terça-feira, 26 de abril de 2016

DILMA: 'É MUITO CONFORTÁVEL SENTAR NA MINHA CADEIRA SEM VOTO'



Em discurso no qual confrontou diretamente o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, a quem chamou de corrupto, a presidente Dilma Rousseff se dirigiu também ao vice Michel Temer, que, segundo ela, dá "um golpe nos brasileiros"; "Esse impeachment que é golpe, na verdade ele é uma tentativa de fazer uma eleição indireta, por aqueles que não têm voto. Se eles querem chegar ao poder e não tem crime, só tem um caminho: ganhe o voto. Vão pra frente do povo e digam o que vocês querem. Mas eles não dizem, porque o que eles querem é sentar na minha cadeira, mas sem voto. É claro que isso é muito confortável", afirmou Dilma em Salvador, em cerimônia do Minha Casa, Minha Vida


Rômulo Faro - Bahia 247 - Em discurso no qual confrontou diretamente o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quem chamou de corrupto, a presidente Dilma Rousseff se dirigiu também ao vice Michel Temer (embora não tenha citado seu nome), quem acusa de dar "um golpe nos brasileiros".

"Esse impeachment que é golpe, na verdade ele é uma tentativa de fazer uma eleição indireta, por aqueles que não têm voto. Se eles querem chegar ao poder e não tem crime, só tem um caminho: ganhe o voto. Vão pra frente do povo e digam o que vocês querem. Mas eles não dizem, porque o que eles querem é sentar na minha cadeira, mas sem voto. É claro que isso é muito confortável. Você não tem que prestar conta por povo brasileiro", disse a presidente na cerimônia de entrega de mais 2.800 unidades do Minha Casa, Minha Vida em Salvador na manhã desta terça-feira (26).

Dilma ainda alertou para a ameaça de corte nos programas sociais num eventual governo Temer. "A gente sabe que eles têm um programa. O programa deles começa com uma coisa muito grave. Eles dizem: 'vamos revisitar os programas'. O que é isso? É diminuir o dinheiro que o governo paga nas casas de vocês".

Inconformada com a "injustiça", a presidente voltou a bater no golpe.

"Sem crime de responsabilidade, esse impeachment é um golpe, golpe do mais descarado. É um golpe contra os 54 milhões de pessoas que votaram em mim. Impeachment sem causa compromete a democracia. Isso é muito grave. Porque se eles desrespeitam meu mandato, qual é o mandato que eles respeitarão? Vamos juntos parar esse golpe".