segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Trabalhadores em educação tomam as ruas de Teresina e dizem NÃO à proposta do governo


capa3

Os trabalhadores e trabalhadoras em educação marcaram o primeiro dia de greve com um Ato Nacional que reuniu cerca de 1500 pessoas em defesa da educação pública e pela valorização dos profissionais, nesta segunda-feira (15), no Teatro de Arena em Teresina.

O SINTE-PI realizou assembleia geral com trabalhadores para apresentar a proposta do governo do estado sobre o reajuste do piso dos professores e do reajuste dos funcionários. Os representantes das entidades falaram da situação em seus respectivos estados em relação ao pagamento do piso, a militarização e as OSs nas escolas públicas em todo país.


A reunião realizada hoje durante o Ato contou com direção estadual e regionais do SINTE-PI, presidente da CNTE, sindicatos de SINTE-PE, SINTEGO, SINTE-DF, APOESP, SINTE-RO, SINTE-RN e CUT-PI representando os trabalhadores e pelo governo, a Vice-governadora Margareth Coelho, os secretários de Administração Franzé Silva, da Fazenda Rafael Fonteles e Carlos Alberto representando a Seduc, além do representante da Controladoria do Estado.

Após as falas a proposta apresentada do governo foi a seguinte:

Para os professores – a proposta permaneceu no parcelamento de três vezes agora com os percentuais definidos em 4,5% para janeiro, 2,5% em agosto e 4,36% em Novembro;

Para os administrativos – o governo propôs reestruturar a tabela dos operacionais, sancionar a lei dos técnicos de nível médio e superior e pagar 2/6 para os técnicos retroativo a janeiro e o restante na tabela de 2017.

A proposta dos professores foi rejeitada em mesa e referendada pela assembleia.

Os trabalhadores realizam nova assembleia geral dia 17 de fevereiro, às 8 horas no Clube do SINTE-PI para discutir uma contra-proposta para o governo.

Ascom/SINTE-PI