terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

SES reúne laboratórios para padronização de exames de detecção do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya


Representantes de 25 laboratórios, da rede pública e privada, receberam as novas padronizações do MS dos exames para diagnóstico laboratorial do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya, repassados pelos técnicos do Lacen/MA.
O Governo do Maranhão - O Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA), vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), reuniu-se com representantes de 25 laboratórios, da rede pública e privada, com a finalidade de padronizar os exames para diagnóstico laboratorial do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya, nesta segunda-feira (1°).

O Ministério da Saúde (MS) padronizou em todo território nacional o diagnóstico clínico e laboratorial para esses agravos de saúde pública. Os protocolos para Dengue e Chikungunya já existiam, porém, com o advento do Zika Vírus e de sua ligação aos novos casos de microcefalia, ele vem sendo constantemente reavaliado e melhorado.

A novidade divulgada na última semana do mês de janeiro visa garantir que o diagnóstico seja realizado pela rede de laboratórios regionais com precisão. “Para os exames encaminhados aos laboratórios regionais escalados pelo Ministério da Saúde, que no caso do Maranhão é o Instituto Evandro Chagas em Belém (PA), é necessário que essas amostras estejam em conformidade com esse novo protocolo”, explicou a responsável pelo setor de patologia clínica do Lacen/MA, Lécia Cosme.

Lécia Cosme complementou, ressaltando que as etapas precisam ser realizadas de forma padronizada para que as amostras, o acondicionamento, fluxos de encaminhamento e o transporte ao laboratório regional sejam feitos com segurança. “Precisamos garantir que cada amostra coletada chegue em condições padrões de análise e seja aceita para ser examinada pelo laboratório referenciado”, completou.

Essa padronização se dará em curto prazo e por meio do alinhamento com a rede laboratorial, havendo mais segurança no diagnóstico das doenças. As amostras devem ser colhidas em seus primeiros cinco dias, que caracteriza a fase aguda da doença.

Devem ser encaminhadas 10 amostras semanais por Estado para a realização de exame laboratorial específico no Laboratório de Referência, acompanhadas da cópia da ficha FormSUS.

Ao final da reunião, os responsáveis pela Vigilância Epidemiológica no Estado e municípios definiram em conjunto com o Lacen/MA, os técnicos responsáveis pela coleta, acondicionamento e transporte das amostras, conforme padronização orientada pelo Ministério da Saúde.