sábado, 21 de outubro de 2017

SENADORES LIGADOS A OLIGARQUIA SARNEY JOGAM CONTRA OS INTERESSES DO MARANHÃO

Aliados, Lobão “Lava Jato” e Roberto “Asa” Rocha tramam contra os interesses do Maranhão

Blog do Jorge Vieira - Os senadores Roberto Rocha (PSDB), Edison Lobão (PMDB) e João Alberto (PMDB) resolveram se unir numa aliança espúria para tramar contra os interesses do Maranhão. E tudo por conta da sucessão estadual que se aproxima.

Os três representantes do Maranhão no Senado, assim como outros cinco deputados federais resolveram partir para o vale tudo, inclusive prejudicar as populações que precisam da Saúde Pública para curar suas endemias, retirando recursos que já estavam assegurados.

Diante do recuou, o governador Flávio Dino usou as redes sociais de internet para classificar de “absurdo que uma parte da bancada federal negue uma emenda parlamentar e prejudique a saúde dos municípios, supostamente para me atingir”.

Para os remanescentes da oligarquia Sarney, o vale tudo já começou antes mesmo de iniciar a pré-campanha. Pelo que se tem observado Rocha, Lobão, João Alberto e alguns deputados federais estão decididos jogarem contra os interesses do Maranhão por conta da politicalha.

Roberto Rocha e Lobão chegaram inclusive a publicar nota tentando se explicarem e criticando o governador Flávio Dino, mas simplesmente não explicaram as razões da quebra de acordo feito com a Federação dos Municípios do Maranhão.

E pelo acordo firmado com a Famem, na presença da bancada do Estado no Congresso, a emenda impositiva da bancada federal no valor de R$ 160 milhões seria destinada para os municípios investirem em saúde pública. Os três senadores, no entanto, deram outro destino.

Roberto Rocha, o popular “Asa de Avião”, por exemplo, chegou a confirma implicitamente a informação de que os senadores exigiram 50% dos recursos da emenda para destinação livre a ser feita por eles.

Para ficar claro que a verdadeira intenção é prejudicar o governo, Rocha diz textualmente: “As emendas parlamentares, como bem diz o nome, são prerrogativas dos deputados e senadores do Maranhão. Cabe a eles, e somente a eles, decidir o destino das emendas”, afirma o tucano. Ocorre que os deputados já haviam firmado acordo com a Famem e os senadores resolveram quebrar.

Rocha só esqueceu de dizer que foram os parlamentares que resolveram colocar as emendas para a saúde dos municípios maranhenses, o que torna sem sentido a declaração do senador tucano, considerado hoje o maior inimigo do grupo que o elegeu senador.

Os senadores pediram também ao coordenador da bancada federal, deputado Rubens Júnior (PCdoB) a retirada de parte dos recursos destinados à instalação do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica) no Maranhão para obras executadas por construtora do empresário Luciano Lobão, filho do senador do PMDB.

Falta espírito público a esses senadores e alguns parlamentares que trabalham descaradamente para prejudicar a administração Flávio Dino.

A atitude pode ser entendida com política de terra arrasada, do quanto pior melhor. Na avaliação de quem acompanha a política local, trata-se de um absurdo a população carente ser prejudicada justamente pelos senadores que deveriam está trabalhando pela saúde da população.

A desculpa era que os recursos seriam destinados ao caixa do Estado. O governador Flávio Dino anunciou que o governo do Estado abriria mão para que os recursos fossem repassados 100% aos municípios, mas ainda assim os senadores mantiveram-se irredutíveis em prejudicar a Saúde Pública do Maranhão.

Em nota publicada nas redes sociais, Lobão limitou-se a afirmar que os parlamentares não arrecadam recursos, nem são gestores de tais meios financeiros. Contudo, nenhuma linha é dedicada a explicar por que os três senadores se negaram a assinar a emenda de bancada, que destinaria recursos para a saúde dos municípios maranhenses.