domingo, 17 de julho de 2016

EIXO DA CARTA DE DILMA AOS BRASILEIROS SERÁ NENHUM DIREITO A MENOS

:

A presidente Dilma Rousseff detalhou, em entrevista a rádios do Piauí, nesta quinta (14), o rumo que pretende dar ao país caso consiga retornar ao exercício do mandato após a derrubada do golpe; para Dilma, a base de qualquer governo que redefina o país é o respeito à vontade popular; "Governo de reconstrução nacional, baseado em pautas importantes como o compromisso com um grande pacto nacional, que permita que haja um entendimento entre todos os brasileiros e brasileiras. Esse pacto é a reconstrução do Estado Democrático de Direito, e se dará em cima da soberania nacional, do desenvolvimento econômico e das conquistas sociais”, afirmou ela dando o tom do que será o conteúdo da Carta aos Brasileiros, que apresentará em breve ao país; ouça o áudio da entrevista

247- A presidente Dilma Rousseff detalhou, em entrevista a rádios do Piauí, o rumo que pretende dar ao país caso consiga retornar ao exercício do mandato após a derrubada do golpe. Para Dilma, a base de qualquer governo que redefina o país é o respeito à vontade popular.

“Governo de reconstrução nacional, baseado em pautas importantes como o compromisso com um grande pacto nacional, que permita que haja um entendimento entre todos os brasileiros e brasileiras. Esse pacto é a reconstrução do Estado Democrático de Direito, e se dará em cima da soberania nacional, do desenvolvimento econômico e das conquistas sociais”, afirmou.

Dilma também destacou a importância de se retomar o foco das políticas sociais, enfrentando os retrocessos impostos pelo governo interino, como a proposta de mudança da Constituição que limita o crescimento dos gastos em educação e saúde para os próximos 20 anos.

“No centro da questão, está o nosso compromisso com as políticas sociais. Meu tema continuará sendo 'nenhum direito a menos'. Eu vou manter um compromisso renovado com as políticas sociais que ajudaram o Brasil a se transformar nos últimos anos e garantir oportunidades para todos”, completou.

Ouça abaixo: