terça-feira, 31 de maio de 2016

ALIANÇA COM ELIZIANE ABRE DISSIDÊNCIA NO PSDB


A opção das executivas estadual e municipal do PSDB em declarar apoio à pré-candidatura da deputada Eliziane Gama abriu dissidência no ninho dos tucanos; setores do partido que defendiam o lançamento de candidatura própria ameaçam cruzar os braços e se manter indiferente à decisão do partido em disputar a sucessão na capital coligado com a representante do PPS; o ex-vereador Chico Viana já havia usado as redes sociais para se manifestar contra a decisão e anunciou que vai levar seu nome para ser apreciado na convenção da legenda tucana

Blog do Jorge Vieira - A opção das executivas estadual e municipal do PSDB em declarar apoio à pré-candidatura da deputada Eliziane Gama abriu dissidência no ninho dos tucanos. Setores do partido que defendiam o lançamento de candidatura própria ameaçam cruzar os braços e se manter indiferente à decisão do partido em disputar a sucessão na capital coligado com a representante do PPS.

O ex-vereador Chico Viana já havia usado as redes sociais para se manifestar contra a decisão e anunciou que vai levar seu nome para ser apreciado na convenção do PSDB. Viana recebeu a solidariedade de vários internautas que aproveitaram a postagem para condenar a aliança dos tucanos com Eliziane e criticar os dirigentes pela posição assumida.

No último sábado (28), o secretário de Desenvolvimento Social do Governo, deputado licenciado Neto Evangelista, até então pré-candidato, após ser rifado em sua pretensão de disputar o pleito majoritário, disse em entrevista ao Jornal Pequeno que não vê como ponto positivo a escolha e classificou a decisão dos dirigentes tucanos como um “retrocesso para a legenda”

Ao ser questionado sobre a decisão da direção municipal e estadual do partido, respaldada pela direção nacional, de fazer aliança com o PPS, Neto Evangelista fez a seguinte observação: “Trata-se de um grande retrocesso e certamente os responsáveis por esta tomada de decisão sentirão isso lá na frente. Não vejo nenhum ponto positivo nessa escolha. Absolutamente nenhum. Em minha opinião, esta atitude foi um grande erro”.

Assim com Neto Evangelista, outros segmentos da legenda, como a Juventude do PSDB,por exemplo, também já se manifestaram contra a aliança e contra a decisão dos dirigentes de abrir mão de lançar candidatura própria para apoiar uma candidatura de outro partido, o que implica em afirmar que a deputada terá o tempo do partido em sua campanha, mas não contará com militância, que deve cruzar os braços.