domingo, 21 de agosto de 2016

Dilma voltará e os senadores do Maranhão poderão fazer história



Por Roberto Lobato

Há uma impressão geral em Brasília de que a presidente Dilma retomará o cargo que o povo lhe outorgou nas urnas em 2014. O golpe não convenceu a ninguém e muito menos aos senadores da República que agora são os juízes do processo de impeachment.

“Quer dizer que a mulher volta, Bob Lobato, o que faz você achar que sim?”, peguntaria o leitor amigo.

Acho que a mulher voltará sim, ainda mais depois que resolveu ir ao Senado para olhar olhos nos olhos do “juízes” e reafirmar o que eles de fato já sabem, ou seja, que a presidente não cometeu crime de responsabilidade.

Ninguém em bom juízo, falo do senadores, irá querer passar para a história como “golpista”, ainda mais os senadores do Norte/Nordeste, regiões que ganharam muito com os governos Lula e Dilma.

A bancada maranhense no Senado Federal, segundo ouve-se falar, deverá votar unida em relação ao impeachment, a favor ou contra, mas tudo indica que Edison Lobão, João Aberto, ambos do PMDB, e Roberto Rocha, do PSB, darão o mesmo voto.

Trata-se da soberania do voto num momento crítico em que o país vive.

Nenhum dos nossos três senadores deve suas consciências a ninguém, muito menos ao governador do Maranhão que jamais teve a iniciativa política de, num gesto de humildade, procurá-los e pedir o voto dos três juízes maranhenses que julgaram o impeachment da presidente.

Não é possível, claro, afirmar como o senadores do Maranhão votarão no processo de afastamento definitivo de Dilma.

Mas, com certeza, o ânimo deles – Edison Lobão, João Aberto e Roberto Rocha – de juntarem-se ao “golpistas” não é mais tão evidente como no início desse incômodo, sofrido e doloroso momento da vida nacional.

Vale aguardar e conferir.

Roberto Lobato - Administrador, especialista em marketing, ativista digital, editor do blog www.robertlobato.com.br