segunda-feira, 7 de março de 2016

A militância de esquerda tem direito de ir às ruas do país



Por Emerson Araújo

Tenho acompanhado certo nervosismo de uma parte da imprensa/ dos blogueiros da capital maranhense sob o episódio da Praça Maria Aragão, neste final de semana,  onde o boneco  inflável de mau-gosto e provocador representando a figura do ex-presidente Lula vestido com vestimenta de presidiário foi esvaziado por um grupo de militantes de esquerda que contestava a condução coercitiva que o Juiz Sérgio Moro impôs ao líder petista em São Bernardo do Campos, nesta sexta-feira(04).

A blogosfera aecista de São Luís. E por falar nos blogueiros de São Luís se sabe que a maioria deles nutrem uma paixão incorrigível pelo candidato derrotado a Presidência da República Aécio Neves em 2014,  basta acessar algumas opiniões e matérias cotidianas veiculadas por estas ferramentas que zoam na grande rede diariamente, inclusive a grande maioria  patrocinada financeiramente pelo atual Governo do Estado por sinal. E para comprovar o que estamos dizendo sobre estes articulistas tucanos e aprendizes da "rede esgoto" de carteirinha e tudo, eles mais uma vez questionaram o posicionamento acertado da militância de esquerda no episódio da Praça Maria Aragão com as velhas opiniões arraigadas de golpismo e intenso conservadorismo  na contramão do pensamento e desejo da maioria dos maranhenses de todos os rincões.

Uma verdade. A militância de esquerda tem direito de ir às ruas do país defender as suas principais bandeiras de luta doa a quem doer e isso é um direito sagrado que ultrapassa os limites da atual Constituição Federal tão vilipendiada nas últimas horas por aqueles que deveriam ser seu guardião maior, ou seja, o sistema jurídico brasileiro, na maioria das vezes ineficiente na garantia de direitos universais do indivíduo, mas tão prestativo naquilo que não une a nação como um todo e isso, também, é fato. Portanto, a blogosfera ludovicense, de predominância tucana e golpista e, que ainda traz as sombras da comunicação da oligarquia sarneysista nas suas entrelinhas e pautas, precisa respeitar o movimento da militância de esquerda e seus atores, seja ele um simples trabalhador ou um Secretário de Estado com posição mais progressista do atual Governo do Maranhão porque a manifestação ainda faz parte do jogo democrático queira ou não.

Um lembrete. O Maranhão, ao longo das últimas eleições para Presidente das República,  foi o Estado com o maior índice de eleitores petistas no Nordeste e Brasil e não se pode contabilizar os 70% de votos dados às candidaturas do PT nos últimos anos  a influência da família Sarney e seus representantes, quando o Senhor Flávio Dino foi alçado ao cargo de Governador em 2014 a candidatura Dilma saiu vitoriosa mais uma vez para desespero das viúvas de Aécio Neves que, hoje,  pululam entre os administradores destes blogues saudosistas. 

A certeza. Mais uma vez o Maranhão se levantou e se levantará a favor da legalidade política do Governo Dilma, da liderança popular de Lula, também, portanto o que a militância de esquerda patrocinou na Praça Maria Aragão, em São Luís,  neste final de semana refletiu o que o povo maranhense pensa na sua grande e larga maioria.  

Emerson Araújo é jornalista.