domingo, 26 de novembro de 2017

Sobre pesquisas eleitorais fora de tempo


Sem desqualificar o valor técnico das pequisas eleitorais como ferramenta de medição de tendência de voto num dado momento, a recente consulta que o anônimo Instituto Cocais de Pesquisas(ICOPE) fez  em Tuntum nos dias 17 e 18 do corrente é necessário uma análise mais apurada e sem paixões dos resultados obtidos dos 299 entrevistados e divulgados nas últimas horas para não se criar expectativas vãs nem alterar o ego de alguns pré-candidatos tanto da oposição como da situação, ainda, para 2020 em Tuntum.

A pesquisa do ICOP em Tuntum nos dias 17 e 18 sofre de alguns problemas técnicos que precisam ser postos numa argumentação séria que se deve fazer, vejamos:

1. Quem encomendou a tal pesquisa do ICOPE? E com que interesse?
2. Por que o ICOPE não entrevistou eleitores da zona rural de Tuntum onde está posto o maior colégio eleitoral do município?
3. Por que o ICOPE não relacionou nomes de outros pré-candidatos tanto da oposição(Ana Izabel, Dr. Ricardo, Chico Cunha) como da situação(Vereador Alan Noleto, Prof. Antonio dos Reis e Nelson do Nanxi)  nas entrevistas?

As três indagações epigrafadas acima já denotam uma certa falta de credibilidade  numa pesquisa eleitoral que aponta para 2020, ou seja, para um contexto  político imprevisível sob todos os aspectos e que, neste momento, não é o centro dos interesse de Tuntum, de sua população, reafirma-se.

Paixões a parte e superficialidade de análise de outra, mesmo com o resultado das entrevistas postas na mídia da capital, a pesquisa do ICOPE sofre de outro problema grave, ela diz de maneira clara e objetiva que os pré-candidatos a prefeito de Tuntum postos não se sustentam eleitoralmente até 2020 pela pulverização dos votos obtidos na consulta. Nem mesmo o novo pré-candidato-mor da oposição que leva vantagem nominal sobre os demais pré-candidatos da situação na tal pesquisa consegue chegar a 2020 mudando a trajetória histórica eleitoral de derrotas nas últimas campanhas nos pleitos da cidade. 

Quanto aos resultados obtidos na pesquisa IPOPE pelos  pré-candidatos do grupo político do atual Prefeito de Tuntum Tema  Cunha há uma pulverização preocupante  do coeficiente eleitoral obtido na consulta dos dias 17 e 18 de novembro nominalmente e, por conta disso,  não há  motivo, ainda,  de egos elevados e nem vitórias antecipadas. A pulverização de respostas obtidas pelos pré-candidatos do grupo do Prefeito Tema   na pesquisa do ICOP pode gerar nos próximos meses e nos três anos seguintes, insatisfações de toda ordem, favorecendo à fraturas politicas sérias, inclusive. E é isso que o grupo da oposição e o novo pré-candidato-mor posto desejam para melhorar seu desempenho eleitoral pífio neste momento.

 As pesquisas eleitorais fora de tempo não interessam a quem tem o comando político vitorioso nas mãos porque tudo é prematuro num contexto eleitoral que nem começou a ser desenhado ainda.