sábado, 11 de fevereiro de 2017

20 anos sem Darcy. Série especial para lembrar um brasileiro inesquecível



Por Fernando Brito/Tijolaço
O Tijolaço incia hoje a publicação de uma série de artigos em memória de Darcy Ribeiro, cuja obra e memória serão lembrados, em dois dias de debates, dias 15 e 16 de janeiro, no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro e, no dia 17, numa sessão na Academia Brasileira de Letras.
O primeiro dia, 15, terá duas mesas de discussão.
A primeira, “Darcy semeia escolas” enfoca seu trabalho como educador, desde 1955, a colaboração com Anísio Teixeira, no  governo JK e na criação da Universidade de Brasília, sua ação mesmo nos tempos de exílio, a concepção e implantação dos Centros Integrados de Educação Pública (Cieps), ao lado de Leonel Brizola, no Rio de Janeiro e, no Senado, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação. 
A segunda, o debate “Os fazimentos de Darcy” cuida da sua ação na academia; na militância política; na vida pública; e na criação de espaços e equipamentos públicos como o Sambódromo, Memorial da América Latina, Memorial dos Povos Indígenas, a UnB, a Universidade do Norte Fluminense e outros, dentro e fora doBrasil.
No dia seguinte, “Darcy em prosa e verso”, discute seus livros e trabalhos, nos campos da etnologia e da antropologia além dos  quatro romances, entre eles “Maíra”  que completa 40 anos de seu lançamento. À tarde,  “Darcy dos índios” vai abordar sua longa e apaixonada convivência com os índios Kadiwéu, no sul do Mato Grosso, e os índios Urubu-Kaapor, na floresta amazônica e sua paixão eterna em entender e defender os povos e a matriz cultural dos mais legítimos brasileiros.
Como sei que os leitores não podem comparecer, vou tentar colocar um link para a transmissão pela internet, se for possível. Mas começo hoje a publicação de textos de colaboradores de Darcy sobre cada um dos temas e coloco aqui a programação, para quem quiser participar dos debates.
O primeiro artigo está aqui.