domingo, 1 de maio de 2016

CUT/VOX: BRASILEIROS REJEITAM TEMER E QUEREM NOVAS ELEIÇÕES


Pesquisa Vox Populi divulgada pela Central Única dos Trabalhadores na véspera do Primeiro de Maio revela que nada menos do que 62% dos brasileiros rejeitam o vice-presidente Michel Temer; um percentual praticamente idêntico, de 61%, defende a realização de novas eleições; além disso, 76% dos entrevistados assistiram a sessão da Câmara que resultou na aprovação do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara e 56% desaprovam o comportamento dos deputados; dados revelam que Temer não tem legitimidade perante a população – e a denúncia do golpe será uma das marcas do Primeiro de Maio


247 – Uma pesquisa Vox Populi divulgada pela Central Única dos Trabalhadores na véspera do Primeiro de Maio revela que nada menos do que 62% dos brasileiros rejeitam o vice-presidente Michel Temer.

Um percentual praticamente idêntico, de 61%, defende a realização de novas eleições. Além disso, 76% dos entrevistados assistiram a sessão da Câmara que resultou na aprovação do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara e 56% desaprovam o comportamento dos deputados.

Os dados revelam que Temer não tem legitimidade perante a população – e a denúncia do golpe será uma das marcas do Primeiro de Maio.

Confira, abaixo, as informações divulgadas pela CUT sobre a pesquisa:

76% dos brasileiros assistiram toda ou parte da sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment contra Dilma. A maioria não gostou do que viu - 56% reprovaram o comportamento dos deputados. 

Este é um dos resultados da nova Pesquisa CUT/Vox Populi que avaliou o sentimento dos brasileiros depois que a Câmara dos Deputados aprovou, no dia 17 de abril, a abertura do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. O processo foi encaminhado para análise do Senado.

Para 32% o Brasil vai piorar se o vice-presidente Michel Temer assumir no lugar de Dilma, 29% acreditam que o desemprego vai aumentar; 34% preveem piora em relação aos programas sociais; e 32% acreditam que perderão direitos trabalhistas. 

Os brasileiros estão mais críticos sobre ser essa (o golpe) a solução para o país e sobre a possibilidade de Temer assumir. A avaliação negativa de Temer aumentou para 62%, contra 61% (dentro da margem de erro), em relação à pesquisa anterior, realizada entre os dias 9 e 12 de abril. Já o percentual dos que NÃO consideram que o golpe é a melhor solução para o país aumentou para 66%, contra 58% do levantamento anterior.

Por não acreditar que o golpe é solução ou por desalento diante do que viram nos últimos dias, a maioria não acredita em melhoras em suas vidas no caso do Senador aprovar o processo e Temer assumir. Se o mandato de Dilma for cassado e o vice assumir, 33% acreditam que nada vai mudar no Brasil, 36% acham que nada vai mudar em relação ao desemprego, o mesmo percentual (36%) em relação a programas sociais e 35% em relação a direitos trabalhistas. 

Como o Brasil avalia a performance dos deputados 

O Brasil parou para assistir à votação da abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados no último dia 17. Quase 100% dos brasileiros assistiram a sessão – 76% assistiram toda ou em parte a sessão e 23% não viram o espetáculo. Só 2% não respondeu.

Mais da metade das pessoas não gostou do que viu. A performance dos deputados, mal preparados e com falas medíocres e até ofensivas, como a do Jair Bolsonaro que elogiou um torturador, foi julgada de forma negativa por 56% dos que assistiram a transmissão – 37% consideram o comportamento dos deputados péssimo e 19% ruim.

Avaliação dos senadores 

Os brasileiros estão divididos quanto a capacidade dos Senadores para avaliar o processo. Para 33% os senadores são mais bem preparados dos que os deputados para avaliar o processo de impeachment. Outros 25% acham e que os senadores são tão preparados quanto os deputados; 22% acham que nem senadores nem deputados são preparados; e 7% acham que os senadores são menos preparados. 14% não souberam ou não quiseram responder. 

Para 58% o Senado deve aprovar o impeachment; 35% não acham.

70% acreditam que o Senado vai aprovar o impeachment. Só 20% acham que o Senado não vai aprovar.

Eleições diretas

Para 61% dos entrevistados o melhor para o Brasil é fazer eleições diretas este ano. Para 21% o melhor é a presidenta Dilma permanecer no cargo; 11% acham que é melhor Temer assumir e 7% não sabem ou não souberam responder.

A pesquisa CUT/Vox Populi foi realizada entre os 27 e 28 de abril com o objetivo de avaliar os sentimentos e opiniões da população brasileira a respeito do processo de impeachment da presidenta Dilma. Foram entrevistadas 1.523 pessoas em 97 municípios. Ver apresentação anexa.