sexta-feira, 15 de abril de 2016

FLÁVIO DINO: ‘A CHANCE DE TEMER DAR CERTO É ZERO’

:

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou que o discurso do vice-presidente Michel Temer (PMDB), em áudio vazado na internet, "é uma invenção surrealista um vice que faz campanha para depor a presidente. Um vice que tem 1% de intenção de voto"; "Ele fez discurso de campanha, gravou e jogou na internet. Um governo frágil, sem legitimidade, que vai por sacrifício aos mais pobres, sem base social, um programa econômico que é retrocesso. A chance de isso dar certo é zero”, criticou; para ele, o impeachment é "uma perversidade" contra Dilma; "Imagina uma mulher que não tem nada contra ela, não desviou dinheiro, não tem conta na Suíça entrar pra história como a presidenta que foi cassada?"

Maranhão 247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou o discurso do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), em áudio vazado na internet. De acordo com ele, o discurso do peemedebista "é uma invenção surrealista um vice que faz campanha para depor a presidente. Um vice que tem 1% de intenção de voto".

"Ele fez discurso de campanha, gravou e jogou na internet. Um governo frágil, sem legitimidade, que vai por sacrifício aos mais pobres, sem base social, um programa econômico que é retrocesso. A chance de isso dar certo é zero”, criticou Flávio Dino, nessa quarta-feira (13), durante evento da etapa da 2ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater).

De acordo com ele, o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) "juridicamente é uma farsa. Não fica cinco segundos de pé. Não é convicção política, apenas, é convicção jurídica. Não tem começo, meio e fim. Inventaram". Segundo ele, "isso só pode ter um nome, é um golpe. Um golpe que está se montando contra a presidente Dilma".

"A dor da injustiça rasga a alma. Imagina uma mulher que não tem nada contra ela, não desvio dinheiro, não tem conta na Suíça entrar pra história como a presidenta que foi cassada? Isso é uma perversidade contra um ser humano", disse ele,

O comunista afirmou que não muda para aderir a um sistema de poder que não acredita. “Eu não sou oportunista. Sou uma pessoa de posição. Vou externar até o fim e com convicção que vamos vencer. Embora, possa gerar incompreensões momentâneas, no tribunal da história, estará lá a modestíssima presença do governador do Maranhão com a posição correta, defendendo a democracia, os mais pobres. A minha vida inteira foi assim e não é em uma hora de dificuldade que eu vou aderir a um sistema de poder que eu não acredito”, complementou
.