segunda-feira, 5 de setembro de 2016

‘NÃO HAVERÁ SAÍDA PARA A CRISE MEDIANTE GOLPES, JEITINHOS OU FORÇA BRUTA’

Uma das principais lideranças críticas do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o governador do Maranhão, Flávio Dino, também afirmou que "a boa Política exige diálogo entre as várias forças políticas e consulta à sociedade quando impasses não encontram solução institucional", "Instituições do país não estão 'funcionando'. Estão paralisadas há 2 anos, ao sabor de uma guerra e de pautas policiais", disse ele no Twitter; a declaração aconteceu após a Polícia Militar reprimir violentamento as manifestações contra Michel Temer em São Paulo

Maranhão 247 - Uma das principais lideranças críticas do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o governador do Maranhão, Flávio Dino, afirmou que a "continuidade do quadro conflituoso mostra que o país não vai encontrar caminho mediante golpes, 'jeitinhos' ou força bruta. Falta Política".

"A boa Política exige diálogo entre as várias forças políticas e consulta à sociedade quando impasses não encontram solução institucional", afirmou ele no Twitter, defendendo um plebiscito sobre novas eleições, como prometeu Dilma se voltasse ao cargo de presidente da República.

Segundo Flávio Dino, as "instituições do país não estão 'funcionando'. Estão paralisadas há 2 anos, ao sabor de uma guerra e de pautas policiais".

"Impossível retomar de modo forte e duradouro investimentos públicos e privados nesse clima econômico e político", disse. "Devemos ter cuidado para não ir de 31 de março de 1964 a 13 de dezembro de 1968 em poucos meses. Já conhecemos o resultado desastroso".