quarta-feira, 8 de junho de 2016

Golpe de Temer patina na Câmara e Dilma já funga no cangote do interino


O interino Michel Temer (PMDB) começa sofrer os efeitos, na Câmara, de uma base constituída como fruto da infidelidade e da traição.

O golpista começou sentir cheiro de enxofre no ar depois que “cortou” nomeações políticas nas estatais e disse “não apoiar nem defender” a criação de 14 mil novos cargos pelos deputados.

Vendo o entusiasmo inicial dos congressistas lhe escorrer entre os dedos, Temer já enxerga a presidente eleita Dilma Rousseff pelo retrovisor, isto é, ela se aproxima de novo do Palácio do Planalto à medida que ele não se firma.

Na verdade, Dilma já funga no cangote do interino. Que o digam os senadores!

O colunista Lauro Jardim, d’O Globo, também tratou sobre esse tema “cargos” nesta quarta (8):

Nada muda

“O travamento feito pelo governo para as nomeações de políticos para cargos federais já começa a resultar nas ameaças de praxe de obstrução da pauta feitas por deputados. Há um início de rebelião na base. Nada que não possa ser controlado — se as nomeações saírem.”

Blog do Esmael de Morais/Curitiba