segunda-feira, 25 de abril de 2016

RUI FALCÃO: 'GOLPE É COMANDADO POR UM TRAIDOR'



Presidente do PT, Rui Falcão, disse, na abertura do seminário internacional da Aliança Progressista, que o vice-presidente Michel Temer "comanda o golpe" contra a presidente Dilma Rousseff e prepara um conjunto de medidas, que incluem a "supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e de entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros"; "Comanda o golpe o vice-presidente da República, que registra 1% de intenção de voto, caso passasse pelo teste das urnas. E que acumula nas pesquisas uma rejeição próxima de 80%. Traidor de sua colega de chapa, contra a qual conspira abertamente, Temer já anunciou um programa antipopular, de supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e de entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros", afirmou; declarações fazem parte da estratégia para denunciar o golpe à comunidade internacional

247 - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse que o vice-presidente Michel Temer "comanda o golpe" contra a presidente Dilma Rousseff e prepara um conjunto impopular de medidas, que incluem a "supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e de entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros", Declarações de falcão foram feitas nesta segunda-feira (25), durante a abertura do seminário internacional da Aliança Progressista e fazem parte da estratégia do PT para denunciar à comunidade internacional o golpe contra Dilma. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também participa do evento que reúne partidos de esquerda de vários países.

"Comanda o golpe o vice-presidente da República, que registra 1% de intenção de voto, caso passasse pelo teste das urnas. E que acumula nas pesquisas uma rejeição próxima de 80%. Traidor de sua colega de chapa, contra a qual conspira abertamente, Temer já anunciou um programa antipopular, de supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e de entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros", disparou.

Ele também criticou durante o processo de impeachment e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "A presidenta Dilma não cometeu crime algum. Não pesa contra ela qualquer denúncia de corrupção ou de recebimento de propina. Ao contrário de seu principal algoz, o presidente da Câmara dos Deputados que conduziu a primeira fase do processo, o deputado Eduardo Cunha, réu no Supremo Tribunal Federal pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de bens e evasão de divisas", atacou.

Em sua fala, o presidente do PT destacou, ainda, a participação de parte da imprensa nacional na crise política atual. "A escalada golpista só foi possível graças à participação ativa do grande capital, de setores do aparato policial e judicial do Estado, mancomunados com a mídia monopolizada e a oposição de direita", afirmou.