sábado, 8 de julho de 2017

DIA DO EVANGÉLICO DE BARRA DO CORDA – CONHECENDO UM POUCO DA HISTÓRIA



Pastor Jairo Oliveira dos Santos

No dia 28 de Fevereiro de 2013, durante a sessão ordinária, os vereadores de Barra do Corda aprovaram o Projeto de Lei Nº 009/2013, de iniciativa do poder executivo que institui o Dia do Evangélico no 2º sábado de julho. Dia 8 de julho deste ano, próximo sábado, acontecerá então a quinta edição do Dia do Evangélico com a participação de todos os evangélicos da cidade e muitos da região com uma passeata/carreata saindo da Rodoviária às 07:00 horas e passando pelas principais ruas da cidade e o encerramento da programação será às 19:00 horas com um Culto no Espaço Cultural com a participação do cantor Régis Danese.

O Dia do Evangélico na nossa cidade só é possível por causa da existência dos evangélicos de diversas igrejas. Para entendermos melhor o Dia do Evangélico, é necessário mergulharmos um pouco na história evangélica da nossa cidade. E a história começa com a chegada de um homem chamado João Batista Pinheiro. Ele veio com seus familiares da cidade de Icó - CE em busca de uma vida melhor no Maranhão. Eles deixaram o Ceará no fim da década de 1870, primeiro foram para a cidade de Viana na baixada maranhense e só depois em 1892, chegaram em Barra do Corda.

João Batista sofria de uma doença degenerativa e teve que amputar as duas pernas, uma na cidade de Icó – CE e a outra em São Luis – MA.

João Batista era muito pobre de recursos deste mundo e em 1892 deixou seus parentes em Barra do Corda e tomou um vapor para São Luis com o objetivo de ir a Recife cuidar da saúde e pedir ajuda as pessoas para se manter e manter a família. Foi nesta cidade, quando pedia esmolas assentado na calçada, ouviu um hino evangélico e atraído pela linda melodia e letra entrou numa igreja evangélica, ouviu o evangelho de Cristo e converteu-se ao Evangelho de Cristo. Porém, antes de voltar ao Maranhão, aprendeu vários textos bíblicos e vários hinos e adquiriu uma Bíblia e a trouxe consigo. Chegando em Barra do Corda, no ano de 1893, começou a reunir os parentes, lia e explicava o livro sagrado. Alguns parentes converteram-se a Cristo e assim era lançada a semente dos evangélicos e da igreja evangélica nesta cidade.

Em 1901 veio visitar João Batista e o grupo de convertidos em Barra do Corda um missionário de Caxias-MA chamado Dr. Thompson, mas por conta da distancia foi impossível esse missionário dar assistência aos convertidos em Barra do Corda. Mas o grupo continuava firme em Jesus Cristo, se alimentando da Palavra de Deus e se desenvolvendo.

Em 1906 o missionário canadense Perrin Smith que chegou ao Maranhão em 1904, vinha de São Luis e visitou João Batista, mas estava apenas de passagem para Grajaú onde morava e trabalhava. Mas nessa visita, João Batista Pinheiro falara que estava orando pedindo que Deus enviasse um pastor para cuidar dos convertidos em nossa cidade e que Perrin Smith era esse homem e que logo deveria mudar para cá.

Em 1911 foi realizado o primeiro batismo nas águas pelo missionário canadense Perrin Smith que passava por aqui mais uma vez, onde 30 pessoas foram submetidas a esse rito evangélico e bíblico.

Em 1914, após voltar do Canadá Perrin Smith veio morar em Barra do Corda por ser uma região mais central do estado e por ter um grupo de convertidos necessitando de assistência espiritual. Ele morou por muitos anos, juntamente com sua família na residência onde hoje fica o cartório eleitoral no bairro Incra. Neste tempo em que Perrin Smith veio morar em nossa cidade, João Batista já estava surdo, quase cego e sem poder continuar a obra. Mudara com filhos e alguns parentes para um local chamado Lagoa da União a 30 quilômetros de Barra do Corda onde viviam da lavoura. Neste local que ficou conhecido como Centro dos Protestantes também tinha uma igreja, pois havia muitos convertidos e neste local os cultos e as festas evangélicas eram animadas, tendo hora para iniciar e não para terminar.

