quinta-feira, 5 de maio de 2016

DINO: ‘INTERESSES DA ELITE MOVEM O IMPEACHMENT’


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB, afirmou que o processo de impeachment contra a presidente Dilma reflete "os interesses da elite econômica deste País, dos mais ricos, daqueles que não defendem e não concordam com as políticas de democratização do acesso ao poder, ao conhecimento e à riqueza"; "Se eles estão cometendo esse ato político, é claro que é para beneficiar, em primeiro lugar, seus próprios interesses, que são contraditórios em relação aos interesses da maioria do povo"; o chefe do executivo reafirmou que "o fascismo é um demônio que quando sai da garrafa é difícil fazer com que ele retorne. Ele costuma contaminar não só a vida política, mas também outros aspectos da vida social"

Maranhão 247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB, afirmou, em Brasília, que o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff reflete "os interesses da elite econômica deste país, dos mais ricos, daqueles que não defendem e não concordam com as políticas de democratização do acesso ao poder, ao conhecimento e à riqueza. Se eles estão cometendo esse ato político, é claro que é para beneficiar, em primeiro lugar, seus próprios interesses, que são contraditórios em relação aos interesses da maioria do povo".

"É preciso que haja uma mobilização cidadã, ampla, democrática, progressista, avançada de todos, não só dos beneficiários concretos das políticas sociais, mas de todos que compreendem que para haver uma Nação verdadeira é preciso que haja igualdade de oportunidades. Igualdade de chances. Isso só é possível com política que promovam a igualdade, que combatam a desigualdade", disse o chefe do executivo, na terça-feira (3), à jornalista Maria Carolina Trevisan, da rede de coletivos independente “Jornalistas Livres”.

O chefe do executivo reafirmou que "o fascismo é um demônio que quando sai da garrafa é difícil fazer com que ele retorne. Ele costuma contaminar não só a vida política, mas também outros aspectos da vida social". "Por isso, é preciso ter uma atitude democrática muito firme para que o fascismo seja combatido, vencido, como foi em outros momentos da história, e ele não acabe por gerar retrocessos muito graves na vida política e na vida social brasileira".

Flávio Dino afirmou lamentar muito, "como brasileiro, que as regras do jogo inscritas na Constituição não sejam respeitadas. E sempre tenho esperança na luta do povo, na luta da sociedade". Ele disse ter "esperança que as instituições, que ainda apreciarão esse pedido de impeachment, finalmente reflitam melhor sobre isso".

"Refiro-me tanto ao Senado, que ainda vai julgar, quanto eventualmente ao próprio Supremo que pode julgar, ainda, esse processo. Tenho esperança que restabeleça a autoridade da Constituição e o respeito às regras da democracia".