segunda-feira, 18 de julho de 2016

STF: MORO NÃO PODE USAR GRAMPOS DE LULA COM QUEM TEM FORO PRIVILEGIADO


O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, deferiu, nesta segunda (18), pedido feito pela defesa de Lula em relação ao uso dos grampos envolvendo o ex-presidente e autoridades com foro privilegiado; de acordo com o advogado Cristiano Zanin Martins, "o ministro determinou que as gravações envolvendo autoridades com prerrogativa de foro fiquem em procedimento apartado, coberto pelo sigilo, até que haja apreciação pelo ministro Teori Zavascki, depois do recesso"; em manifestação enviada na semana passada ao Supremo, Moro defendeu a validade dos grampos

247 - O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, deferiu, nesta segunda-feira (18), pedido feito pela defesa do ex-presidente Lula em relação ao uso dos grampos envolvendo autoridades com foro privilegiado.

De acordo com o advogado Cristiano Zanin Martins, "o ministro determinou que as gravações envolvendo autoridades com prerrogativa de foro fiquem em procedimento apartado, coberto pelo sigilo, até que haja apreciação pelo ministro Teori Zavascki, depois do recesso".

Em manifestação enviada na última quinta-feira (14) ao Supremo, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba, defendeu a validade dos grampos de conversas do ex-presidente e políticos com foro privilegiado. A manifestação foi motivada por um pedido de informações feito pelo presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, que analisa liminar solicitada pela defesa de Lula.

Os advogados de Lula rebateram as informações apresentadas por Moro (leia aqui).