COMBUSTÍVEL ACABA HOJE EM SÃO PAULO E NO RIO

Leonardo Benassatto/Reuters | Marcello Casal Jr/Agência Brasil
SP 247 - O combustível deve acabar já nesta quinta-feira 24 na capital paulista devido à greve dos caminhoneiros, que chega a 25 Estados e no Distrito Federal. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo, José Alberto Paiva Gouveia, informou que, desde o início desta quarta-feira (23), os postos de abastecimento do estado não receberam nenhum tipo de combustível.

Postos na capital paulista já têm longas filas de veículos, cujos motoristas tentam abastecer com o que resta de combustível na cidade. Na Zona Leste, diversos postos já estavam sem gasolina antes das 11h desta quinta, quarto dia de protesto dos caminhoneiros.

Também em virtude da greve dos caminhoneiros, cerca de 40% da frota de ônibus da cidade não circula nesta quinta-feira. A Prefeitura, sob o comando de Bruno Covas (PSDB), foi à Justiça para pedir liberação das vias.

O Rio de Janeiro também será afetado drasticamente com a paralisação. Segundo os sindicatos, a previsão é de que os postos só tenham combustíveis até o final da noite desta quinta. A estimativa é que 90% dos postos fiquem sem combustíveis, nos 92 municípios do estado. Em mais de 50 postos do município, já falta algum dos três principais produtos: gasolina, etanol ou óleo diesel.

Marcha a Brasília – Tema clama pelo Pacto Federativo durante reunião com a bancada federal na Câmara


O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), e prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, disse, durante pronunciamento na tarde desta terça-feira (21), no auditório Nereu Ramos da Câmara Federal, ser necessária a materialização do Pacto Federativo, para que os municípios brasileiros saiam dessa grave crise financeira em que estão mergulhados.

O pronunciamento do dirigente municipalista foi feito durante encontro com parlamentares da bancada federal e dezenas de prefeitos, como desdobramento da XXI Marcha a Brasília, movimento criado duas décadas atrás e que mobiliza prefeitos do Brasil inteiro na Capital Federal anualmente.

Além de clamar pelo Pacto Federativo, Tema disse que os programas federais não conseguem se sustentar, fazendo com que as prefeituras tenham que entrar com sua contrapartida. Exemplificou a situação do Programa Nacional de Família (PSF), que acaba se tornando um sufoco para os prefeitos.

“O Governo Federal, através do DENASUS, quer que os médicos exerçam uma jornada de 40 horas semanais, com um salário que não passa de R$ 7 mil. Ora, todos sabem que há uma grande carência de médicos no Brasil, e nenhum deles aceita essa jornada com esse minguado salário”, pontuou.

Cleomar Tema destacou ainda a questão da merenda escolar, afirmando que os recursos são parcos, e que acabam sendo complementados pelos municípios. Disse ainda o líder municipalista, que estes são alguns dos problemas que preocupam os gestores municipais.

“Estamos atravessando talvez a pior crise econômica das últimas décadas, com elevação diária no preço dos combustíveis, um drama que já afeta milhares de brasileiros, assim com uma alta taxa de desemprego. E não estamos vislumbrando saída a curto prazo, mas todos os problemas acabam recaindo sobre a cabeça é dos prefeitos”, salientou Tema.

O presidente da FAMEM conclamou os deputados federais do Maranhão para que insistam no projeto de se estabelecer o tão discutido, tão prometido, tão sonhado e nunca realizado Pacto Federativo.

O pronunciamento de Tema teve aparte do prefeito Dr. Borba, da cidade de Timbiras. Ele afirmou que tudo o que Tema falou se enquadra com sua linha de raciocínio e foi mais além, ao pedir o Plano de Cargos Carreiras e Salários dos Médicos.

Disse que é médico há 30 anos assegurando que é uma categoria desemparada, que tem que trabalhar em mais de um emprego para garantir o sustento. “Vejamos os profissionais do Direito: todos têm garantias salariais, ao contrário de nós médicos, que trabalhamos até à exaustão, com uma carga de trabalho muito sacrificante. por conta disso, dou meu total apoio ao seu pronunciamento, presidente Tema”, afirmou Borba.

A reunião no Nereu Ramos foi conduzida pela deputada Luana Costa (PSC), atual coordenadora da bancada e contou com as presenças dos deputados Rubens Pereira Júnior (PC do B), João Marcelo (MDB), Hildo Rocha (MDB), Julião Amin (PDT), Juscelino Filho (DEM), Kleber Verde (PRB), José Carlos da Caixa (PT), Zé Reinaldo (PSDB), Pedro Fernandes (PTB), Aluísio Mendes (Podemos), o vice-governador Carlos Brandão e os deputados estaduais Rafael Leitoa (PDT) e Vinícius Louro (PR).

Blog do Djalma Rodrigues

COMISSÃO DA CÂMARA FEDERAL FARÁ VISTORIA NA BR-226, QUE LIGA PRESIDENTE DUTRA A TIMON

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados fará vistoria na BR-226 no Maranhão, na próxima sexta-feira (25). O trecho da rodovia federal no Maranhão visitado será o que liga Presidente Dutra a Timon. “Esta é uma lenda do nosso estado, que foi prometida há mais de 40 anos. E seguiremos pressionando para que se torne uma realidade para os maranhenses”, disse o deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB).

Segundo o parlamentar, a BR-226 já tem orçamento garantido pela Bancada do Maranhão no Congresso Nacional, mas infelizmente a empresa contratada para realizar a pavimentação não está cumprindo o cronograma de execução. “A obra segue em ritmo muito lento. Desde a assinatura do contrato, apenas 7 kms de um total de 100 kms foi asfaltado. Desta forma, vão demorar entre 25 e 30 anos para concluir. Não podemos esperar”, destacou Rubens Júnior.

Rubens Júnior relembrou outras rodovias federais no Maranhão que recebem o acompanhamento dos parlamentares. “A duplicação da BR-135, no Campo de Perizes, até Bacabeira, só se concretizou após a Bancada destinar emenda impositiva e também acompanhar a execução da obra”. Outros dois trechos da BR-135 também estão em execução. O primeiro vai até o Entroncamento, e depois, até Miranda. A verba já foi garantida pela Bancada do Maranhão e as empresas, contratadas.

Blog do Jorge Vieira

Roseana vai mesmo para o sacrifício

A ex-governadora Roseana Sarney promoveu um encontro na sua residência no bairro do Calhau, em São Luís, para tentar animar os “aliados” e reafirmar sua pré-candidatura ao governo.

A candidatura da “Guerreira” vai servir como “bucha” para tentar emplacar seus familiares em cargos na Assembleia Legislativa, na Câmara Federal e o irmão Zequinha Sarney no Senado.

Roseana sabe que suas chances de derrotar o governador Flávio Dino em outubro são remotíssimas, por conta disso fez uma série de exigências ao grupo e impôs a priorização de sua família na corrida eleitoral de 2018.

O que se viu na mansão do Calhau foram os mesmos de sempre. Sarney Filho, Edison Lobão, João Alberto, Adriano Sarney, César Pires, Edilazio Jr, Hildo Rocha, Max Barros, o prefeito de Imperatriz Assis Ramos e o vereador da capital Genival Alves.

A baixa representatividade política demonstra como a oligarquia anda desprestigiada e como Roseana anda sem vontade alguma de encarar Flávio Dino em uma eleição majoritária. A “Guerreira” vai para o sacrifício”!

Marrapá