domingo, 29 de janeiro de 2017

Pela Criação do Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica de Tuntum - NOPH


Por Emerson Araújo/Professor

As pequenas, médias e grandes cidades brasileiras, em pleno século 21(vinte e um), não podem se dar ao luxo de deixar de lado a sua história de construção social, econômica e política para as atuais e futuras gerações.

Pesquisar todas as histórias encravadas na trajetória das cidades ganha premência como marca de desenvolvimento, planejamento e modelação memorial para se compreender o presente e planejar o futuro das "civitas" em melhores condições em qualquer contexto geográfico e social do país.

Nesta perspectiva e, por iniciativa de algumas experiências pessoais empíricas, é que defendemos a criação de um Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica de Tuntum - NOPH que dará norte para um planejamento de maior sustentabilidade para todos os desígnios do município na busca do desenvolvimentismo social e econômico que se quer em curto, médio e longo prazos e com possibilidade, ainda, de fomentar o interesse de milhares de jovens na compreensão mais real de e sobre Tuntum nos bancos escolares.

Conhecer Tuntum no seu passado é olhar para o Tuntum do futuro como um todo e, são com estes fundamentos básicos que o Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica de Tuntum - NOPH deve nascer como instituição de memória e preservação, de compreensão de todas as realidades que é pauta sobre este município encravado no centro-sul maranhense, rico em experiências econômicas e políticas de um passado não tão distante que precisam serem preservadas pelos seus cidadãos.

Apartidário, sem vínculo religioso ou intelectual exclusivos, o Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica de Tuntum - NOPH deve ser organizado e mantido por todos tuntunenses ou/e voluntários que amam a preservação, que vislumbram na pesquisa histórica da cidade a sua organização social em melhores condições. Mãos a obra.