quarta-feira, 30 de março de 2016

DINO: “QUEM VAI CONTER A MARCHA DA INSENSATEZ?”

:
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), publicou uma série de tuítes criticando o processo de impeachment contra a presidente Dilma; segundo ele, a "Constituição manda que contas do Presidente sejam julgadas pelo Congresso, após parecer do TCU. Sobre contas de 2015, nem parecer existe"; "Quem vai conter a marcha da insensatez? Tenho fé no Congresso e no Supremo. E, claro, na mobilização social", disse ele, ex-juiz federal e ex-presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe)

Maranhão 247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), publicou uma série de tuítes criticando o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo ele, a "Constituição manda que contas do Presidente sejam julgadas pelo Congresso, após parecer do TCU. Sobre contas de 2015, nem parecer existe".

"O devido processo legal (constitucional) para apreciar se houve ou não "pedaladas" não está sendo cumprido. Mais uma vez, a conclusão: GOLPE", afirmou ele, ex-juiz federal e ex-presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe).

Confira abaixo alguns tuítes publicados pelo governador:

1.Cabe ao Congresso julgar contas do Presidente da República. Se for feito impeachment por "pedaladas" e depois Congresso aprovar as contas?

2. Julgamento de contas segue rito constitucional próprio. Se este não foi cumprido, como abrir processo por supostas pedaladas?

3.Ou seja, quando mais se debate, mais fica evidente que não há causa constitucional e legal para o impeachment. Traduzindo, é GOLPE.

4. Constituição manda que contas do Presidente sejam julgadas pelo Congresso, após parecer do TCU. Sobre contas de 2015, nem parecer existe.

5. O devido processo legal (constitucional) para apreciar se houve ou não "pedaladas" não está sendo cumprido. Mais uma vez, a conclusão: GOLPE

6. Quem vai conter a marcha da insensatez? Tenho fé no Congresso e no Supremo. E, claro, na mobilização social.

7. Lembrando: a única acusação formalmente em julgamento hoje na Câmara reside nas tais pedaladas fiscais de 2015. Nada mais.

FLÁVIO DINO, Governador do Maranhão. Advogado e professor da Universidade Federal do Maranhão. Foi Juíz Federal, Deputado Federal e Presidente da EMBRATUR

(VIA TWITTER)