sábado, 26 de novembro de 2016

Morre aos 87 anos o pastor Russell Shedd, e deixa uma lacuna na igreja brasileira


Com frequência dizemos que ninguém é insubstituível, mas raramente paramos para meditar nas implicações de nossas afirmações. Se formos honestos e humildes, admitiremos que algumas pessoas possuem um ministério ímpar, são dádivas generosas que Deus concede à sua igreja. Assim foi o pastor Russell Shedd.

Nascido na Bolívia, formou-se nos Estados Unidos, viveu em Portugal, mas foi no Brasil que fixou residência, onde viveu até a sua morte. O Dr. Russell Shedd deixou o plano terreno para viver a eternidade com Cristo Jesus.

Ele faleceu na madrugada de hoje, em 26 de novembro, depois de vários meses lutando contra um câncer muito agressivo, mas preferiu ficar em casa com a família a tentar um tratamento no hospital.

O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.

BREVE BIOGRAFIA

Nascido no dia 10 de novembro de 1929, Russell Philip Shedd Aiquile, Bolívia. Foi um conceituado teólogo evangélico e missionário da Missão Batista Conservadora no Sul do Brasil.

Russell Shedd nasceu na Bolívia, onde seus pais, Leslie Martin e Della Johnston foram missionários entre os índios. A educação primária de Russell Shedd deu-se em uma escola missionária na Bolívia. Ele foi para os Estados Unidos no início da adolescência para completar seus estudos de 2º grau na Westervelt Home e na Wheaton Academy, na área metropolitana de Chicago, numa transição natural para o Wheaton College, onde, em 1949, recebeu o grau de bacharel. Depois, ainda nos Estados Unidos, ele graduou-se em teologia pela Wheaton College. Diplomou-se Ph.D. em Novo Testamento pela Universidade de Edimburgo, Escócia.

Ele voltou ao seu país de origem, porem, tempos depois, em 1955, Shedd volta aos EUA e aceita o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no Estado do Alabama, ao tempo que serviu durante cerca de um ano como pastor interino e logo foi aceito como missionário pela Missão Batista Conservadora. Depois, foi trabalhar em Portugal por um curto período. Em seguida, transferiu-se para o Brasil em 1962, estabelecendo-se definitivamente em São Paulo, onde continuou as Edições Vida Nova, que havia iniciado em Portugal com Arthur Brown. Na Capital Paulista, Dr. Russell Shedd lecionou na Faculdade Teológica Batista de São Paulo. No dia 22 de junho de 1957, casou-se com Patrícia, com quem tem 5 filhos.

Ao voltar para os Estados Unidos em 1955, Russell Shedd aceitou o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama. Ali conheceu a aluna Patricia Dunn. A amizade entre eles floresceu até chegar a um compromisso para a vida inteira. Casaram-se em 22 de junho de 1957 e passaram a lua-de-mel na Guatemala.

ÚLTIMOS ANOS

Em seus últimos anos de vida, Shedd foi Presidente Emérito da Vida Nova e consultor da Shedd Publicações e viajou pelo Brasil e exterior ministrando em conferências, igrejas, seminários e faculdades de Teologia, como Betel Brasileiro. Pertence a Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão (IBEC).

Como conferencista, Shedd esteve várias vezes no Encontro Para a Consciência Cristã, evento realizado em Campina Grande durante o período do carnaval. Este ano, ele seria um dos 32 preletores convidados para a 18ª Consciência Cristã, porém teve de cancelar a sua participação em função de problemas de saúde. Ele faria palestra no 2º Encontro de Líderes uma Visão Cristocêntrica e no 5º Encontro de Mulheres para uma Consciência Cristã.

