sexta-feira, 27 de maio de 2016

Polícia não descansará até prender envolvidos em estupro, diz Beltrame


O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou hoje (27) que as autoridades "não vão descansar até identificar e prender" todos os envolvidos no estupro coletivo de uma jovem de 16 anos, ocorrido no último fim de semana, em Jacarepaguá, zona oeste da capital fluminense.

De acordo com o relato da jovem à polícia, ela teria sido violentada por 33 homens fortemente armados numa casa no alto do Morro São José Operário, na Praça Seca. Os homens seriam ligados ao tráfico de drogas na região.

"Estamos com duas delegacias investigando essa barbárie, para uma rápida resposta à sociedade. Esse episódio mostra como operam as punições das facções criminosas, que ainda tentam impor o silêncio às vítimas e testemunhas. Não vão conseguir. Não vamos descansar até identificar e prender todos", disse Beltrame em comunicado publicado no Twitter da secretaria.


A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal do Rio de Janeiro também se manifestou contra o episódio e cobrou "rapidez na apuração, identificação dos responsáveis e punição dos envolvidos no crime". "Trata-se de um ato de barbárie e covardia", afirmou em nota o presidente da comissão, Jefferson Moura (Rede).

Quatro suspeitos identificados

Até o momento, a polícia identificou quatro suspeitos de terem participado do estupro de uma jovem de 16 anos, no fim de semana passado, no morro São José Operário, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. De acordo com relato da jovem à polícia, ela teria sido estuprada por 33 homens.

Dos quatro identificados até o momento, dois são suspeitos de terem divulgado as imagens nas redes sociais; um é o rapaz que tinha um relacionamento com a jovem; e o quarto identificado aparece no vídeo ao lado da garota. No entanto, a ordem de prisão ainda não foi pedida por falta de 'provas', segundo o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso.

Em depoimento à polícia, a adolescente contou que foi visitar o namorado em uma casa no alto da comunidade que era usada por homens ligados ao tráfico de drogas na região. Imagens postadas pelos supostos agressores no Twitter geraram indignação ao mostrarem a menina desacordada e nua. No vídeo, um homem admite: "uns 30 caras passaram por ela".
Cinco são suspeitos de estupro no Piauí

No Piauí, a Polícia Civil também investiga um caso de estupro coletivo, com a participação de pelo menos cinco pessoas que teriam violentado uma adolescente de 17 anos no município de Bom Jesus na última sexta-feira (20).

De acordo com a corporação, a jovem foi encontrada amarrada em uma obra abandonada. A vítima precisou receber atendimento médico, mas já recebeu alta. Após uma briga com o namorado, ela teria ingerido bebida alcoólica e os suspeitos se aproveitaram do momento para cometer o crime.

Fonte: Uol