terça-feira, 18 de julho de 2017

DINO, QUE MIRA REELEIÇÃO, PODE TER ROSEANA E PELO MENOS MAIS 3 NO PÁREO

Blog da Sílvia Tereza - A quase um ano do início da campanha, visando ao governo do Maranhão em 2018, é possível avaliar o cenário das pré-candidaturas que já se apresentam ao pleito. Nomes conhecidos como o governador Flávio Dino (PCdoB), a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), o senador Roberto Rocha (PSB), o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PODEMOS), já aparecem nas pesquisas iniciais.

Flávio Dino é franco candidato à reeleição, faltando, claro, apenas a convenção para confirmar e homologar a candidatura. Tem feito um governo bastante popular, voltado, sobretudo, para melhorar a qualidade de vida da população do Estado e ganhou projeção nacional pela sua ideologia, capacidade de articulação e pela forma como se posiciona diante das questões do país, chegando a ser indicado até para vice numa possível chapa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) à presidência da República.

Já a ex-governadora Roseana Sarney não tem ela própria certeza de sua candidatura, pois o grupo a que pertence dominou a política do Maranhão por mais de quatro décadas, mas não consegue se levantar diante de uma série de fatos que surgem, pondo em xeque os governos oligárquicos, da impopularidade e da falta de articulação e entendimentos mesmo.

Na avaliação do blog, Roseana só entraria na disputa pelo governo, mesmo, se tiver chances reais de vencer e se alguém ou o grupo se disponibilizar em financiar ou buscar recursos para a campanha. Ela não tiraria do “bolso” ou do patrimônio para arriscar no processo eleitoral. Outro complicador para a ex-governadora é a alta rejeição.

Roseana também precisa garantir imunidade para se proteger e não vai arriscar ficar sem mandato por mais anos. Pelo andar da carruagem, talvez, disputará uma vaga na Câmara Federal no próximo ano.

Eduardo Braide somente tem votos em São Luís, pois disputou, recentemente, a eleição municipal para prefeito e apresentou bom desempenho. Tem apoio e simpatizantes em Anajatuba, onde seu grupo político reinou. Mas, no entanto, se entrar na disputa pelo governo, corre sérios riscos de ficar sem mandato. Na avaliação do blog, ele não se arriscará. Caminho mais certo para ele é concorrer a uma cadeira de deputado federal para brigar pela Prefeitura de São Luís em 2020.

Já o senador Roberto Rocha não tem o que perder, aparentemente, entrando na disputa pelo governo. Porém, nas primeiras pesquisas já divulgadas, ele não consegue atingir nem dois dígitos. Deverá ser candidato sim, mas o maior risco para ele é evidenciar para o Maranhão o tamanho que realmente é, já que foi eleito pelo grupo político Flávio Dino (PCdoB), que lhe garantiu o sucesso nas urnas, mas resolveu romper com o governador e companhia.

No Senado, Roberto Rocha vem decepcionando bastante os eleitores, basta observar os comentários de internautas em suas constantes postagens nas redes sociais a exemplo das manifestações por conta do voto favorável à Reforma Trabalhista do presidente Michel Temer (PMDB) que tira uma série de direitos dos trabalhadores.

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, talvez, seja a candidata com menos expressão e mais vazia nessa disputa pré-eleitoral. Nas sondagens realizadas, ela aparece, timidamente, e não deve avançar muito, pois tem uma base pequena e pouca bagagem política para entrar na briga.