sexta-feira, 20 de maio de 2016

WELLINGTON DIAS: “O BRASIL PRECISA DE ALGUÉM COM LEGITIMIDADE”



Durante encontro dos governadores nordestinos, em Maceió, foram feitas duras críticas ao presidente interino Michel Temer (PMDB); o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse que o processo de impeachment põe em risco a democracia e que o Brasil precisa de alguém com legitimidade nesse momento turbulento; "Precisamos de um caminho que seja via constituição. Independentemente disso, temos que encontrar um caminho para a estabilidade política. Isso pode ser via o retorno de Dilma ou por meio de novas eleições”, defendeu

Governadores dos nove estados da Região Nordeste estão reunidos, na tarde desta quinta-feira (19), no Hotel Ritz Lagoa da Anta, em Maceió, com o objetivo de elaborar uma pauta de reivindicações que será apresentada ao presidente da República, Michel Temer (PMDB). Um dos pontos que será debatido é a amortização das dívidas do estados e também soluções para o enfrentamento da crise econômica que atinge o país.

O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), afirmou que é cedo para adiantar quais os resultados da reunião, devido aos inúmeros questionamentos dos governadores. Ele defende que é preciso ouvir os secretários da Fazenda de cada estado - que tiveram reunidos pela manhã - para, em seguida, elaborar a pauta que será levada ao Governo Federal.

"Vamos ouvir os governadores e secretários da fazenda. Ouvir deles a pauta de reivindicação e, ao final, falaremos sobre o resultado. É preciso ouvir as reivindicações de cada um e juntos debatermos", disse Renan Filho.

Nesta manhã, secretários da Fazenda de todos os estados nordestinos também se reuniram no Hotel Ritz para juntos discutirem a situação fiscal de cada um, como também as questões referentes à dívida pública. 

Para o secretário da Fazenda de Alagoas, George Santoro, o estado possui uma das maiores dívidas do país e, por isso, o governo defende a prorrogação do pagamento do débito.

"Nós não defendemos moratória. Defendemos que o pagamento seja prorrogado. Acredito que um ano seria o ideal. Mas essa proposta precisa ser discutida com os demais governadores. Temos uma dívida muito grande. Uma das maiores do Brasil. Nessa reunião, vamos tratar sobre várias situações e propostas. Essa proposta de um ano é defendida por Renan. É preciso conseguir algo concreto desse encontro" , disse George Santoro.

Estão presentes ao encontro desta quinta, além de Renan Filho, os governadores Rui Costa (PT), da Bahia; Jacson Barreto (PMDB), de Sergipe; Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco; Ricardo Coutinho (PSDB), da Paraíba; Flávio Dino (PC do B), do Maranhão; Robson Farias (PSD), do Rio Grande do Norte; Wellington Barroso (PT), do Piauí; e Camilo Santana (PT), do Ceará.

Críticas ao governo Temer

Antes do início do encontro, alguns dos governadores fizeram duras críticas ao governo de Michel Temer, que assumiu a presidência após o Senado Federal aprovar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). O governador do Piauí, Wellington Dias, falou que o processo põe em risco a democracia.

"Precisamos de um caminho que seja via constituição. Independentemente disso, temos que encontrar um caminho para a estabilidade política. Isso pode ser via o retorno de Dilma ou por meio de novas eleições. O Brasil precisa de alguém com legitimidade para conduzir o país nesse momento turbulento", disse Wellington Dias.

Com gazetaweb.com