segunda-feira, 13 de março de 2017

Tema solicita a Cemar medidas de parcelamento de débitos para os municípios

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, prefeito Cleomar Tema (Tuntum), reuniu-se nesta última segunda-feira com o diretor da Companhia Energética do Maranhão, José Jorge.

Na ocasião, Tema solicitou que a empresa crie medidas que viabilizem, por exemplo, o parcelamento de dívidas das prefeituras, muitas delas deixadas por ex-gestores que governaram as cidades até o ano passado.

“Existem municípios pequenos, com baixa arrecadação e sobrevivendo apenas dos repasses do FPM, que possuem débitos milionários com a empresa. Defendemos, sim, o pagamento. Porém, estamos solicitando que a Cemar viabilize um canal de parcelamento para que os gestores, em especial os novos, tenham condições de honrar o compromisso sem prejudicar as administrações”, afirmou o presidente da entidade municipalista, que participou do encontro acompanhado do prefeito de Arari e vice-presidente da Federação, Djalma Melo; e dos prefeitos Chico Feitas (Lagoa Grande) e Tiago Dantas (Feira Nova do Maranhão).

Durante a reunião, também foram tratados outros assuntos, tais como tarifas sociais e o setor de iluminação pública.

Tiago Dantas agradeceu o empenho de Cleomar Tema em tentar viabilizar uma solução que beneficie as prefeituras e os moradores.

“Estamos colocando muitos trabalhos em dia. Fora o serviço de iluminação pública que está deficitário, temos um débito com a Cemar e que ainda não podemos pagar totalmente. Por isso, agradeço ao presidente Tema por tomar essa atitude de liderança e compromisso”, afirmou.

Tema aproveitou a oportunidade para convidar José Jorge para participar dos encontros regionais que a FAMEM promoverá em todas as regiões do estado a partir de abril.

Também ficou acordado que a entidade e a empresa promoverão, no próximo dia 28, um grande encontro com os prefeitos de municípios que estão em situação de débito com a Cemar.

O objetivo é encontrar soluções que viabilizem o pagamento das dívidas.

Ascom/Famem