quinta-feira, 31 de março de 2016

“Praça da Sé lotada é recado para esse PMDB golpista”, diz Paulo Sérgio Pinheiro

Secretário Nacional de Direitos Humanos do governo FHC lembra que partido liderou, no dia 25 de janeiro de 1984, mega comício pelas Diretas-Já e hoje está à frente de um impeachment ilegal contra a presidenta da República

sp_edgarbueno

Presente na manifestação que lota a Praça da Sé na tarde desta quinta-feira (31/03), o professor e diplomata Paulo César Pinheiro afirmou que o ato é um grande recado ao PMDB – partido que hoje encabeça, ao lado do PSDB e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) – a tentativa de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) .

Secretário Nacional de Direitos Humanos durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e membro da Comissão Nacional da Verdade, Pinheiro já se manifestou em outras ocasiões contra a cassação do mandato presidencial sem justificativa legal, o que considera um golpe contra a democracia.

Mas, para ele, a manifestação desta tarde tem um significado especial por conta do valor simbólico de uma megamanifestação popular na Praça da Sé contra a cassação da presidenta Dilma e pelo respeito ao mandato conquistado nas urnas.

O professor titular de Ciência Política e pesquisador associado ao Núcleo de Estudos da Violência, da Universidade de São Paulo (USP), lembrou que na mesma praça foi realizado um dos maiores e mais importantes comícios pelas Diretas-Já, em 25 de janeiro de 1984.

“A Praça da Sé lotada novamente é um recado para esse PMDB golpista”, afirma Pinheiro. Ele lembra que a manifestação no aniversário de São Paulo daquele ano era liderada pelo PMDB, na época um partido bastante diferente do atual, capitaneado por figuras como Ulysses Guimarães, e capaz de reunir o apoio de diversos movimentos sociais e populares.
Compartilhe:

Copyright © | Direção: Jornalista Emerson Araújo | Bate Tuntum | Suport/ 99 98271-8514