terça-feira, 29 de novembro de 2016

DIÁLOGO CONFIRMA PRESSÃO DO PLANALTO SOBRE CALERO


Gravações feitas por Marcelo Calero, ex-ministro da Cultura, confirmam que o Palácio do Planalto o pressionou para liberar uma obra ilegal, que favoreceria o ex-ministro Geddel Vieira Lima; num dos telefonemas, Gustavo do Vale Rocha, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, diz que irá encaminhar um recurso para o Iphan e para a Advocacia-Geral da União; Calero responde que não iria se envolver com o assunto; no diálogo com Michel Temer, o presidente lamenta ter sido "insistente" para que ele permanecesse no cargo

247 – Foram divulgadas, nesta tarde, algumas gravações feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que confirmam as pressões do Palácio do Planalto, para que ele liberasse uma obra ilegal na Bahia, onde o ex-ministro Geddel Vieira Lima tem um imóvel de R$ 2,4 milhões.

Num dos telefonemas, Gustavo do Vale Rocha, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, diz que irá encaminhar um recurso para o Iphan e para a Advocacia-Geral da União – Calero responde que não iria se envolver com o assunto.

No diálogo com Michel Temer, o presidente lamenta ter sido "insistente" para que ele permanecesse no cargo.

Confira abaixo:

CONVERSA COM GUSTAVO DO VALE ROCHA

[Gustavo do Vale Rocha] Eu tô te ligando que eu tô dando entrada lá com um pedido protocolar. Então, vou protocolar o recurso lá no Iphan.
[Calero] Tá
[Rocha] Vou protocolar uma cópia aí.
[Calero] Tá. Mas eu até falei com o presidente, Gustavo, eu não quero me meter nessa história, não.
[Rocha] É. O que ele me falou para falar era: 'veja se ele encaminha e não precisa fazer nada'. Encaminha para a AGU. Falou isso comigo ontem, né. Aí eu falei, não, eu falo isso com ele.
[Calero] Bom, tá, eu vou, eu vou fazer uma reflexão aqui, Gustavo.

AS CONVERSAS, DE ACORDO COM A GLOBONEWS

[Calero] Oi, presidente
[Temer] Oi, Marcelo. Tudo bem, Calero?
[Calero] Como vai o senhor, tudo bem?
[Temer] Bem, graças a Deus.
[Calero] Maravilha
[Temer] Tô aqui por São Paulo hoje.
[Calero] Maravilha, presidente.
[Temer] Então
[Calero] Eu fiz uma reflexão muito grande de ontem para hoje e agradeço...
[Temer] Pois não
[Calero] Muito por o senhor ter insistido. Quero pedir a minha demissão e quero que o senhor aceite por gentileza. Porque não me vejo mais com condições e espaço de estar no governo.
[Temer] Interessante. Tudo bem. Se é a sua decisão, Calero, tem que respeitar. Ontem até acho que fui um pouco inconveniente, insistindo muito para você permanecer. Confesso que não vejo razão para isso. Mas você terá as suas razões.
[Calero] Sem dúvida