No dia 22 de março de 1916 numa humilde casa as margens do rio Flores João Batista foi chamado à presença do Senhor no céu. Mas cumpriu a sua missão sendo o primeiro evangélico nesta cidade, o primeiro pregador e missionário do Evangelho nas nossas terras. Eu até digo que João Batista Pinheiro foi o homem mais influente da nossa cidade em todos os tempos, um homem pobre de recursos humanos, doente sem as pernas, sem formação acadêmica, mas que viveu e pregou o Evangelho de Cristo e lançou a semente de uma igreja que hoje está espalhada em várias cidades do Brasil e no exterior que é a Igreja Cristã Evangélica. A vida desse homem nos lembra do texto bíblico encontrado em 1 Coríntios 1.27-29: “... Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus.”

O início dos evangélicos na nossa cidade não foi nada fácil. João Batista Pinheiro e os primeiros convertidos sofreram duras perseguições, pois existiam muitos intolerantes dispostos a fazerem qualquer coisa para barrar o avanço do Evangelho nesta cidade. Em um domingo enquanto lia a Bíblia para os parentes, um grupo de vândalos invadiu a casa, tomou a Bíblia e à noite, na praça fizeram uma fogueira e queimaram a Bíblia como sinal de protesto contra o que acreditavam ser um “herege e sua heresia”. As pessoas vaiavam-no por ser crente, chamavam João Batista e os demais convertidos de “cú de couro”, isso porque esse homem não tinha as pernas e andava se arrastando pelas ruas da cidade assentado em um couro de boi com rodinhas. Certa vez derrubaram-no do seu carrinho e o espancaram a pedradas. Para salvá-lo, o juiz de direito da cidade mandou recolhe-lo todo ensanguentado em sua casa onde deu banho e cuidou dos seus ferimentos até a sua recuperação. As primeiras Bíblias que chegaram de São Luis para serem distribuídas aos primeiros convertidos, foram apreendidas pelos intolerantes e em um ato em praça pública foram queimadas com palavras de ordem das pessoas que aquela religião era falsa e não triunfaria.

Mas graças a Deus, as forças do mal não puderam e não podem nada contra a Igreja de Cristo. O próprio Senhor expressou: “...e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16.18) e o apóstolo Paulo afirmou: Porque nada podemos contra a verdade, senão em favor da própria verdade.” (2 Coríntios 13. e ainda Gamaliel complementa dizendo: “ Agora, vos digo: dai de mão a estes homens, deixai-os; porque, se este conselho ou esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus, não podereis destruí-los, para que não sejais, porventura, achados lutando contra Deus...” (Atos 5.38,39)

A mensagem que João Batista Pinheiro e outros homens e mulheres de Deus trouxeram era a mensagem do Evangelho de Cristo e por isso foi aceita pelos primeiros convertidos e criticada pelos intolerantes. Essa mensagem continua sendo pregado por nós nesta cidade e esse Evangelho é nada mais do que “... poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...” (Romanos 1.16). Por isso os primeiros evangélicos desta cidade não se envergonharam dessa mensagem e nós evangélicos da atualidade não podemos em hipótese alguma nos envergonhar desse Evangelho que nos salvou do domínio do pecado e das garras do diabo, Satanás.

Chegaram depois muitos missionários vindos do Canadá, EUA, Inglaterra, Alemanha, dentre outros países e aqui fundaram o Internato Maranata e Escola Maranata onde ensinavam as pessoas a ler e escrever e preparavam pastores e missionários para a obra de Deus.

Chegaram também na nossa cidade missionários da Assembleia de Deus, Batista, Presbiteriana e de outras igrejas para cooperar com o avanço do Evangelho nesta cidade. Hoje Barra do Corda tem inúmeras igrejas e inúmeros evangélicos: Igreja Cristã Evangélica, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Batista da Paz, Batista Shalon, Batista da Conquista, Batista da Família, Igreja Presbiteriana, Igreja Comunidade Eclesial Cristã, Igreja Peniel, Igreja Missão Evangélica Pentecostal do Brasil, Igreja Comunidade Evangélica Integrada da Família, Igreja Quadrangular, Igreja de Cristo, Igreja Marca da Bênção e outras. Cada igreja com sua história, cada igreja realizando a obra nesta cidade para glorificar a Deus e abençoar vidas.

Ser evangélico é ter sido alcançado pelo Evangelho de Cristo, é viver, praticar o Evangelho como diz a Bíblia: “Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo...” (Filipenses 1.27)

Fonte de pesquisa: NOSSAS RAÍZES do Pastor Abdoral Fernandes da Silva e  EM LUGAR DO ESPINHEIRO da missionária Eva Mills e também conversa com alguns idosos como Jasson Barros, João Barros, Elias Barros, Josué Barros, Abraão Jorge e outros.

Jairo Oliveira dos Santos – Pastor da IGREJA CRISTÃ EVANGÉLICA Central de Barra do Corda - MA.