sexta-feira, 20 de maio de 2016

LULA SOBRE OPERAÇÃO DA PF: ‘SEMPRE ATUEI NA LEI’



Em nota, Instituto Lula afirma que a Operação Janus, a primeira deflagrada pela Polícia Federal na era Temer envolvendo o nome do ex-presidente, foi "aberta a partir de ilações fantasiosas [e] transformou-se em verdadeira devassa sobre a contabilidade do Instituto Lula, da empresa LILS Palestras e sobre as contas do ex-presidente", mas que "o resultado apenas comprova que Lula sempre atuou dentro da lei, em defesa do Brasil, como fazem ex-presidentes em todo o mundo"; investigações apuram se houve influência de Lula em financiamento do BNDES quando ele era presidente; agentes levaram para depor nesta sexta o sobrinho da primeira mulher do ex-presidente, Taiguara Rodrigues dos Santos; "Lula não é parte da operação policial desta manhã, nem poderia ser", ressalta o texto

O Instituto Lula divulgou uma nota nesta sexta-feira 20 em que comenta a deflagração da Operação Janus, a primeira da Polícia Federal na era de Michel Temer envolvendo o nome do ex-presidente. O texto diz que a investigação foi "aberta a partir de ilações fantasiosas", mas que seu resultado só comprova que Lula "sempre atuou dentro da lei".

A PF apura se houve influência indevida de Lula quando ele era presidente da República na contratação de um financiamento do BNDES para a construção de uma hidrelétrica em Angola, na África, pela Odebrecht. Agentes levaram para depor nesta sexta o sobrinho da primeira mulher do ex-presidente, Taiguara Rodrigues dos Santos.

Confira a íntegra da nota divulgada pelo Instituto Lula:

Nota sobre a Operação Janus

"Há mais de um ano alguns procuradores da república no Distrito Federal tentam, sem nenhum resultado, apontar ilegalidades na conduta do ex-presidente Lula.

Uma investigação aberta a partir de ilações fantasiosas transformou-se em verdadeira devassa sobre a contabilidade do Instituto Lula, da empresa LILS Palestras e sobre as contas do ex-presidente.

Os procuradores vasculharam as viagens internacionais de Lula, quem o acompanhou, os hotéis em que se hospedou, com quem ele conversou no exterior.

E o resultado apenas comprova que Lula sempre atuou dentro da lei, em defesa do Brasil, como fazem ex-presidentes em todo o mundo.
Por isso mesmo, Lula não é parte da operação policial desta manhã, nem poderia ser.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula"