ACORDO ENTRE PT E PSB É JOGO DE SOMA NEGATIVA

247 – O acordo anunciado nesta quarta-feira entre as direções nacionais do PT e do PSB é o chamado jogo de soma negativa, em que o produto da equação é menor do que aquele que seria esperado pela adição dos fatores. Saudado por seus entusiastas como uma jogada de mestre, o acordo deveria garantir as eleições de Paulo Câmara (PSB), em Pernambuco, e de Fernando Pimentel (PT), em Minas Gerais, com a desistência de dois concorrentes: a petista Marília Arraes, em Pernambuco, e o socialista Márcio Lacerda, em Minas Gerais.

O que se viu horas depois do anúncio do acordo foi um desastre completo, que deixou claro que o acordo não foi negociado nem discutido com os dois candidatos abatidos pelas decisões partidárias. "A candidatura foi colocada a preço de banana por um não apoio do PSB", disse Marília Arraes (leia aqui). "A mim foi oferecida, como alternativa à candidatura ao governo do Estado, a candidatura ao Senado em uma composição com o Partido dos Trabalhadores, sugestão com a qual prontamente discordei. Recebi esta comunicação com indignação, perplexidade, revolta e desprezo", afirmou Márcio Lacerda (leia aqui).

Parece claro, portanto, que nem Marília, hoje a maior liderança do campo progressista em Pernambuco, fará qualquer esforço por Paulo Câmara, um governador mal avaliado e que apoiou o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, e nem Lacerda apoiará Pimentel – a tendência, ao contrário, é que ambos ou se ausentem do processo político ou até apoiem candidaturas adversárias.

O mais importante, no entanto, diz respeito àqueles que deveriam ser os atores mais importantes no processo político: os eleitores. Estes, em sua grande maioria, se sentem traídos pelo acordo firmado entre as direções partidárias.
Posted in  on 22:26:00 by Blog Bate Tuntum |