sarney, ao participar de forma decisiva da vitória já em 1º turno, segundo todas as pesquisas, de Flávio Dino ao governo do Maranhão.

Para completar, Zé Reinaldo deverá ser, segundo este blog ouviu de várias fontes no estado, o deputado federal mais votado da coligação.

"XIV Quem Ama Espera" animou Tuntum neste final de semana

Sob a coordenação da 1ª Igreja Cristã Evangélica de Tuntum(AICEB) aconteceu, nesta sexta-feira(26), sábado(27) e domingo pela manhã(28), no Ginásio Poliesportivo da Escola Maria da Salete no conjunto Maria Helena a realização do "XIV Quem Ama Espera" projeto de orientação espiritual  destinado a jovens e solteiros(as) das igrejas evangélicas da cidade.
Com o tema central "No pulsar do Coração" com fundamento em Gênesis 24:54-65, os pastores Jairo de Barra do Corda, Davi Miranda(Gonçalves Dias) e Reinaldo Miranda(Presidente Dutra) proferiram palestras e pregações como foco nos relacionamentos afetivos e na manutenção da família sob a orientação divina.
Além das palestras e pregações proveitosas, o  "XIV Quem Ama Espera" também teve momento de louvor com as presenças da Banda Koinê de São Luís e do Cantor e Compositor Evangélico de Caxias Naum Esteves, também candidato a Deputado Estadual pelo PHS este ano.
"XIV Quem Ama Espera" teve encerramento, neste domingo(28), com farto almoço aos participantes e convidados nas dependências da Escola Municipal Maria da Salete.

sábado, 27 de setembro de 2014

FLÁVIO DINO GANHOU PRINCIPAL PRÊMIO DE COMBATE À CORRUPÇÃO

A firme atuação de Flávio Dino na luta contra o crime e a corrupção foi amplamente reconhecida durante sua carreira pública. Um desses reconhecimentos foi na Câmara dos Deputados, onde Flávio foi parlamentar por quatro anos.

Além de ter sido eleito quatro vezes seguidas um dos melhores parlamentares do país, Flávio Dino também ganhou um prêmio especializado no combate à corrupção.

Em 2009, ele venceu o Prêmio Congresso em Foco na categoria Combate à Corrupção. Naquele mesmo ano, ele foi eleito pelos jornalistas o quarto melhor deputado do país.

Flávio Dino foi o primeiro parlamentar maranhense a vencer na categoria “combate à corrupção”, uma das mais disputadas na ocasião – e a mais importante do país para os congressistas.

Na época, Flávio ressaltou que a premiação foi uma resposta a fatos negativos contra a política. “Podemos afirmar um modelo renovado de fazer política que consiga propiciar leis e políticas públicas capazes de elevar a qualidade de vida da nossa população e ampliar o nosso desenvolvimento.”

Dr. Tema reúne milhares de pessoas no Povoado Belém(Barriguda) e pede votos para Flávio Dino


Acompanhado do Vice-prefeito Ciro Ricardo,  de  secretários municipais, lideranças comunitárias, políticas  e assessores, o Prefeito Municipal de Tuntum,  Dr. Tema,  esteve reunido, na noite desta sexta-feira(26), com milhares de moradores do Povoado Belém e adjacências numa concentração cívica para conclamar a todos para votarem em Flávio Dino, Roberto Rocha, Zé Reinaldo Tavares e Humberto Coutinho no dia 05 de outubro próximo.
Mais de cinco moradores estiveram presentes na concentração cívica do Povoado Belém onde diversos oradores se revezaram para externar o apoio ao Prefeito Tema e sua comitiva e aos candidatos da Coligação o Maranhão é de Todos numa demonstração cabal que o povo do sertão tuntunense dará vitória esmagadora ao candidato Flávio Dino.
Falando de improviso, Dr. Tema exaltou as qualidades do candidato Flávio Dino - Governador, bem como, de Roberto Rocha, Zé Reinaldo Tavares e Humberto Coutinho e a relação política que todos mantem com a cidade de Tuntum. Na oportunidade, Dr. Tema afirmou, ainda, das obras de infraestruturas e as  construções de  novas escolas que serão executadas em toda a zona rural tuntunense a partir de 2015, sendo aplaudido pelos presentes na avenida central do Povoado Belém.
O ponto alto da concentração do Povoado Belém, na noite desta sexta-feira(26) foi a citação das famílias,  líderes comunitários e políticos que retornarem ao convívio do Grupo Labigó e o compromisso de votarem em Flávio Dino, Roberto Rocha, Zé Reinaldo Tavares e Humberto para a alegria do mandatário de Tuntum.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

