Veja a última pregação de Billy Grahan

O gênio da grande área: Lula descasca o abacaxi

Stuckert

Por RICARDO CAPPELLI/br 247

Uma aula de política. Daquelas que merece ser pendurada na parede e virar referência para sempre ser consultada. Três ou quatro parágrafos apenas, não foi preciso mais. A posição de Lula sobre a intervenção no Rio é magistral.

Demonstra que ele não é o que é por acaso. Ciro até tentou. Na essência, apesar de sofrer ataques baixos de setores da militância petista anti-Ciro, falou o mesmo. Mas não conseguiu chegar ao grau de sofisticação do ex-presidente.

Quando publiquei há alguns dias um artigo chamando atenção da esquerda para o abacaxi que tinha no colo, e de como seria difícil descascá-lo, que a simples negação da proposta não resolveria, fui acusado de tudo. Jamais defendi votar a favor ou contra. Só disse que o problema era complexo e merecia uma resposta de mesmo porte.

Até que "Ele" resolve entrar em campo. Durante visita ao acampamento do MST em Minas nesta quarta feira, Luiz Inácio falou sobre a intervenção e deu um verdadeiro show.

Não se posiciona contra nem a favor diretamente. Não briga com o exército, mas afirma que as forças armadas não estão preparadas para enfrentar traficantes e que esta não é sua missão institucional. Os militares devem ter batido palmas para ele.

Não briga com a população, mais de 80% se posicionou a favor, dizendo que ninguém pode ser contra uma medida emergencial num momento de emergência.

Não briga com parte da esquerda que votou contra a medida dizendo que é uma ação improvisada de Temer, uma iniciativa oportunista e eleitoreira que não vai resolver o problema.

Mira e atira no alvo central sem espalhar brasa: o xadrez político, onde o atual presidente tenta ressuscitar.

Passa longe de devaneios como a "conspiração preparatória para um golpe militar". Não entra em histeria. É equilibrado, ponderado e pragmático. Dialoga com o interesse de todos os públicos envolvidos bailando suavemente. Descasca o abacaxi como quem toca um violino.

Não por acaso tenho repetido que a esperança de um desfecho positivo para esquerda, longe da gritaria que se instalou no seu meio, de corporativismos partidários inúteis ao futuro do país, passará necessariamente pela bola que Lula resolver chutar.

Se estiver num bom dia e entrar em campo com esta mesma lucidez, esteja onde estiver, as chances de vitória do campo progressista serão boas. Que os Deuses o iluminem.

Ricardo Cappelli é secretário da representação do governo do Maranhão em Brasília e foi presidente da União Nacional dos Estudantes.

Falece Billy Graham, aos 99 anos


Billy Graham, o maior evangelista do século 20, faleceu na manhã desta quarta-feira (21), aos 99 anos. Ele morreu em sua casa em Montreat, na Carolina do Norte, de acordo com Jeremy Blume, porta-voz da Billy Graham Evangelistic Association.

O célebre pastor batista da Carolina do Norte ficou conhecido por levar suas cruzadas evangelísticas ao redor do mundo, levando 3 milhões a Cristo.

Graham serviu como conselheiro ou ministrou a uma dúzia de presidentes dos Estados Unidos, além de ter se encontrado com dezenas de líderes mundiais, dentre eles os mais importantes de sua geração. Estima-se que ele tenha pregado a cerca de 215 milhões de pessoas em 185 dos 195 países ao redor do mundo durante sua vida. Sua mensagem chegou a milhões de pessoas, sendo uma presença quase constante no rádio, na televisão e na internet.

Chamado por muitos de “O Pastor dos Estados Unidos", ele teve um início modesto, crescendo em uma fazenda em Charlotte, Carolina do Norte. Ele aceitou Jesus aos 16 anos, através do ministério do evangelista Mordecai Ham. Graham mais tarde mudou-se para a Flórida e foi ordenado pastor lá em 1939. Ali, conheceu sua futura esposa, Ruth McCue Bell, enquanto eles freqüentavam o Wheaton College, e se casaram em 1943. Juntos criaram cinco filhos e ela se tornaria uma conselheira confiável dele. “Quando se trata de coisas espirituais, minha esposa teve a maior influência no meu ministério”, disse Graham de Bell, que morreu em junho de 2007.

Graham era conhecido por seu senso de humor e por manter uma visão cristã não partidária, o que lhe valeu algumas críticas. Mas a sua dedicação ao ministério e à unidade é muito evidente e melhor lembrada na sua recusa em prestar atenção às políticas de segregação. Martin Luther King Jr. tinha Graham como um amigo íntimo e aliado, tendo dito deste: “Se não fosse pelo ministério do meu bom amigo, o Dr. Billy Graham, meu trabalho no Movimento dos Direitos Civis não teria tido tanto sucesso quanto tem sido”.

