quarta-feira, 6 de abril de 2016

Pernambuco 247 ARMANDO COBRA COERÊNCIA DO PTB EM VOTAÇÃO DO IMPEACHMENT

Fabio Rodrigues Pozzebom: <p>Brasília- DF- Brasil- 01/12/2014- Após ser anunciado como novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o senador Armando de Queiroz Monteiro Neto, fala à imprensa no Palácio do Planalto. (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)</p>

Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior disse acreditar que o PTB não vá romper com o governo; Armando Monteiro, que é senador licenciado do partido, destacou que "a bancada sempre foi, majoritariamente, governista" e que "como o partido esteve na base durante todo esse tempo, é evidente que tem que se cobrar um mínimo de coerência da bancada, tendo em vista que ela participa do governo"

247 - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, disse acreditar que o PTB não vá romper com o governo em função do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo ele, "a bancada sempre foi, majoritariamente, governista. Mas, em muitos momentos, houve desencontros entre as posições da executiva e da bancada. Como o partido esteve na base durante todo esse tempo, é evidente que tem que se cobrar um mínimo de coerência da bancada, tendo em vista que ela participa do governo. Detém, inclusive, posições e, portanto, tem que ter uma posição, a meu ver, de manutenção desse compromisso", disse.

O ministro – que e senador licenciado - disse, ainda, não admitir que o PTB "faça um ruptura a ponto de interromper o mandato presidencial". 'Eu, se não fosse ministro e tivesse no exercício do meu mandato parlamentar, não teria dúvida em votar contra o impeachment, porque acho que só se pode usar esse mecanismo em situações de extrema gravidade e quando ficam atendidos os requisitos constitucionais legais, que a meu ver não estão presentes nesse caso", completou.