quinta-feira, 28 de julho de 2016

EXCLUSIVO! Três chapas já podem está definidas para disputa em Colinas


Antonio Carlos e Shâmia: parceria que deu certo em 2012 vai se repetir esse ano.

Colinas novamente poderá ter três candidatos disputando a eleição de prefeito deste ano. Dois deles, Antonio Carlos e Valmira, certamente vão repetir os duelos travados em 2008 e 2012, com uma vitória pra cada lado. A novidade da disputa poderá ser a vereadora Régia Barroso.

Depois de muitos boatos, pressões, socos na mesa, choro e ranger de dentes e faltando só uma semana para que se realizem as convenções, é possível que Colinas já tenha definidas pelo menos três chapas com os respectivos candidatos a prefeito e vice-prefeito.

A vereadora Régia Barroso e o ex-vereador Gonçalo Neto são a grande novidade da disputa

O prefeito Antonio Carlos, que certamente é o que saiu mais fortalecido na formação das alianças, vai disputar a reeleição com sua vice Shâmia Madeira. O gestor contará com o apoio de pelo menos seis dos treze vereadores, com um rol infinito de lideranças políticas de peso e com vários candidatos a vereador com chances reais de vitória.

A vereadora Régia Barroso, que mostrou-se dura na queda, resistindo às pressões de todos os lados, inclusive do irmão Márcio Jerry, dos Brandão e até do governador do Estado para uma aliança com os Brandão, se entrar mesmo na disputa vai chegar muito forte. Ela deve contar com o apoio de pelo menos quatro dos treze vereadores colinenses. Seu vice poderá ser o ex-vereador Gonçalo Neto.

A natimorta chapa Val-Val ou Laranja e Limão, como já tá sendo chamada, será formada por Valmira Miranda e Valterly Munis

Se realmente for esse o rumo das coisas, certamente quem sairá mais enfraquecido e entrará na disputa já quase sem fôlego algum é o Grupo Brandão. O ex-prefeito Zé Henrique, dono do grupo, que não consegue deixar de agir como um coronel, achando que pode mandar em todos, tentou fazer a coisa lá por cima, pela Assembleia e pelo Palácio dos Leões, sem procurar as lideranças, sem ouvir ninguém, só ele e o irmão, Marcus.

E o resultado não poderia ser mais trágico para o coronel. Ele vem pra uma eleição duríssima só com o apoio de Humberto Coutinho, praticamente sem grupo, sem liderança política de peso, sem candidatos a vereador com chance de vitória, sem nada. A coisa ficou tão feia para o ex-prefeito que até pra escolher o vice de sua candidata ele terá dificuldade. E a escolha deve recair para o único vereador que ainda ler em sua cartilha e tinha alguma chance de reeleição: Valterly Munis. O outro, Nonato, tá inelegível.

Blog do Badeco/Colinas