Outro ponto lembrado sobre sua vida é que, em mais de 60 anos de ministério, Graham nunca esteve envolvido em escândalos, de maneira que seu nome sempre aparecia nas primeiras posições de todas as listas de pessoas mais amadas nos Estados Unidos.

Em seu Twitter, o presidente Donald Trump disse que "não havia ninguém como ele" e que Graham "fará falta aos cristãos e a todas as religiões", pois era "um homem muito especial".

O vice-presidente Mike Pence afirmou em seu Twitter: "Choramos sua morte, mas tenho absoluta certeza que hoje ele ouviu estas palavras: 'Bem está, servo bom e fiel!'. Obrigado, Billy Graham!"

O ex-presidente George H. Bush emitiu a seguinte declaração: "Billy Graham foi o Pastor da América. Sua fé em Cristo e seu espírito evangélico totalmente honesto inspiraram pessoas em todo país e no mundo. Creio que Billy tocou os corações não só de cristãos, mas de pessoas de vários tipos de fé, porque ele era um homem bom. Tive o privilégio de tê-lo como amigo pessoal. [...] Ele foi um mentor para vários dos meus filhos, incluindo o ex-presidente dos Estados Unidos [Georgge W. bush]. Sentiremos falta de nosso bom amigo".

O ex-presidente Barack Obama disse pelo Twitter que Graham foi "um servo humilde que orava por muitos. [...] Cm sabedoria e graça ele deu esprança e orientação a gerações de americanos".

Seu filho, Franklin Graham, assumiu seus ministérios, enquanto Graham retornou a uma vida tranquila na Carolina do Norte, não muito longe da Biblioteca Billy Graham, em Charlotte.

“Meu lar está no céu”, declarava ele habitualmente. “Eu estou apenas peregrinando neste mundo”.

Fonte: CPADNews(com edição de fotos)

EX-DEPUTADA CLEIDE COUTINHO ASSUMIRÁ A PRESIDÊNCIA DO PDT DE CAXIAS

Em reunião com a presença de mais de 200 lideranças dos bairros e povoados, vereadores, e militantes do PDT de Caxias, a ex-deputada estadual Cleide Coutinho iniciou a mobilização para a grande convenção do PDT que será realizada dia 03/02, quando será eleita presidente do diretório municipal da agremiação partidária, em substituição ao ex-deputado Humberto Coutinho. 

A reunião foi marcada por fortes emoções com as menções recorrentes ao ex-presidente Humberto Coutinho, considerado por todos como o melhor prefeito de Caxias e maior líder político da região dos Cocais. 

Dra Cleide, médica respeitada e querida na cidade, agradeceu o empenho de todos em discurso emocionado. 

Disse que “mesmo com muita dor e sofrimento pela perda do marido amado com quem viveu 50 anos, estará sempre à disposição dos caxienses para servir ao seu povo “. 

A convenção do PDT vai se realizar no dia 03/03, às 8 hs no espaço Assunção Eventos e deverá contar com a presença do governador Flávio Dino, dos presidentes nacional e estadual partido, Carlos Lupi e o deputado federal Weverton Rocha, respectivamente, o presidente da assembleia legislativa deputado Othelino Neto, deputados estaduais, prefeitos e ex-prefeitos que sempre apoiaram as eleições do ex-deputado Humberto Coutinho.

Blog do Jorge Vieira

OAB VAI À JUSTIÇA CONTRA MANDADOS COLETIVOS EM INTERVENÇÃO NO RIO

Marcelo Camargo/Agência Brasil
247 - A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai à Justiça contra a decisão do governo Michel Temer de pedir mandados coletivos de busca e apreensão durante a intervenção federal no Rio de Janeiro.

Inicialmente, o ministério da Defesa chegou a cogitar pedir também autorização para mandados coletivos de prisão, mas o governo recuou na noite desta segunda-feira 19.

Em nota, o presidente da OAB, Claudio Lamachia, e o presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, afirmam: "Por ser limitadora de garantias fundamentais, toda e qualquer medida cautelar jamais pode ser genérica. Caso contrário, há a violação constitucional da garantia individual de inviolabilidade do lar e intimidade – colocando sob ameaça ainda maior os direitos da parcela mais desassistida da população."

"Não se combate o crime cometendo outros crimes, isso é incompatível com a democracia", diz ainda a nota.