terça-feira, 22 de março de 2016

Dino: a maior corrupção é a injustiça social

As interceptações são ilegais desde a origem (no Moro)


 

Na solenidade em que juristas foram dar apoio à Presidenta Dilma, o governador do Maranhão, Flavio Dino (do PCdoB), disse algumas verdades ao suposto Juiz Moro (a reprodução não é literal):

- esse tema da corrupção não é novo. Todos se lembram da República do Galeão de 1954 e seu desfecho trágico;

- quando JK construiu essa cidade, Brasília, disseram que era para desviar dinheiro;

- aí veio o Janio Quadros com sua vassourinha salvadora e todos se lembram da longa noite da ditadura e da crise institucional que se seguiu;

- é uma estratégia perene;

- que tem o objetivo de esconder a maior corrupção: a desigualdade social;

- a maior injustiça é a injustiça social;

- denunciam a corrupção só no Estado, para esconder seus privilégios!;

- esconder seus interesses de classe, de casta, de estamento;

- é o 1%;

- e isso provocou o crescimento dramático do Fascismo;

- é a violência de grupos inorgânicos sem líder, em busca de um líder, de um Fuherer!;

- antes, recorriam às Forças Armadas e hoje à toga supostamente imparcial e democrática;

- fui presidente da Associação dos Juízes Federais;

- o que está em jogo está além do mundo dos autos;

- e aqui temos que elogiar as Forças Armadas e sua postura ao lado da Legalidade!;

- quem põe em risco são esses que defendem a legalidade flexível, essa legalidade ad hoc, essa legalidade fascista;

- essas interceptações de telefone são ilegais desde a origem;

- ilegais, porque foram divulgadas contra a lei, em nome de um suposto interesse público;

- nada é mais convergente, nada defende mais o interesse público do que defender as leis e a Constituição;

- a primeira missão de quem quer defender o Estado de Direito é conter esses grupos violentos;

- vamos tratar desse impeachment: um impeachment sem fato, sem prova, sem dolo!;

- querem recriar as Comissões de Inquérito da Ditadura: primeiro pune, depois se prova!;

- impeachment por “badaladas fiscais” que foram chanceladas pelo Congresso!;

- isso não é crime de responsabilidade!;

- é preciso derrotar outra falácia política: a de que o impeachment é um julgamento político;

- é um julgamento numa casa política, mas segundo critérios jurídicos!;

- ser um julgamento político não significa vale tudo!;

- é preciso conter os abusos judiciais: a injustiça contra um homem só contamina a ordem jurídica toda!;

- Poder Judiciário não pode mandar carta para passeata;

- Juiz, Procurador da República: se quiser fazer passeata, peça demissão!;

- não use a toga para fazer política!;

- é preciso montar uma ampla frente democrática;

- reunir os liberais autênticos;

- montar um centro democrático!;

- pouco importante se a OAB de 1964 apoiou o Golpe;

- alguém se lembra do nome do presidente da OAB em 1964?;

- não! mas todos se lembram de Raymundo Faoro, que defendeu a Lei;

- eu também sou a favor de novas eleições;

- em outubro de 2018;

- eu me lembro muito do final o nosso Hino Nacional:

Mas, se ergues da Justiça a clava forte
Verás que um filho teu não foge à luta
Nem teme, quem te adora, a própria morte

(Todos cantam o Hino e, ao final, diz Dino)

- Não vai ter Golpe!

(E a plateia grita Não vai ter Golpe!)

Conversa Afiada
Compartilhe:

Copyright © | Direção: Jornalista Emerson Araújo | Bate Tuntum | Suport/ 99 98271-8514