quinta-feira, 12 de maio de 2016

Em acordo inédito, Governo entrega patrulha agrícola para assentamento do MST



Um sonho de viver da produção do campo e contribuir para um Maranhão auto-suficiente em alimentos produzidos na terra. Esse é o desejo do agricultor Edileu Fernandes, morador do assentamento Cristina Alves, área ocupada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no município de Itapecuru-Mirim. Assim como ele, as 100 famílias que ocupam o assentamento também têm o mesmo desejo. O local possui 4.700 hectares de terra e é originário de um latifúndio desapropriado há nove anos.

O sonho de Edileu, também membro da Cooperativa Mista das Áreas de Reforma Agrária do Vale do Itapecuru (Coopevi), começa a ganhar forma. Na última quarta-feira (11), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) entregou à comunidade, uma patrulha agrícola, um tipo de trator que pretende acelerar a produção dos agricultores do assentamento Cristina Alves.

“A máquina vai trazer mais progresso para a nossa comunidade, aumentando nosso volume de produção, além, é claro, de diminuir o trabalho braçal do nosso agricultor. É um momento histórico para nós do movimento”, explicou Edileu. Ele contou ainda que usando tecnologias como essas o homem do campo tem mais condições de preparar a terra para o plantio de maneira mais correta.

Parceira da SAF e do MST, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa Cocais capacita agricultores com técnicas de manejo do solo e testa variedades de alimentos para que se adequem às condições de solo e clima do assentamento Cristina Alves. Um exemplo disso é o plantio da cultura de arroz com as variedades BRS Catiana, BRS MA-357 e BRS Pepita que estão sendo testadas no local. As orientações são dadas pelo analista de Transferência de Tecnologia, Carlos Martins Santiago, especialista na cultura do arroz e pelo pesquisador Guilherme Barbosa, ambos da Embrapa.

Como forma de auxiliar o progresso do conhecimento dos agricultores do assentamento, a Embrapa instalou na área, uma biblioteca com títulos que ensinam técnicas de plantio e informações sobre as mais diversas culturas como arroz, milho, mandioca e feijão.

Para o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, pela primeira vez o produtor rural está sendo visto como força de transformação do Maranhão. “O governo Flávio Dino trabalha com os eixos do conhecimento e produção e é isso que estamos levando ao nosso agricultor. Acreditamos que estamos no caminho certo. A patrulha agrícola vai alavancar a produção dos agricultores do assentamento Cristina Alves, são os movimentos sociais ganhando força para transformar e melhorar a qualidade de vida do homem do campo”, disse.

Com ações integradas com a SAF, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural – Agerp colabora com assistência técnica aos agricultores. De acordo com o gestor da Regional de Itapecuru, Mubaraki Trabulsi, quando se fala em progresso no campo, tem que se pensar em mecanização. “O trabalho braçal é inviável quando se pretende aumentar a produção.

Trabalhar com tecnologia além de gerar mais renda, proporciona ao agricultor mais conhecimento e qualidade de vida”, finalizou. A patrulha agrícola é multifuncional e faz o preparo inicial do solo, aradagem, gradagem e plantio a lanço.

O progresso é constante e o Governo do Estado ainda prevê para a comunidade do assentamento a entrega de uma trilhadeira de cereais e a construção de uma escola pólo para a educação das crianças da comunidade. 

Fonte: Governo do Maranhão