FLÁVIO DINO SOCORRE A POPULAÇÃO MAIS POBRE DO MARANHÃO; BOLSONARO ARRASTA O BRASIL PARA UM INFERNO DE FOME


Por JM Cunha Santos

Com a gasolina batendo em 6 reais, o óleo Diesel passando de 4 reais, o gás de cozinha a 85 reais, o preço da carne variando até 50 reais, arroz, feijão, tomate e óleo de soja sofrendo reajustes sucessivos nos supermercados, um salário mínimo que não chega a R$ 1.200, mais a corrosão pela pandemia da renda dos trabalhadores, não tem história, os brasileiros estão com fome, Senhor Jair Bolsonaro.

Desde o início de seu governo, Flávio Dino se preocupou em melhorar a renda dos maranhenses e investimentos e programas de toda ordem foram feitos nesse sentido. Com a pandemia de covid-19, salvar vidas se tornou a prioridade de todo o mundo (menos de Bolsonaro no Brasil e Donald Trump nos Estados Unidos). Mesmo assim, os investimentos na geração de emprego e renda continuaram no Maranhão.

A situação que vivemos agora é outra e é muito grave, exige o socorro imediato das populações. E o governo do Maranhão, que já distribuiu quase 400 mil cestas básicas, anuncia pratos de comida a 1 real nos 55 restaurantes populares do Estado a partir desta segunda-feira.

O governo do Maranhão garantiu também cessão de combustível a taxistas e moto-taxistas, vale gás para 115 mil famílias, 110 toneladas de alimentos para instituições de acolhimento, auxílio de 600 reais para compra de utensílios por famílias carentes, mais restaurantes populares, equipamentos para a agricultura familiar, entre outras ações.

Medidas para conter os impactos da pandemia na renda dos maranhenses, medidas contra a fome, medidas em favor de uma vida melhor.

Enquanto isso, a equipe econômica do governo Bolsonaro bate cabeça e não consegue sequer finalizar um orçamento para o ano de 2021. Permite, entretanto, que os preços dos gêneros alimentícios e dos combustíveis que movem a economia voem até a estratosfera, aumentando o desespero de uma Nação que chora mais de 350 mil mortos. O pior é que, pelo andar da carruagem, ninguém sabe aonde esses preços vão parar.

A ajuda de Jair Bolsonaro é um auxílio emergencial canhestro de 5 reais por dia. Não tem necessidade disso. Os cofres do governo federal estão abarrotados dos tributos de nossas desesperanças.

Recentemente, a imprensa nacional noticiou que no ano passado mais da metade da população brasileira não tinha certeza se ia ter alimente na mesa no dia seguinte. E tudo indica que a situação vai ser bem pior em 2021.

A morte segue o Brasil, a fome segue o Brasil. Esse governo de incompetentes tem que sair daí.

on 20:39:00 by Blog Bate Tuntum |