terça-feira, 5 de abril de 2016

MARCO AURÉLIO DEFENDE LULA E CONDENA MORO E TEMER


:

Para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, a ida do ex-presidente Lula para o Ministério da Casa Civil poderia ser "a tábua de salvação" do governo Dilma Rousseff; "No caso ele iria para o ministério tentar resgatar o que ainda existe do Partido dos Trabalhadores", disse; em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, ele afirmou ainda que a divulgação de conversas gravadas pela Polícia Federal feita pelo juiz Sérgio Moro é "condenável a todos os títulos, já que temos uma legislação que impõe sigilo, e houve divulgação do objeto da interceptação telefônica. Agora, o conteúdo também é algo super desagradável, para dizer o mínimo"; Mello sugere uma sanção no campo administrativo; ele também indicou que deve recomendar que o processo de impeachment na Câmara também inclua o vice Michel Temer, como na ação que vazou

247 – Para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o Ministério da Casa Civil poderia ser "a tábua de salvação" do governo Dilma Rousseff.

"Desde o início [da discussão sobre a nomeação de Lula para chefiar a Casa Civil] apontei que a integração de Lula ao ministério seria a tábua de salvação do governo. No caso ele iria para o ministério tentar resgatar o que ainda existe do Partido dos Trabalhadores", disse ele.

A posse de Lula foi suspensa por uma decisão do ministro do STF Gilmar Mendes, que atendeu pedido de liminar em ação proposta pelo PSDB e PPS.

Em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, ele disse ainda que a divulgação de conversas gravadas pela Polícia Federal feita pelo juiz Sérgio Moro é "condenável" e sugere uma sanção no campo administrativo.

"A divulgação é condenável a todos os títulos, já que temos uma legislação que impõe sigilo, e houve divulgação do objeto da interceptação telefônica. Agora, o conteúdo também é algo super desagradável, para dizer o mínimo", afirmou.

Ele também indicou que deve recomendar que o processo de impeachment na Câmara também inclua o vice Michel Temer, como na ação que vazou. Nesta sexta-feira (1º), o STF divulgou por equívoco, uma decisão de Marco Aurélio que determina à Câmara iniciar um processo de afastamento contra Temer.