sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pastor Ariovaldo: em que imbroglio a nação se meteu…


Um bando de gatos pingados vai à rua para protestar contra o estado de coisas que eles mesmos promoveram, pedindo que se estabeleça um determinado conjunto de leis... Isso pedem os que protestaram para que, ao arrepio da lei, a presidenta fosse deposta.

Imbróglio

Quem não conhece a história de Pedro e o lobo? Pedro era um jovem que foi a floresta, e recebeu a recomendação de, em avistando o lobo, gritar: é o lobo! Pois, o socorro viria em seu favor. E tão logo chegou à floresta, decidiu testar para ver se socorro viria mesmo, e gritou, e o socorro veio, e ele ficou feliz, mas, pouco tempo depois, foi tomado, novamente, pela dúvida, e tornou a gritar, e, mais uma vez, veio a ajuda. Pedro demonstrou muita alegria, mas, explicou que era mais um teste. Não obstante a presteza dos socorristas, por terceira vez os testou, vieram, mas, demonstraram todo o seu desagrado. Pedro ainda estava a processar o que ouvira, quando, então, o lobo apareceu, e Pedro começou a gritar desesperadamente, mas, os seus companheiros não foram, por pensarem que se tratava de outro factóide. Pedro, após muitas peripécias, escapou, mas, aprendeu a lição: Depois que a credibilidade foi perdida, fazer o certo não a recupera, pois, as pessoas, que deveriam reagir, não conseguem mais crer naquele que, desta vez, faz o certo.

É dessa forma que estamos todos, depois do PL das 10 medidas, contra a corrupção, votadas pelo Congresso; é verdade que as 10 medidas continham elementos que atentavam contra o Estado de Direito, é, também, fato que magistrados e promotores precisam ser controlados democraticamente, e precisam ter coibida qualquer tentativa de abuso de poder. Mas, depois do golpe, e de toda a demonstração de insensibilidade ao clamor popular, o Congresso perdeu a credibilidade, ninguém mais acredita que é pura busca pelo bem comum. E, mesmo o que parece adequado, fica sob suspeição.

Por outro lado, dizer que a punição ao abuso de poder prejudica as investigações e a consequente execução da operação lava jato, não procede, a menos, que se esteja admitindo que sem abuso não é possível fazer valer a lei; o que seria uma contradição de termos, tipo: Precisamos solapar a lei para que ela seja cumprida.

E aí, um bando de gatos pingados vai à rua para protestar contra o estado de coisas que eles mesmos promoveram, pedindo que se estabeleça um determinado conjunto de leis… Isso pedem os que protestaram para que, ao arrepio da lei, a presidenta fosse deposta, permitindo que surgissem os tais usurpadores do Estado de Direito, que, agora, se negam a ter o seu poder questionado, enquanto legislam contra o abuso de poder.

Em que imbróglio a nação se meteu…

O nosso luto vem do verbo lutar!

Do Blog Nocaute