terça-feira, 12 de julho de 2016

DILMA DECIDE NÃO IR À ABERTURA DA RIO 2016


Embora tenha sido convidada pelo Comitê Olímpico Internacional, a presidente eleita Dilma Rousseff decidiu não comparecer à abertura da Rio 2016; a informação foi publicada há instantes pelo jornalista Juca Kfouri; assessores de Dilma avaliam que, se ela fosse, acabaria por legitimar o interino Michel Temer, que fará a abertura oficial e é, segundo seus auxiliares, um usurpador; "Eu não irei em condições que me diminuam", já havia adiantado Dilma, em entrevista ao Diário de Notícias; em pouco mais de dois meses de interinidade, Temer ainda não teve nenhuma agenda pública e passará por seu primeiro teste nas Olimpíadas, com uma fala reduzida a apenas 10 segundos, diante do risco de vaias; para o prefeito do Rio, Eduardo Paes, as crises política e econômica transformaram os Jogos numa "oportunidade perdida" pelo Brasil

247 – A presidente Dilma Rousseff não irá à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, que acontecerá às 20h do dia 5 de agosto no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

O convite oficial do COI (Comitê Olímpico Internacional) a Dilma foi enviado nesta segunda-feira 11, assim como aos ex-presidentes Lula, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor de Mello e José Sarney.

A informação de que Dilma não irá ao evento foi divulgada nesta tarde pelo jornalista Juca Kfouri, que atribuiu a notícia a fontes do Palácio da Alvorada. Segundo ele, a presidente acompanhará a Olimpíada de casa.

"Se fosse, ficaria numa tribuna distante do presidente interino, para evitar constrangimentos", escreveu Juca Kfouri, sobre Michel Temer, que fará a abertura oficial dos Jogos de seu gabinete, sem descer ao gramado.

Em pouco mais de dois meses de interinidade, Temer ainda não teve nenhuma agenda pública e passará por seu primeiro teste nas Olimpíadas, com uma fala reduzida a apenas 10 segundos, diante do risco de vaias. Para o prefeito do Rio, Eduardo Paes, as crises política e econômica transformaram os Jogos numa "oportunidade perdida" pelo Brasil.

Recentemente, em entrevista ao jornal português "Diário de Notícias", Dilma afirmou que iria avaliar as condições em que iria ao evento. "Não irei em condições que me diminuam", disse em um texto publicado no último sábado 9 pelo veículo, quando ela ainda não havia sido convidada.