segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Lateral do XV de Piracicaba morre após mal súbito; órgãos serão doados


Cláudio Canavarros, lateral direito do XV de Piracicaba, morreu nesta segunda-feira. A Santa Casa da cidade do interior confirmou a morte cerebral do atleta, que estava internado no Hospital de Emergência do Coração (Emcor).

De acordo com a assessoria de imprensa, o atleta teve a morte encefálica. Cláudio morreu às 9 horas desta segunda-feira. A Santa Casa ainda não tem informações sobre velório e enterro.

Segundo a assessoria de imprensa do XV de Piracicaba, a família autorizou a doação dos órgãos do jogador. Claudio deixa uma esposa grávida de cinco meses. Esse seria o primeiro filho do jogador com Phriscila Faller.

Em nota, por meio de sua página no Facebook, o XV de Piracicaba lamentou o ocorrido. "O Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba lamenta profundamente o ocorrido e informa que encontra-se em luto. O Alvinegro ressalta que está ao lado da família do jogador nesse momento, dando total apoio a todos", falou.

Canavarros estava internado desde a última segunda-feira após passar mal durante um treino. Na quarta-feira, ele passou por uma cirurgia na cabeça.

Na intervenção, os médicos implantaram um cateter frontal direito para estabilizar a pressão intracraniana. Desde então, o estado de saúde do atleta foi considerado grave.

Em sua breve carreira no futebol, Canavarros teve passagem pelas categorias de base do Grêmio e do Santos.

Outro time do atleta foi o Inter de Lages que lamentou a notícia. "Tristes demais... Canavarros não resistiu. Vá em paz, craque", escreveu o clube no Twitter.

Veja a nota oficial do Emcor:

Por meio de sua Unidade Coronariana (UCO), a Santa Casa de Piracicaba informa que o atleta do XV de Piracicaba, Cláudio Canavarros de Freitas, 21, lamentavelmente, teve comprovado o diagnóstico de morte encefálica às 9 horas da manhã desta segunda-feira, dia 1º. Ele sofreu mal súbito durante o treino do último dia 26 de janeiro.

De acordo com o cardiologista Humberto Passos e com o neurocirurgião Ary Marconi, médicos que acompanhavam o atleta no período de internação hospitalar, o processo teve início às 14h30 de ontem, domingo (31), quando vários exames foram realizados em atendimento às exigências do protocolo de morte encefálica.

A família foi contactada e orientada pela equipe médica e pela Comissão Intrahospitalar de Doação de Órgãos da Santa Casa (CIHDOTT), devendo se manifestar sobre esta
possibilidade ainda hoje. 

com informações do UOL