quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

PAIM AO 247: 'ENTRE O POVO E O GOVERNO, QUE O PT FIQUE COM O POVO'

:

O senador Paulo Paim (PT/RS) disse ao 247 nesta quinta (25), que a posição contrária do seu partido ao projeto aprovado ontem no Senado que retirou a participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal brasileiro mostra que o “PT está voltando às suas raízes”; para ele, o governo da presidente Dilma Rousseff agiu de forma “equivocada” ao fazer um acordo pela aprovação de um substitutivo ao projeto do senador José Serra (PSDB/SP); para ele, o PT deve se manter ao lado dos trabalhadores, nem que para isso tenha que ser contra o governo. “Nós continuaremos defendendo as causas que sempre defendemos. Mais do que esse ou aquele ou setor que está no governo, o mais importante são as causas do povo. dos aposentados e dos trabalhadores. Se tiver que escolher, que o PT fique com as causas e, se for preciso, que não fique com o governo”, afirmou

Valter Lima, do Sergipe 247 - O senador Paulo Paim (PT/RS) disse ao 247 nesta quinta-feira (25), que a posição contrária do seu partido ao projeto aprovado ontem no Senado que retirou a participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal brasileiro mostra que o “PT está voltando às suas raízes”. Para ele, o governo da presidente Dilma Rousseff agiu de forma “equivocada” ao fazer um acordo pela aprovação de um substitutivo ao projeto do senador José Serra (PSDB/SP).

“Eu votei contra. A posição do governo foi equivocada, pois permite que a Petrobras abra mão até dos 30% de prioridade que ela detém na exploração do pré-sal. Pelo projeto original, as sete empresas mais poderosas do petróleo no mundo poderiam abarcar tudo. Pelo menos, o governo conseguiu mudar uma parte da proposta e agora, passará pelo Conselho do Petróleo, para decidir se a Petrobras irá ou não explorar os 30%. Não é bom este tipo de projeto, num momento em que a Petrobras está fragilizada”, disse ele ao Sergipe 247, em Aracaju, onde participou de uma audiência pública sobre terceirização.

Pela lei atual, aprovada em 2010, a Petrobras deve atuar como operadora única dos campos do pré-sal com uma participação de pelo menos 30%. Além de ser a empresa responsável pela condução e execução, direta ou indireta, de todas as atividades de exploração, avaliação, desenvolvimento e produção. Pelo texto do substitutivo, de autoria do senador Romero Jucá (PMDB), aprovado anteontem no Senado, após acordo com o governo, caberá ao Conselho Nacional de Política Energética oferecer à Petrobras a exploração mínima de 30% em cada campo e a empresa se manifestará se aceita ou não a responsabilidade. Pelo projeto de José Serra, não havia essa consulta ao conselho.

“Conselho infeliz”

Paulo Paim disse ao 247 que a presidente Dilma Rousseff não está sendo bem aconselhada – tanto na discussão do pré-sal quanto no projeto de reforma da Previdência. “Infelizmente não sei quem a aconselhou. Foi infeliz neste assim como é na tentativa de fazer uma reforma da previdência. Mas acredito que o PT continuará contra estas pautas. O PT está voltando às suas raízes, às bandeiras históricas”, afirmou.

Para ele, o PT deve se manter ao lado dos trabalhadores, nem que para isso tenha que ser contra o governo. “Nós continuaremos defendendo as causas que sempre defendemos. Mais do que esse ou aquele ou setor que está no governo, o mais importante são as causas do povo. dos aposentados e dos trabalhadores. Se tiver que escolher, que o PT fique com as causas e, se for preciso, que não fique com o governo”, afirmou.