domingo, 15 de maio de 2016

CHANTAGEM DE PERRELLA ESCANCARA A NATUREZA DO GOLPE BRASILEIRO



Enquanto a presidente afastada Dilma Rousseff precisou de 54 milhões de votos para chegar à presidência da República, o presidente interino Michel Temer precisa agora de 54 votos dos senadores para se manter à frente do governo; essa lógica, nua e crua, foi exposta pelo senador Zezé Perrella (PTB-MG) em entrevista à BBC; "Temer terá que ter relação muito boa com Senado; se perder 3 votos, a Dilma volta", disse ele; ou seja: se Dilma caiu porque não cedeu às chantagens de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Temer, para não cair, terá agora que ceder às chantagens de políticos como Perrella, dono de um helicóptero onde já foram encontrados mais de 500 quilos de cocaína


Minas 247 – Dilma Rousseff precisou de 54 milhões de votos para chegar à presidência da República pela segunda vez. Caiu quando deixou de ceder às chantagens de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um deputado que esconde milhões na Suíça e abriu um processo de impeachment sem crime de responsabilidade.

Esse golpe bananeiro levou ao poder o vice Michel Temer, que agora precisa de 0,0001% dos votos de Dilma para nele se manter. Com 54 votos no Senado, Dilma será definitivamente afastada e Temer será presidente até o fim de 2018.

No entanto, embora seja bem mais fácil, essa tarefa exige que se pague um preço. Foi o que ficou claro na entrevista do senador Zezé Perrella (PTB-MG), que já teve um helicóptero apreendido com 500 quilos de cocaína, numa entrevista à BBC.

"Temer terá que ter relação muito boa com Senado; se perder 3 votos, a Dilma volta", disse ele. Reportagem publicada nesta manhã pelo 247 já deixa claro que Temer se tornou refém do Senado Federal (leia mais aqui).