VoxPopuli / CartaCapital: Dilma abre 13 pontos sobre Marina Petista tem 38%, contra 25% de Marina Silva e 17% de Aécio Neves. No segundo turno, Dilma passa a liderar numericamente


Pesquisa Vox
A presidenta Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, abriu 13 pontos de vantagem sobre Marina Silva (PSB) na disputa presidencial, segundo a nova rodada da pesquisa Vox Populi / CartaCapital. Dilma tem 38% das intenções de voto, contra 25% de Marina e 17% do terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB). O Pastor Everaldo (PSC) tem 1% dos votos, enquanto os outros candidatos não pontuaram.

Na comparação com a pesquisa anterior, divulgada no dia 10, Dilma oscilou dois pontos para cima, de 36% para 38%, enquanto Marina caiu três --subiu de 28% para 25%. Assim como Dilma, Aécio também oscilou para cima dentro da margem de erro: foi de 15% para 17%. O número de eleitores indecisos variou de 13% para 11%, e o de votos nulos e em branco permaneceu inalterado, em 7%.

Na simulação de segundo turno, o empate técnico persiste, mas Dilma aparece numericamente à frente de Marina. A petista foi de 41% para 42%, enquanto a candidata do PSB passou de 42% para 41%. Em um eventual segundo turno com Aécio Neves, Dilma foi de 44% para 45% dos votos, enquanto o tucano foi de 36% para 37%.

O Vox Populi entrevistou 2 mil eleitores em 147 municípios de todas as regiões do País entre 23 e 24 de setembro. A pesquisa, registrada na Justiça Eleitoral sob o número BR-00757/2014, tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

CartaCapital

“NOSSO ESTADO PULSA DE ESPERANÇA”, DIZ FLÁVIO DINO EM CHAPADINHA

chapadinha

Esperança é uma das palavras que têm marcado a campanha pela mudança do Estado com Flávio Dino e Roberto Rocha. “Hoje nosso Estado pulsa de esperança em dias melhores para o Maranhão”, disse o candidato a governador durante discurso na cidade de Chapadinha, nesta quinta-feira (25).

Ele defendeu a melhoria da educação, o reforço de políticas sociais e a conclusão do hospital de urgência e emergência na cidade. Flávio recomendou voto ao candidato Roberto Rocha, que disputa a vaga ao Senado. “Nosso candidato é só um e com ele vamos derrotar a família Sarney”, afirmou.

Com trabalho reconhecido em Chapadinha por uma emenda que levou um campus da UFMA à cidade, Roberto Rocha pediu o empenho e a confiança da população nos últimos dias que antecedem as eleições. “A 10 dias para o Brasil ouvir o grito de libertação, reitero meu compromisso com o Maranhão. No dia 5 de outubro teremos o encontro que marcará a liberdade do nosso povo”, avaliou.

Futuro melhor

A população acompanhou Flávio e Roberto pelas ruas. Um deles foi Edinho Silva, 29 anos, que precisou deixar Chapadinha para trabalhar em São Luís por falta de emprego. “Tive que deixar minha família porque aqui não tem oportunidade”, observou. Outro pedido é pela melhoria na saúde, pois a população busca a capital ou Teresina em busca de atendimento. “A gente quer mudança. A família toda é Flávio Dino”, disse.

O desejo é de mudança também para a estudante Nadia Mirlly, 18 anos. Essa é a primeira vez que ela votará, mas acompanha Flávio há mais tempo porque a família sempre esteve com ele. “Desejo sorte nesses últimos dias. Ele vai ganhar para cumprir o que planeja para o Maranhão”, disse.

Com três filhos, Maria Josiane Real, 36 anos, desejou um futuro melhor para o Maranhão. Destacando o programa Mais Bolsa Família – proposto por Flávio Dino e que será destinado à compra de material escolar –, ela elogiou a ação por incentivar a educação no Estado. “Há tempos esse povo [do governo] tá lá e não faz nada. A gente quer o melhor pros nossos filhos, sempre é bom ajudar quem precisa”, completou.

A educação também esteve na fala de Thiago Jansen, 23 anos, da coordenação do Diretório Central dos Estudantes da UFMA em Chapadinha. Ele defendeu a importância de os cursos oferecidos dialogarem com a realidade da região: “Oferecer educação de qualidade é uma forma de mudar a realidade dos jovens”. Ele citou a Educação do Campo e a regionalização da UEMA como caminhos para que os jovens possam permanecer nas cidades de origem.