LIVROS ESCRITOS

Como escritor, Dr. Russell Shedd escreveu dezenas de livros, com destaque para: “Andai Nele”, “A Justiça Social e a Interpretação da Bíblia”, “Disciplina na Igreja”, “A Escatologia do Novo Testamento”, “Alegrai-vos no Senhor”, “O Mundo, a Carne e o Diabo”, “Nos Passos de Jesus”, “Lei, Graça e Santificação”, “Imortalidade”, “A Solidariedade da Raça”, “Justificação”, “A Escatologia e a Influência do Futuro no Dia-a-dia do Cristão”, “A Oração e o Preparo de Líderes Cristãos”, “Fundamentos Bíblicos da Evangelização”, “Adoração Bíblica”, “O Líder que Deus Usa”, “Palavra Viva”, “Teologia do Desperdício”, “Missões – Vale a Pena Investir?”, “Criação e Graça – Reflexão Sobre as Revelações de Deus”, “Avivamento e Renovação” e “Teologia do Desperdício – a Plenitude de uma Vida Que Glorifica a Deus”. Ademais, escreveu centenas de artigos publicados por sites e revistas voltados para o público cristão. Além disso, é editor responsável pelos comentários da Bíblia Shedd / Bíblia Vida Nova e foi membro da comissão de tradutores para o português brasileiro da Bíblia NVI (Nova Versão Internacional), uma das mais reconhecidas traduções protestantes da Bíblia em português.

TEOLOGIA

Teologicamente, Shedd era um batista, fazendo menção de que a salvação vem pela graça mediante a fé através da eleição e predestinação, além de ser um forte defensor da pregação expositiva. Defendia a autoridade suprema e inspirada da Bíblia, sendo esta a única revelação fidedigna de Deus, pelo que postulava que “a Bíblia é a palavra de Deus”. Como Batista, defende os princípios doutrinários da denominação. Era amplamente reconhecido e um dos nomes mais nobres da teologia protestante atual.

LEGADO PARA A IGREJA BRASILEIRA

Indiscutivelmente, o doutor Russell Shedd continuará como sendo uma grande referência internacional de integridade, conhecimento bíblico e vida cristã. Para o pastor José Bernardo, fundador da AMME Evangelizar, “Shedd é alguém que devemos escolher como modelo de vida”. Além disso, a perseverança em trabalhar na Obra de Deus é um exemplo para as lideranças tentam o êxito no ministério pastoral neste século 21.

Missionário de origem americana, Shedd, prestou decisiva colaboração à Igreja nacional, seja através de seus livros e trabalhos de cunho teológico, seja com suas pregações, conferências e palestras. Sempre que era indagado sobre seu vigor físico em suas atividades, ele respondia: “Acordo todo dia antes das cinco da manhã. Assim, é possível dedicar uma hora ou mais à leitura bíblica e à oração.”

Russell Shedd integrou a comissão de tradutores para o Português brasileiro da Bíblia NVI (Nova Versão Internacional); foi autor dos comentários de uma Bíblia que tem o seu nome (Bíblia Shedd – Edições Vida Nova). Ele conta que a decisão do título da obra não foi sua: “Foi uma coisa terrível. Poderia se chamar Bíblia do obreiro, Bíblia Vida Nova…”.

Em entrevista ao jornalista Jehozadak Pereira, do Portal Escola Teológica Charles Spurgeon, O Dr. Russell Shedd respondeu dezenas de perguntas. Contudo, três delas chamou a atenção dos internautas: A doença espiritual da igreja, islamismo como o maior inimigo do evangelho e as diferentes tendências para o século 21.

Sobre a doença espiritual da igreja, Shedd disse que há igrejas locais bem organizadas, são firmes teologicamente, recebem pregações bíblicas, e há outras que não falam da Bíblia, não usam a Bíblia, falam o pensamento que sai na cabeça. Não tem meditação nem o cuidado para melhorar a qualidade da pregação.

Perguntado se o islamismo se constitui no maior adversário do Evangelho hoje, ele disse que não tem dúvida sobre essa questão. Segundo, ele o islamismo é muito forte em países africanos, que tem influência católica. Em Moçambique, por exemplo, o islamismo é muito forte no Norte do país. É como se uma onda fosse descendo. Na Nigéria, que tem até presidente evangélico, mas tem se dobrado ao islamismo. Veja o Sudão, onde há conflito entre o Evangelho e o islamismo causando martírios e mortes.

Por último, ele falou sobre as diversas tendências da igreja no século 21, afirmando que “na Ásia, a igreja cresce muito e rapidamente. Nos Estados Unidos, me parece que há uma acomodação, principalmente nesta região. No Sul, a igreja é muito forte e cresce bastante. No Brasil, há um crescimento do evangelicalismo, mas há uma forte tendência de se aderir à teologia da prosperidade, que se não for muito bem sustentada e ministrada através de estudos bíblicos, para que as pessoas possam entender o que significa um compromisso com o senhorio de Cristo, e não para receber uma vida confortável, emprego, etc”.

Por Gomes Silva (VINACC)